11/03/2015

All Yours: Capítulo 10 - I'm falling in love

8 comentários: | |
"Se eu pudesse morrer em seus braços eu não me importaria porque toda vez que você me toca eu apenas morro sem seus braços. Oh, isso parece tão certo, então, baby, por favor, não pare."
(Die In Your Arms - Justin Bieber)

O som estridente da campainha me irritava profundamente. Quem vai na casa de alguém às 7:30 da manhã?
Rolei na cama sentindo uma enorme preguiça de levantar e já pensava na ideia de ficar deitada até a pessoa desistir e ir embora, mas eu não podia fazer isso já que podia ser meu pai. Depois de enrolar por algum tempo, enquanto a pessoa não parava de tocar a campainha, finalmente levantei da cama e fui até a porta de entrada. Ao olhar pelo olho mágico vi Justin com um óculos escuro e se preparando para tocar a campainha novamente.
- Nem pense em tocar esse negócio de novo. - Falei sem abrir a porta e pude ouvir ele rir. - Calma aí. - Corri de volta ao quarto e peguei meu roupão, vestindo-o em seguida. Nem ferrando eu ia deixar Justin me ver vestida com o meu pijama super curto.
- Que demora. O que você está fazendo? - Pude ouvir Justin resmungar e ri baixo.
- Você é muito impaciente. - Abri a porta e ele sorriu. - São 7 horas da manhã, sabia? Não vai dizer que quer comer McDonald's de novo? - Ele gargalhou adentrando o meu apartamento.
- Não, senhorita. Só vim me despedir. - Ele me olhava com as mãos no bolso e eu o olhei em confusão.
- Se despedir?
- Amanhã é véspera de Natal e eu estou indo para o Canadá ficar com a minha família. Meu voo sai em... - Olhou o relógio de pulso. - Duas horas mais ou menos.
- Ah sim... E quando você volta? - Falei brincando com a cordinha do meu roupão. Não queria que ele fosse.
- Não sei. Depois vou para Nova York cumprir alguns compromissos. Acho que devo voltar em uma semana. - Disse. - Ou talvez eu volte antes se você me ligar dizendo que está com saudades. - Piscou pra mim e eu revirei os olhos.
- Com certeza ligarei, pode ficar esperando. - Riu.
- E então... - Se jogou no sofá. - O que iremos fazer nesse tempo antes do meu voo?
- Como assim o que vamos fazer? Eu vou dormir.
- Você só pensa em dormir. - Ele me puxou pelo braço, me fazendo cair no sofá ao lado dele. - Vamos conversar.
- E você anda muito abusado. - Disse sentando direito no sofá. - Quer falar sobre o que?
- Sobre segurança. - Arqueei as sobrancelhas.
- Hã? Tá louco? - Ele riu.
- Não, é sério. Nós teríamos que falar sobre isso qualquer hora, então já que eu vou ficar longe de você por uns dias e não poderei te proteger caso algo aconteça, vou pelo menos te alertar. - Segurei um sorriso depois que ele terminou de falar. "Te proteger". Essas duas palavrinhas ficariam guardadas na minha mente por muito tempo.
- Eu não acho que vá acontecer algo, mas ok, vamos falar sobre isso,
 - Depois que nós começamos a aparecer juntos, as pessoas começaram a ter interesse em você, sabe? Querem descobrir coisas sobre a "nova garota do Bieber". - Ele fez aspas com as mãos. - E eles são capazes de tudo pra conseguir o que querem.
- Você está me assustando. - Falei brincando, mas a verdade é que eu estava mesmo ficando assustada. Eu ainda não tinha parado pra pensar nisso direito.
- Eu só quero que, caso algum paparazzi te pare, você não fale nada. O silêncio é a melhor resposta porque eles não vão poder distorcer nada que você disser.
- Não vou dizer nada, pode confiar.
- Eu confio. - Sorri. - Comprei um presente de Natal pra você. - Falou colocando a mão no bolso do casaco e tirando de lá um saquinho preto de veludo.
- Justin... - Falei olhando o saquinho na mão dele e pensando se deveria aceitar o presente, mas acabei pegando. Não seria muito legal da minha parte se eu recusasse. - Eu não comprei nada pra você. - Ele sorriu pra mim.
- Não é por que to te dando um presente que você tem que me dar também. - Falou como se estivesse brigando comigo e eu ri.
- Estúpido. - Ele me acompanhou na risada, enquanto eu abria o presente. Logo ao abrir o saquinho pude reparar que era um cordão, que eu peguei com cuidado, o analisando.
- É lindo! - Exclamei.
- A moça da joalheria me perguntou pra quem era o presente e eu disse que era pra uma amiga, então ela me mostrou esse cordão e disse que um dos significados do pássaro é a amizade e eu não consegui parar de pensar que eu tinha que te dar ele. - Sorri quando ele terminou de falar. Era o presente mais especial que alguém já tinha me dado.
- É incrível, Justin, eu amei. - Disse colocando o cordão nas mãos dele e virando de costas para que ele o colocasse em mim. - Estou me sentindo mal por não te dar nada. - Falei enquanto ele terminava de colocar o cordão em mim e então virei novamente de frente para ele.
- Não precisa, é sério. Sua amizade é meu presente de Natal. - Disse com aquele maldito sorriso no rosto que fazia o meu coração acelerar. Justin Bieber, por que você tem tanto poder sobre mim? Você é um babaca por fazer eu me sentir assim.
- Acho que isso é uma das coisas mais legais que você já me disse. - Ele gargalhou.
- Tudo o que eu falo é legal, Liv.
- Ai meu Deus, por que eu ainda perco meu tempo com você? - Falei sendo dramática.
- Porque você também acha que eu sou legal. - Ele disse com um sorriso no rosto e eu ri.
- Babaca.
- Sabe o que é engraçado? Toda vez que você sabe que eu estou certo e não tem uma resposta pra mim você me xinga de alguma coisa.
- Isso não é verdade.
- É verdade sim. Você acabou de fazer isso. - Rolei os olhos rindo e tentando não demonstrar que eu estava ficando com vergonha. Ele tinha razão e eu odiava isso. - Mas falando sério agora. Você vai ficar bem com toda essa atenção em cima de você?
- Justin, eu vou ficar bem. Há anos eu vivo sozinha nessa cidade e nunca existiu algum problema que eu não pudesse resolver, não vai ser uns paparazzis idiotas que vão mudar isso. - Ele sorriu assim que eu terminei de falar e eu arqueei as sobrancelhas em confusão, não entendendo o motivo do sorriso.
- Você é demais e eu te admito muito, Liv. - Sorri em agradecimento, corando um pouco. Nunca imaginaria que um dia ouviria isso dele. Aliás, eu nunca imaginaria que tudo isso que ocorreu entre nós aconteceria algum dia. - Mas eu nunca me perdoaria se algo te acontecesse por minha causa. - Meu sorriso se alargou mais um pouco e eu abaixei a cabeça, tentando esconder como eu estava me sentindo. Meu coração parecia que ia saltar para fora do peito.
- Nada vai me acontecer, ok? Eu prometo. - Falei depois de ter meus sentimentos controlados.
- Me prometa também que qualquer coisa vai me ligar.
- Nossa, mas que chato. Eu prometo, Justin.
- Promessa é dívida, heim? - Revirei os olhos.
- Eu sei. - Disse. - Acho que alguém aqui não vai suportar a ideia de ficar longe de mim. - Falei brincando e ele riu.
- É algo que eu terei que aprender a conviver. - Ele passou um dos braços pelo meu ombro e me puxou para perto de si, depositando um beijo no topo da minha cabeça. - Você se tornou importante pra mim, Liv, e eu gosto de me manter por perto das pessoas que eu me importo. - Sorri, sentindo meu coração disparar. Justin ainda tinha seus braços ao redor de mim e nós estávamos sentados tão próximos que eu me perguntava qual o motivo disso sendo que havia mais espaço no sofá.
- Você também é importante pra mim. - Falei e um sorriso surgiu em seu rosto. Após isso nós ficamos em silêncio, apenas fitando a televisão desligada na nossa frente. Minha mente estava à mil, eu não conseguia assimilar tudo que estava acontecendo e tudo que eu estava sentindo, meu coração ainda batia aceleradamente. A única coisa que eu tinha certeza era que eu nunca tinha sentido nada parecido com o que eu estava sentindo naquele momento. - Justin? - O chamei quando aquele silêncio começou a ficar constrangedor e ele me olhou curioso. - Você não ia pegar seu carro hoje?
- Não vai dar tempo, vou deixar pra quando eu voltar, aí nós poderemos andar nele com calma.
- Nós? Acho que você não me perguntou se eu quero. - Ele me olhou com tédio enquanto eu mantinha um sorriso no rosto.
- Tudo bem, então eu vou chamar a Hailey. - Dessa vez eu que o olhei com tédio. Não precisava apelar também.
- Chama então. - Disse como quem não ligasse, mas eu queria mesmo é dar na cara dele. E eu nem tinha motivos pra me sentir assim.
- O que foi? - Ele falou rindo enquanto me abraçava e eu tentei rir, demonstrando que eu não me importava. - Você com ciúmes de mim, quem diria.
- Por que eu sentiria ciúmes?
- Porque você tem medo que nós nos afastemos por algum motivo. - Falou. - Eu também tenho medo disso, mas não precisa se preocupar porque não vai acontecer. - Ele beijou minha bochecha e então seu celular começou a tocar antes que eu pudesse respondê-lo. Enquanto ele falava no telefone, eu tentava me lembrar quando foi que ele começou a me causar tantos sentimentos estranhos, que eu nunca havia sentido antes. Isso tudo era tão surreal... Um dia eu sou apenas uma jovem universitária, sem nada de emocionante na vida, e no outro um popstar está me causando as emoções mais loucas que eu já havia sentido e me fazendo sentir como se eu tivesse 16 anos novamente. - Eu preciso ir. - Ele disse após finalizar a ligação.
- Mas já?
- Eu queria ficar. - Falou se levantando do sofá. - Mas eu quero muito ver a minha família. É a única vez no ano que todos se reúnem.
- Eu entendo. - Levantei também e me aproximei de seu corpo, sentindo seus braços me envolverem. - Tenta não sofrer tanto de saudades. - Falei afastando minha cabeça para olhar em seu rosto e ver o sorriso que ele deu.
- O mesmo pra você. E não se esqueça: se algo acontecer, me liga. Eu dou um jeito de vim rápido pra cá. - Sorri, me sentindo agradecida por ter ele na minha vida. Pela primeira vez alguém que não fosse o meu pai se importava comigo de verdade.
Ele olhava em meus olhos ainda com o sorriso no rosto e não sei por que, mas meu olhar desceu para seus lábios, que naquele momento pareciam tão convidativos. Eu queria sentir seu beijo novamente, queria muito mesmo, então foi isso que eu fiz. Ou pelo menos tentei fazer.
Aproximei meu rosto do dele, esperando sentir seus lábios contra os meus, mas a única coisa que eu senti foi um beijo na bochecha.
- Se cuida, Liv. E feliz Natal. - Ele disse se afastando e caminhou até a porta da sala.
- Feliz Natal, Justin. - Foi só o que eu consegui falar antes dele sorrir e atravessar a porta, sumindo da minha vista.
Nós prometemos que não deixaríamos as coisas passarem do limite e o que eu faço? Vou lá e tento beijar ele. Eu sou uma idiota. É óbvio que ele não retribuiria.
Jogada no sofá, tentando organizar os meus pensamentos, eu cheguei a conclusão que o que eu temia estava acontecendo aos poucos: eu estava me apaixonando por Justin Bieber.



Oooi gente!
Sumi de novo, mas voltei hahaha Quando eu não posto é porque a criatividade some e eu não consigo escrever nada :/
Enfimmm, eu espero que vocês gostem desse capítulo ^^
Teve uma leitora que pediu pra eu escrever os nomes dos personagens antes de cada fala pq fica confuso, mas gente, é fácil de entender hahaha É uma fala do Justin e outra da Liv e quando aparece outros personagens eu escrevo no final da fala quem foi que falou o que :s Enfim, se vocês quiserem eu posso começar a colocar os nomes dos personagens, mas eu particularmente não gosto. Acho que fica feio '-'
Mudando de assunto, a beliebers drew sugeriu Jolivia pra ser o nome do casal e foi o que eu mais gostei. O que vocês acharam?
Mudando de assunto de novo... a @crazybitch_4 me perguntou se eu acho que o Justin e a Hailey Baldwin já ficaram e se ela gosta mesmo dele.
Mesmo shippando muito eles (não tanto quando Jaitlin :D) acho que nunca ficaram. Eles parecem ser aqueles melhores amigos que se xingam, brincam e podem falar sobre tudo, sabe? Não acho que tenham passado disso. E sim, eu acho que ela gosta mesmo dele. Aliás, ela é fã dele desde o começo da carreira e sempre o apoiou mesmo quando eles não eram tão próximos. Ela é uma de nós hahaha
Mudando de assunto novamenteeee... quem quiser se afiliar ao blog é só me colocar como afiliado que eu te coloco aqui :)
Bom, por hoje é "só" KKKKK Leitoras novas sejam bem-vindas. Muito obrigada à todos pelos elogios e espero de verdade que tenham gostado do capítulo <3
Beijinhos e até logo ;*

Divulgando:
http://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-justin-bieber-hate-or-love-3155307
http://imaginandobeliebersonha.blogspot.com.br/

05/03/2015

Trailer de All Yours

6 comentários: | |
Oi gente!
Aproveitei que a internet ficou quase o dia todo sem funcionar pra terminar de editar o vídeo de All Yours. Não ficou perfeito porque não sou muito boa com edição, mas eu fiz o meu melhor e espero que vocês gostem :)

Assistam no player abaixo ou cliquem aqui.

All Yours - Fanfic Jaitlin from Beatriz Januário on Vimeo.



Eu tinha postado no YouTube, mas o vídeo foi bloqueado por causa dos direitos autorais da música, então postei no Vimeo. Obrigada a Ludy que me avisou que o vídeo não funcionava no YouTube :)
Caso vocês ainda não consigam ver o vídeo me avisem ;*

01/03/2015

Happy bday, Kidrauhl!

2 comentários: | |

21 anos. O tempo passou rápido, não? Ainda lembro da primeira vez que ouvi sua voz, a alegria que você me passou e o amor que eu senti por você logo nos primeiros segundos te ouvindo, sem nem mesmo te ver ou saber quem você era. E pensar que já se passaram cinco anos...
É, Biebs, cinco anos te amando incondicionalmente. Não é pouco tempo. Nem eu mesma sabia que era capaz de amar tanto alguém até te descobrir, nem eu mesma sabia que eu poderia aguentar tantos julgamentos por te amar e eu nunca imaginaria que eu poderia amar alguém que mora há milhares de quilômetros e que eu nunca conheci. Se isso não é amor de verdade, então eu não sei mais qual é o significado da palavra amor.
Eu sinto muito orgulho de você, anjo. Ver você se tornando um homem incrível, admitindo seus erros e se desculpando, realizando tantos sonhos, colocando sorrisos no rosto de milhares de pessoas... você tem o maior coração do mundo! Eu te amo, Justin. Eu te amo muito, eu te amo tanto que chega a doer. Essa é a verdade. Tudo o que eu queria era poder te abraçar e demonstrar tudo o que eu sinto, mas já que não posso, eu só quero que você tenha o melhor aniversário do mundo. Quero que você saiba que não importa onde você estiver ou o que estiver fazendo, eu estarei pensando em você. Eu estarei aqui para você sempre, não importa o que acontecer.

If you ever find yourself stuck in the middle of the sea
I'll sail the world to find you
If you ever find yourself lost in the dark and you can't see
I'll be the light to guide you

Feliz aniversário, Kidrauhl! Eu te amo muito.