30/07/2014

Only Best Friends Second Season: Capítulo 26 - All Of Me

28 comentários: | |

 Katherine Collins P.O.V
 - Até amanha, meu anjinho - dei um beijo em sua testa e ele sorriu. Brian acariciou levemente a bochecha de Sophie, que estava no bercinho e sorriu todo bobo a encarando. Ri fraco o observando - Daqui há alguns dias nós estaremos juntos em casa, okay?
- Tá! – ele assentiu e caminhou ate o pai, pegando na mão dele.
- Vou levá-lo ate a sua mãe – Justin disse e me deu um selinho, em seguida beijou delicadamente a testa de Sophie – Já volto!
Assenti e os observei sair do quarto, Brian ficaria na casa de minha mãe os dias em que eu teria que permanecer o hospital e Justin – obviamente – ficaria comigo. Me ajeitei na cama de modo que eu podia observar Sophie e suspirei aliviada. Céus, como eu havia sofrido! Eu cheguei a um ponto em que achei que não conseguiria, mas final, meu único pensamento era minha filha e isso fez com que eu resistisse ate o ultimo segundo.
Peguei a garrafa de agua na mesinha ao lado da cama e tomei um gole. Respirei fundo tentando não pegar no sono, eu precisava urgentemente dormir, mas sabia que isso seria uma missão impossível pelos próximos meses. Ou até mesmo nas noites em que eu dormiria aqui, sabe, toda aquela paranoica de mãe sobre "ah, e se trocarem meu filho?" ou ate mesmo "e se roubarem minha filha?". Mesmo tendo Justin ali do meu lado eu sabia que eu não pregaria os olhos, não tiraria os olhos de Sophie de modo algum.
Eu me lembrava muito bem dos meus primeiros dias com o Brian em meus braços, toda aquela preocupação excessiva, toda necessidade de estar vinte e cinco horas por dia o observando, estava tomando conta de mim novamente ao ver toda a delicadeza que minha pequena filha possuía.
O "clique" da porta sendo aberta e em seguida fechada, me despertou dos meus devaneios e eu não precisei olhar para trás para saber quem estava ali, uma vez que o perfume amadeirado de Justin invadia qualquer ambiente em que ele estivesse. O colchão afundou e em seguida eu senti o braço de Justin envolver-me pela cintura, ele pousou seu queixo em meu ombro e soltou o ar.
- Fiquei tão preocupado com você - ele murmurou e eu sorri segurando sua mão que estava pousada em minha barriga - Você foi tão forte, amor.
- Obrigado por meu ajudar - falei no mesmo tom e me encolhi mais em seus braços, Justin disse algo como "eu estou caindo" e eu ri me sentando na cama, ele fez o mesmo, mas de frente para mim - Posso confessar uma coisa?
- Yep! - ele exclamou deixando os ombros caírem e tombando a cabeça para o lado e sorrindo. ESSE HOMEM um dia me mata!
- Eu sinto como se... - cocei a garganta e dei risada do que eu falaria - lá embaixo estivesse rasgado.
Justin fez uma careta em seguida colocou suas mãos por cima de seu pênis o que me fez rir.
- Ai! - ele exclamou me encarando de forma estranha - Ainda bem que não são os homens que engravidam.
- Ate por que não existiria parto normal, por motivos extremamente óbvios, e vocês não sofreriam tanto - dei de ombros - De qualquer forma, eu não quero mais filhos Justin! Dois já esta ótimo, eu já sofri demais, já vomitei demais, tá de bom tamanho dois, não?
- Nem mais unzinho? - ele perguntou se aproximando de mim, sorri encarando seus olhos e neguei com a cabeça - Poxa amor, eu pensava em ter mais um quatro - ele riu e segurou minha nuca para poder me beijar brevemente. Um chorinho agudo fez com que nos separasse e eu sorri fraco.
- Pegue ela para mim - falei e ele assentiu se levantando. Justin pegou Sophie com cuidado e a começou a nina-la.
- Pode deixar que eu cuido dela, vá dormir um pouco okay? - fiquei encarando Justin por alguns segundos e ele assentiu em um gesto silencioso de "faça o que eu estou falando".
- Se ela não dormir me acorde, pode ser fome - ele revirou os olhos sorrindo e se aproximou para poder dar um beijo na mãozinha da minha filha.
- Confie em mim, você esta com sono e eu não. - ele sorriu fracamente e beijou minha testa - Fique tranquila, ela vai dormir rapidinho.
- Deixe o berço perto da cama por...
- Ei!- Justin me interrompeu rindo - Vá dormir, amor!Você é tão exasperada que nem percebeu que Sophie parou de chorar assim que eu a peguei no colo - olhei para o pacotinho em seus braços e ri me sentindo uma tonta, Justin era um pai excelente o que mais eu queria? Ele começou a andar de um lado para o outro do quarto enquanto falava algo para a filha, me deitei na cama e os fiquei observando ate o sono me possuir por completo.
Eu dormi vendo o quanto eu e meus filhos somos sortudos.

Justin Bieber P.O.V
Creio que não fiquei nem quarenta minutos com Sophie no colo, já que ela dormiu muito antes disso. Tirei a roupa que usava e vesti uma calça de moletom com uma blusa surrada que minha mãe havia trago para mim quando veio visitar Katherine, ela aproveitou e trouxe tanto as roupas de Kath como de Sophie, já que tudo foi de última hora e inesperado.
Joguei o edredom e o travesseiro no sofá-cama e caminhei ate o banheiro para escovar os dentes, ao terminar toda a higiene voltei ao quarto e me deitei no sofá, me cobri e fechei os olhos. Como Sophie, eu não demorei para pegar no sono.
[...]
Eu ouvia risadas baixinhas e isso fez com que eu resmungasse. Quem ousava interromper o meu precioso sonho? Abri somente um olho e me arrependi no mesmo instante, uma enorme claridade quase me cegou. Sentei-me ainda ás cegas e bocejei, finalmente abrindo os olhos.
Sorri ao ver Sophie sendo segurada por Thomas e ao seu lado estava Clary que fazia uma voz de retardada para minha filha.
- Abre os olhos sua preguiçosa - ela dizia - Mostre para o bobão do seu pai que você tem olhos azuis, vamos!
- Deixe a coitada, amor! - Thomas murmurou risonho e Clary revirou os olhos, voltando sua atenção para a sobrinha. Me levantei e só então os dois notaram que eu já estava acordada - Bom dia bela adormecida! - Tom riu me encarando - Minha sobrinha é uma graça!
- Eu sei disso - falei todo bobo e Clary riu - Onde esta Kath?
- Tomando banho - assenti e fiquei observando os dois conversarem com minha filha, era engraçado a forma como eles se transformavam com uma criança por perto. Eu desejo tanto que Clary seja mãe, mesmo que  filho seja adotado. Ela e Thomas merecem muito.
Katherine saiu do banheiro já vestida e sorriu assim que me viu, caminhando ate mim.
- Bom dia! - ela murmurou me abraçando de lado, a apertei e dei um beijo em sua bochecha  - Me dê a minha filha agora, ela esta com fome - Tom entregou Sophie para Kath que caminhou ate a poltrona e se sentou, em seguida colocou seus pés em cima do pequeno banquinho.
Clary ficou ao seu lado observando com atenção cada movimento de Katherine e de solsaio eu percebi que Thomas sorriu fracamente. Antes de decidir conversar com ele, tomei um banho rapido e vesti qualquer roupa, já que não estava muito afim de bancar o estiloso no momento.
Ao sair do banheiro, Clary conversava com minha mulher - que agora segurava nossa filha de pezinho para que ela arrotasse - sobre algo, deixando Tom completamente de lado. Pigarriei chamando a atenção das duas e as avisei que iria ate a lanchonete, não precisei chamar por Tom já que ele mesmo se ofereceu a ir.
Dei um selinho em Kath e em seguida beijei a cabeça de Sophie.
- Quer que eu pegue algo pra você?  Suco de morango ou um sanduíche, hum?
- Os dois - Kath respondeu prontamente e eu assenti.
-Amo você - murmurei antes de sair do quarto. Eu e Tom caminhamos ate a lanchonete conversando sobre assuntos diversos, mas quando nos sentamos em uma mesa no canto do estabelecimento já com o meu pedido a minha frente eu tomei coragem de falar o que eu realmente queria.
- Pelo jeito você e a Clary se resolveram hein? - falei sorrindo e Thomas corou enquanto fingia ver algo no celular, ri negando com a cabeça.
- Aquela mulher me enlouquece! - ele resmungou e riu de si mesmo - Nós estamos indo aos poucos. Primeiro um namorico depois... quem sabe pensamos em nos casar né? - sorri assentindo.
- Thomas eu queria te dizer algo... eu sei o quanto você e Clary desejam ser pais e bom...eu e Scooter estamos criando um ONG, vai demorar para concretizarmos todo o trabalho, mas eu sei que vocês não vão se casar amanha então... há muitas crianças que precisam de pais e bom...
- Valeu cunhado! – Tom me interrompeu rindo, sorri de canto assentindo – Eu e Clary temos bastante coisas para resolver, estamos indo aos poucos, mas eu tenho esperanças de que ela aceitei adotar uma criança dessa vez.
- Aposto que sim, qualquer coisa eu estou aqui!
- Obrigado Justin!

Katherine Collins P.O.V
Dezessete dias depois

Coloquei Sophie no berço e apaguei o abajur, liguei a babá eletronica e sai do quarto deixando a porta encostada. Caminhei automaticamente ate o quarto de Brian e entrei somente para dar um beijo em sua testa e cobri-lo.
Eu estava um prego! Meu corpo inteiro doía e eu tinha certeza que tinha olheiras fundas logo abaixo dos meus olhos, fechei a porta do meu quarto e deitei-me na cama puxando o cobertor ate acima do meu rosto. Suspirei alto e fechei meus olhos para poder dormir o máximo que conseguisse.
Acho que não dormi nem por cinco minutos, quando o “acordei” com o choro de Sophie, respirei fundo e sentei na cama. Fui ate o quarto de frente ao meu ás cegas e me curvei para frente ao chegar perto do berço.
Sophie soluçou e me encarou com seus olhinhos azuis brilhando por conta das lágrimas, coloquei meus dedos na frente de seu rosto e ela os agarrou, ri fraco e puxei o banquinho que tinha ao lado do berço para me sentar. Sophie estava entretida com minhas mãos e eu apoiei meu braço no protetor e em seguida escondi meu rosto nos braços. Meus olhos foram se fechando e eu tive que me levantar para não acabar dormindo ali mesmo.
- Mamãe precisa dormir meu anjo – falei ajeitando seu cobertor – Você não esta com fome, hum? Acabou de mamar, sua gordinha linda – ri fraco vendo Sophie me observar curiosamente .
Um suspiro fez com que eu desse um pulo e olhasse subtamente para porta, encontrando Justin, ele sorriu e caminhou ate mim.
- Não consegue dormir? – perguntei quando ele beijou minha testa.
- Certa pessoa deixou a babá eletronica ligada – mordi o labio inferior e fiz um um coque em meu cabelo.
- Me desculpe – peguei Sophie quando ela ameçou a começar a chorar novamente e comecei a balança-la fracamente.
- Me dê ela aqui, pode ir dormir – neguei e me sentei na poltrona
- Pode deixar Justin – falei e ele bufou
- Amor, olha aqui para mim – Justin se curvou e fez com que eu olhasse em seus olhos – Você não dorme á noites, nunca deixa eu fazer Sophie dormir. Pare de ser orgulhosa, poxa, não é por que é mãe tem que ser de ferro. Eu faço Sophie dormir em dois minutos, você sabe disso.
- Eu não quero colocar as minhas responsabilidades em suas costas – falei suspirando, Justin me olhou sem acreditar e negou rindo irônico.
- Katherine, eu sou pai dela também, pelo amor de Deus – engoli em seco e comprimi os labios.
- Eu to exausta, amor – choraminguei e ele sorriu assentindo -  Me desculpe, okay?  – coloquei Sophie em seus braços e em seguida dei um beijo em sua testa, aproximei meu rosto do de Justin e lhe dei um longo selinho – Amo você.
- Eu também te amo, muito! – ele murmurou contra meus lábios – Agora trate de ir descansar!
[...]
Uma luz fraca invadia o quarto e por conta disso eu acordei, e pelo contrário das últimas semanas, eu estava bem, não com dores nas costas e muito menos na cabeça. O outro lado da cama estava vazio e deduzi que Justin já havia levantado - óbvio -. Levantei-me em um pulo e corri ate o banheiro, tomei um banho rápido e da mesma forma me vesti - um vestido florido com um casaquinho jeans por cima, deixei meu cabelo preso em um rabo e calcei uma rasteirinha.
- Booooooooom dia mãe! - Brian disse sorridente quando eu pisei na sala, sorri e fui ate ele que estava deitado no sofá enquanto assistia desenho. Me curvei sobre o seu corpo e o enchi de beijos - Ar... mãe eu preciso de ar!
Dei risada e o encarei nos olhos.
- Acordou sorridente hoje, o que aconteceu? - ele negou dando de ombros
- Nada não!
- Mesmo? - perguntei desconfiada e ele assentiu rindo. Fui ate a cozinha e me deparei com a cena mais linda; Justin estava sentado tomando seu café e ao mesmo tempo fazia graça para Sophie que estava no carrinho, me aproximei de ambos e abracei meu ex-mas-agora-futuro-marido pelas costas fazendo-o se assustar - Bom dia - sussurrei em seu ouvido e beijei sua bochecha. 
- Hey, bom dia! Dormiu bem? - Justin exclamou sorrindo.
- Aham! - falei pegando Sophie no colo - E você boneca, dormiu bem, hein? Papai cantou para você? - Justin riu. Sentei-me e abaixei a alça de meu vestido para dar de mamar para minha filha e dei risada quando ela sugou meu seio com voracidade, como se não comesse a dias.
- O que você quer comer? - Justin perguntou enquanto bagunçava o cabelo, sorri fraco e observei as coisas na mesa.
- Hum, coloca suco para mim e... também quero torrada - ele assentiu e colocou o suco em um copo e preparou as torradas, sempre sobre o meu olhar atento 
- Como que esta indo os projas da ONG? - perguntei puxando assunto, Justin olhou para mim e sorriu e em seguida voltou a prestar atenção na torradeira. 
- A planta fica pronta semana que vem e bom... - ele riu fracamente - Eu estou muito animado!
- Fico feliz com isso - disse sincera, coloquei Sophie de "pé" e comecei a bater levemente em suas costas - Já pensou no nome?
- Não - ele colocou o prato com as torradas em minha frente e eu agradeci com um sorriso - Está um tanto difícil, tipo, Bryso ou Sobry não faz sentido né? - fiz uma careta concordando e Justin riu
- Sobry Institution é bonitinho - dei de ombros e tomei um gole do suco, puxei o carrinho com o pé e coloquei Sophie, que já tinha dormido, no mesmo.
- O que tal Bieber's Institution?
- É melhor 
- Sabe, ás vezes eu fico pensando como será daqui alguns anos - ele disse mudando totalmente de assunto - Se... se, ah não sei, eu acho isso ainda tão surreal - Justin riu de si mesmo - Ver você alimentando nossa segunda filha, tipo, segunda filha... eu ainda não acredito e - ele passou as mãos pelo rosto - merda Katherine, você me enlouquece.
Franzi a testa e ri.
- Você sabe que não esta falando coisa com coisa, né? - ele riu negando, peguei sua mão e entrelacei nossos dedos sorri o encarando e continuei - Toda a minha felicidade é graças a você, se não fosse por você, eu não teria as pessoinhas mais preciosas para mim
- Sem você eu também não teria - antes que eu pudesse responde, Brian entrou na cozinha e pegou uma bolacha, encarou eu e Justin que o observava.
- Mãe, a Jessie pode vir aqui em casa?
- Ahh não sei não - disse o pegando no colo, Bry me olhou pidão e eu o apertei - Você esquece totalmente de mim quando ela esta por perto.
Falei fazendo drama e Brian deu risada, ele passou seus braços pelo meu pescoço e levou sua boca ate o meu ouvido.
- Você é linda e eu amo muito você - sorri -, mas a Jessie é minha melhor amiguinha! - ri alto e o enchi de cócegas. Meu Deus o que eu fui arranjar nessa vida? Eu estava perdida se Sophie ficasse igual a Justin. 
- Posso saber o porque de tantos segredos, hein? - Justin perguntou e Brian riu, olhou para mim e fez um bico tentando me convencer, nem preciso dizer que eu ligaria para Chloe naquele instante, não?
- Pai, enquanto a Jess não chega vamos jogar bola? - encarei Justin que riu para o filho, se levantou e o colocou em suas costas, fazendo Brian gargalhar - Eu vou mooooooorer! - ele gritava e ria ao mesmo tempo.
- Eu vou te ensinar como é que se joga futebol de verdade - Justin dizia enquanto saía da cozinha ainda com o filho nas costas -, se você for jogador filhão, pelo amor que você tem a mim, não fique desfilando no campo tá?
Dei risada negando e me levantei para tirar as coisas da mesa, depois de guardar tudo liguei para Chloe e pedi para trazer Jessie. Subi com a Sophie para o quarto para dar um banho nela. A pequena era preguiçosa para caramba, e por isso, não ousou abrir os olhos enquanto eu molhava todo o seu corpinho. Quando eu terminei, a sequei com todo a delicadeza do mundo e vesti uma macacão rosa claro nela. 
- Vamos ver o que aqueles homens estão aprontando - falei enquanto descia novamente as escadas, peguei sua manta que estava no carrinho e segui para o quintal. 
Mesmo que estivesse fazendo sol, não era bom sair com Sophie sem cobri-la, ela ainda tem duas semanas e precisa de todo o cuidado do mundo triplicado. Sentei na poltrona na beira da piscina, mas que ficava de frente para o gramado, e observei Justin e Brian jogando bola. 
Até quando uma cachorra destrambelhada surgiu do nada e correu atrás da bola, o que resultou em um toquinho com as pernas para cima e uma bola de pelo latindo, enquanto um pai gargalhava. Brian brigava com Layla, o que era extremamente engraçado, ele estava com as bochechas vermelhas e tinha grama em seu cabelo. Layla o olhava curiosa tombando a cabeça para o lado e latindo a cada palavra que o toquinho dizia, ela realmente achava que Bry estava brincando. 
Justin chutou a bola para o filho - quando ele já estava calmo - mas antes que pudesse chegar ate o pé de Brian, Layla correu ate a bola, a pegou com a boca e saiu correndo para a parte da frente do quintal.
- LAYLAAA! -Brian berrou e isso fez com que Sophie desse um pulo em meu colo - VOLTA AQUI! - ele saiu correndo ate a cachorra que dava carreirão nele a cada segundo, Justin olhava tudo rindo e eu revirava os olhos - Sua cachorra feia, não pode pegar a bola! - ele dizia enquanto voltava com a bola na mão e bufando igual um tourinho. 
Quando Brian colocou a bola no chão e se preparou para chutar, alguém começou a buzinar freneticamente em frente a nossa casa, Bry arregalou os olhos e sorriu
- JESSIE! - e saiu correndo para dentro de casa, com Layla em seu encalço com a bola na boca querendo brincar.Olhei para Justin e ele sorriu dando de ombros, me levantei e o esperei chegar ate mim, Justin me deu um selinho e esticou  braço para pegar Sophie, o entreguei e ele sorriu para filha. 
Ao chegarmos na sala, Chloe sorria vendo Jessie e Brian se abraçando e falando ao mesmo tempo. 
- Vocês se amam mesmo hein? - ela falou com os olhos arregalados - Oi amiga, oi Justin! - ela nos cumprimentando 
- Oi - respondemos juntos, Chloe caminhou ate Justin e conversou com Sophie me fazendo rir fracamante.
- Eu vou aproveitar que Jessie esta aqui, para dar uma namorada em meu marido - Chloe disse rindo e eu revirei os olhos.
- Pare de contar sobre as suas intimidades, mulher!
- Não tenho culpa se você não esta totalmente recuperada do seu traumatizante parto - Justin gargalhou e eu só sentia minhas bochechas arderem.
- Tchau Chloe! - falei a empurrando para a porta.
- Ei, deixe eu dar um beijo na minha filha! - ela correu ate Jess e a encheu de beijos, em seguida fez o mesmo com o Brian - Venho de pegar de tarde tá? Se comporte
- Tá mamãe! Amo você.
- Também te amo pirralhinha! 
Fechei a porta da sala assim que Chloe saiu e eu encarei Justin, que estava com a sobrancelha arqueada e um sorriso maroto brotando de seus lábios. 
- Não me olhe assim! - bravejei fazendo seu sorriso aumentar
- Já faz cinco meses né meu anjo? - fiquei o olhando com os olhos cerrados, fazendo as minhas contas.
- Cinco meses? - perguntei e Justin gargalhou 
- Cinco longos meses - bufei e sai andando ate a cozinha.
- É muita tensão sexual para o meu gosto - murmurei.

Alguns meses depois
 Respira fundo e solte todo o ar pela boca, foi isso que eu aprendi a fazer nos momentos de nervosismo. Tanto o meu vestido como a minha maquiagem estavam perfeitos. Eu me sentia absurdamente feliz. 
Era estranho pensar que eu estava me casando pela segunda vez. Mas com o mesmo homem, por quem eu sou totalmente apaixonada e louca, aquele que eu dei tudo de mim e mais um pouco. O que me deu dois filhos maravilhosos e... a vida que eu tanto sonhei desde menina. 
Agora ali esta eu, sentindo minhas mãos suares e minhas pernas tremerem, só pelo fato de saber que eu era a próxima. Meu pai havia me deixado por uns alguns segundos sozinha, só para tentar me acalmar, bom, alguém pode dizer a ele que não adiantou nada?
A porta, minutos antes, havia se fechado e Jessie havia entrado despejando as rosas vermelhas pelo chão do enorme gramado onde estava sendo a cerimônia, eu continuava dentro da casa alugada batucando meu pé no chão e irritando a mim mesma.
- Esta na hora! - ouvi a cerimonialista dizer e segundos depois meu pai se colocou ao meu lado. Respirei fundo mais vezes e estalei os meus dedos.
- Eu devia impedir você de fazer isso - meu pai disse e eu o encarei com os olhos arregalados
- O que? - quase gritei
- Mas vocês se amam para caramba, e quem seria eu para impedir isso, só por que Justin errou uma vez com você? Eu já te disse isso uma vez filha, mas vou falar novamente, Justin é um homem incrível e ele vai continuar te fazendo feliz. 
- Obrigado pai!
As portas se abriram e eu tive a visão maravilhosa que era Justin Bieber de terno e sorrindo alegremente, a marcha nupcial começou a tocar e eu me arrepiei. Todo o nervosismo que eu sentia pareceu sumir quando eu olhei nos olhos de Justin e vi os mesmos lagrimejados. A cada passo que eu dava, eu sentia meu coração bater mais forte em meu peito, e a ansiedade tomar conta de mim só de pensar em ter novamente uma aliança em meu dedo anelar. 
Quando Justin se aproximou de mim, meu pai deu um beijo no topo da minha cabeça e cumprimentou a genro, em seguida caminhou ate onde estava a minha mãe - que por sua vez segurava minha filha. 
- Você esta perfeita - Justin sussurrou me encarando nos olhos, sorri e fechei meus olhos quando ele deu um longo beijo em minha testa. Nos ajoelhamos diante o padre e ali ficamos, ouvindo tudo o que era necessário ouvir. Apesar de eu estar prestando mais atenção nas apertadas que Justin dava na minha mão, o que fazia com que eu olhasse subitamente para ele, só para vê-lo sorrindo e tentando reprimir o riso. 
Depois de toda aquela enrolação necessária, Brian entrou com nossas alianças e naquele momento eu senti tanto orgulho dele, vestido com um terno do seu tamanho e com o cabelo em um topete igual pai. Olhei para Justin de soslaio e ele sorria alegremente.
Justin pegou a aliança de sua mão e bagunçou o seu cabelo, fazendo-o bufar e arrumar enquanto eu ria. Estendi minha mão e Justin a segurou, pronto para colocar a aliança, apenas esperando para que o padre falasse o que ele tinha que dizer.
- Eu Justin Drew Bieber, recebo você, Katherine Collins - ele repetiu sorrindo - como minha esposa e prometo ser fiel, te amar e te respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe - e por fim colocou a aliança meu dedo, em seguida beijou minha mãe e me olhou. 
Minha vez, sussurrei e ele assentiu sorrindo.
Peguei a aliança de Justin e me preparei para encaixa-la.
- Eu Katherine Collins, recebo você, Justin Drew Bieber como meu esposo e promete ser fiel, te amar e te respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe. 
- Eu vos declaro marido e mulher - disse o padre por fim - Pode beijar a noiva!
Justin sorriu lindamente e me puxou pela cintura, roçou nossos lábios e antes de me selar, sussurrou
- Nem a morte nos separa!
Seus lábios gelados se encostaram no meu e eu me arrepiei, como sempre acontecia. Lancei meus braços em volta do seu pescoço e Justin apertou mais minha cintura, nossas línguas se enroscavam de forma maravilhosa. Dei uma mordida no seu lábio inferior e o puxei para mim enquanto nos encarávamos.
- Arrumem um quarto! - Thomas gritou e nós rimos.
Abracei Justin fortemente e sussurrei em seu ouvido
- Eu te amo, marido - Justin se esquivou e me olhou 
- Eu também te amo, senhorita Bieber.
[...]
- Eu só gostaria de agradecer a presença de todos aqui essa noite tão especial para mim - Justin dizia no palco improvisado no meio do salão, onde um DJ estava - E antes de todos voltarmos a dançar e comer, eu quero fazer algo. 
Uma luz branca se focou em Justin quando ele desceu do pequeno palco e ficou há alguns metros de mim, ele sorriu e eu retribuiu. 
- É uma pequena surpresinha - ele disse e eu ri fraco, Justin olhou para o DJ e o mesmo assentiu e os acordes de um piano começou a tocar. 
[Leiam essa parte com essa música: All Of Me]

What would I do without your smart mouth
O que eu faria sem sua boca esperta

Drawing me in and you kicking me out
Estou me arrastando e você me está me dispensando

Got my head spinning, no kidding
Estou com a cabeça a mil, sem brincadeira

I can't pin you down
Não posso te forçar a nada

What's going on in that beautiful mind
O que está se passando nessa bela cabeça

I'm on your magical mystery ride
Estou passando pelo seu mistério mágico

And I'm so dizzy, don't know what hit me
E estou tão confuso que não sei o que me atingiu

But I'll be alright
Mas eu vou ficar bem

Quando Justin começou a cantar, um silêncio imenso tomou conta do salão, e eu fiquei imersa com ele cantando belamente, uma música tão perfeita.

My head's under water
Minha cabeça está embaixo da água

But I'm breathing fine
Mas estou respirando bem

You're crazy and I'm out of my mind
Você é louca e eu estou fora de controle

'Cause all of me
Porque tudo de mim

Loves all of you
Ama tudo em você

Love your curves and all your edges
Ama suas curvas e todos os seus limites

All your perfect imperfections
Todas as suas perfeitas imperfeições
 
Give your all to me
Dê tudo de você para mim

I'll give my all to you
Eu te darei meu tudo

You're my end and my beginning
Você é o meu fim e meu começo

Even when I lose I'm winning
Mesmo quando perco estou ganhando

'Cause I give you all of me
Porque te dou tudo de mim

And you give me all of you oh
E você me dá tudo de você oh

How many times do I have to tell you
Quantas vezes tenho que te dizer

Even when you're crying you're beautiful too
Que mesmo quando você está chorando você continua linda

The world is beating you down
O mundo está te massacrando

I'm around through every mood
Estou por perto a todo o momento
 
You're my downfall, you're my muse
Você é minha ruína, você é minha musa
 
My worst distraction, my rhythm and blues
Minha pior distração, meu ritmo e tristeza
 
I can't stop singing
Não consigo parar de cantar
 
It's ringing, in my head for you
Está tocando uma música em minha cabeça para você

My head's under water
Minha cabeça está embaixo da água

But I'm breathing fine
Mas estou respirando bem

Eu tinha noção de que minha maquiagem estava um horror e eu chorava desesperadamente, mas por Deus, ele não havia acabado de cantar que eu continuava linda mesmo chorando? Será que é possível amar tanto um homem como eu amo Justin?

You're crazy and I'm out of my mind
Você é louca e eu estou fora de controle

'Cause all of me
Porque tudo de mim

Loves all of you
Ama tudo em você

Love your curves and all your edges
Ama suas curvas e todos os seus limites

All your perfect imperfections
Todas as suas perfeitas imperfeições

Give your all to me
Dê tudo de você para mim

I'll give my all to you
Eu te darei meu tudo

You're my end and my beginning
Você é o meu fim e meu começo

Even when I lose I'm winning
Mesmo quando perco estou ganhando

'Cause I give you all of me
Porque te dou tudo de mim

And you give me all of you oh
E você me dá tudo de você oh

Give me all of you
Me dá tudo de você

Cards on the table, we're both showing hearts
As cartas na mesa, estamos mostrando os nossos corações

Risking it all, though it's hard
Arriscando tudo, apesar de isso ser difícil

Eu queria que ele parasse para poder correr ate ele e abraça-lo, dizer milhoes de vezes que eu o amo e que ele é  meu tudo.
'Cause all of me
Porque tudo de mim

Loves all of you
Ama tudo em você

Love your curves and all your edges
Ama suas curvas e todos os seus limites

All your perfect imperfections
Todas as suas perfeitas imperfeições

Give your all to me
Dê tudo de você para mim

I'll give my all to you
Eu te darei meu tudo

You're my end and my beginning
Você é o meu fim e meu começo

Even when I lose I'm winning
Mesmo quando perco estou ganhando

'Cause I give you all of me
Porque te dou tudo de mim

And you give me all of you oh
E você me dá tudo de você oh

I give you all of me
Te dou tudo de mim

And you give me all of you oh
E você me dá tudo de você oh

- Eu te amo muito, amor – foi o que ele disse depois de cantar e entregar o microfone para o DJ.  Caminhei ate Justin e quando estava proxima o suficiente, o abracei com toda a força que eu podia, enquanto ele acariciava minhas costas  e beijava o meu pescoço.
- Você é incrivel – falei o olhando nos olhos – Eu te amo muito, Justin, muito. – o puxei para um beijo arrancando gritos histericos de todos que estavam ali.
A festa foi muito melhor do que a primeira que tivemos, eu não sei dizer ao certo, mas nós pareciamos mais maduros naquela noite. Talvez mais apaixonados, impossivel, por que nós nos entregamos um ao outro completamente. Nós demos o nosso melhor tanto em nosso relacionamento quanto aos nossos filhos.
Se um dia eu cheguei a pensar que jamais conseguiria perdoar Justin, eu estava muito enganada. O mundo precisa de amor, e porque eu perdoaria uma chance maravilhosa de ter alguém como Justin ao meu lado, ele se mostrou arrependido não é?
Ele fez de tudo para ganhar e merecer o perdão, e se alguém que ainda acredita que aceitar desculpas é apenas palavras, apenas olha para as pessoas que sentem amor de verdade.
Pode ser terrivelmente doloroso ser traída, mas o sentimento de amar um homem é muito maior, e a forma que ele retribuiu os seus sentimentos é maior ainda. Toda a dor que você senti vai sumindo aos poucos e você nota que o ama mais do que um dia já amou.
Eu nunca odiei Justin, apenas senti um medo absurdo de não poder morrer ao lado dele.
Eu amo o homem com quem eu me casei, e isso é o que realmente importa. E continuando com o pensamento de uma garotinha sonhadora, eu concluo que um dia eu irei dizer: "Nós fomos felizes para sempre e nem a morte nos separou"

E agora moças, como será minha vida sem Jatherine? 
Bom, eu não tenho muito o que dizer aqui por que eu não to bem com o término de OBF.
Vou fazer os devidos agradecimentos no Epílogo que eu posto mais tarde, se eu consegui gente! A att dupla ia ser hoje mas acho que nem o meu pc quer que essa fic termine.O meu carregador deu piti e eu to sem not, como hoje eu não tinha aula eu dormi na casa da minha vó e só hoje eu consegui finalizar o capítulo, por isso que eu não postei mais cedo.
Nesse momento eu to saindo com a minha vó e não sei que horas vou voltar e meus pais vem me buscar lá pelas sete horas então se eu não conseguir postar hoje, mil perdões okay? Porque o epílogo tava pronto, só que eu esqueci de passar para o pen drive e ficou no not, ou seja, eu me fudi!.
É isso, ate e beijoooookas :)