25/03/2014

Only Best Friends Second Season: Capítulo 5 - The end of Jatherine

47 comentários: | |

Justin Bieber P.O.V
- Eu quero divórcio!
Todas os dias em que passei ao lado de Katherine, desde a primeira vez que senti seus lábios aos meus, passaram-se como um enorme filme. Cada sorriso, cada lágrima, cada briga, cada detalhe de nossas vidas. Eu já tinha experimentado ficar sem ela por um tempo, mas jamais passou em minha mente que eu estaria me separando dela. Que eu jamais poderia acordar ao seu lado e que eu não a teria mais. E tudo isso por minha culpa.
Eu juro, eu juro por todo esse mundo, que eu fiz de tudo. Que eu tentei com todas as minhas forças fugir da tentação, mas eu não consegui. Fui fraco e admito isso. Só que nenhum arrependimento seria capaz de consertar meu erro, nenhum arrependimento faria com que Katherine me perdoasse.
Eu era um idiota. Justin Bieber é um completo otário!
- Kath! Kath olha aqui para mim - me aproximei dela rapidamente e segurei em seus braços - Eu amo você, não faz isso comigo, por favor
- Você é idiota, nada do que falar irá mudar minha decisão - falou séria olhando em meus olhos -  Você não tem noção do quanto eu estou decepcionada com você, eu quero distância de tudo que tem haver com você - ela puxou seus braços tentando se soltar, mas eu segurei com mais força - Esta me machucando
- Será que da pra me escutar? Eu te imploro, fico de joelhos se for preciso, mas me escuta - ela ficou em silêncio enquanto nos encarávamos nos olhos, seus olhos se encheram de lágrima e ela comprimiu os lábios tentando não deixá-las cair, o que foi em vão - Eu não posso te perder, esta entendendo? Não posso ficar sem você de novo, eu... eu tentei amor, eu fiz de tudo para me esquivar
- E VOCÊ NÃO CONSEGUIU - ela gritou chorando - Sabe o que isso significa? Que você queria - neguei - Sim, você queria... você queria transar com ela - falou com nojo e repulsa
- Isso é coisa da sua cabeça - falei - Eu não queria transar com ela, Katherine. Ela me seduziu porra!
- Eu vi o jeito que você olhou para aquela vadia no quiosque, eu vi Justin. Você sorria como nunca, vocês conversavam sobre quando namoravam, como queria que eu me sentisse? Vendo o meu marido, o homem da minha vida, falando sobre o seu relacionamento com sua ex-namorada, hein? Como mulher eu pudi muito bem distinguir qual era o tipo de mulher que Amanda é, e sabe qual foi minha conclusão? Que ela é uma vadia, uma ordinária que tem prazer de destruir a vida dos outros, não é mesmo? Que tal uma mal comida também? Deve ser por isso que ela deu em cima de você não é?
- Para! Para de falar essas coisas, não a deixe destruir nosso casamento - implorei soltando seus braços para segurar suas mãos, Katherine as puxou e cruzou seus braços
- Sabe o que é engraçado Justin? - ela andou para o outro lado da sala, me virei e fiquei a encarando - Agora você diz todas essas coisas; que me ama, que fez de tudo, que não pode ficar sem mim. Mas você não moveu um dedo para me ligar, não que de alguma forma eu iria te atender, mas você algum minuto ligou para Pattie, pelo menos para saber como seu filho estava? - engoli em seco - Você não se importou em voltar para Nova York quando viu que eu tinha ido embora
- Claro que me importei, era o que eu mais queria fazer, mas Ryan disse que seria melhor deixar você pensar - ela riu incrédula
- E desde quando a opinião do seu melhor amigo interferiu em alguma decisão sua? Que eu saiba você é a pessoa que mais odeia, nesse mundo, receber ordens. PORRA, ERA O NOSSO CASAMENTO QUE ESTAVA EM JOGO. E TAMBÉM O BRIAN, QUAL SERA A REAÇÃO DELE JUSTIN? O que eu vou dizer para o nosso filho?
- Amor...
- Para de me chamar desse jeito - disse entre dentes -, entenda que você não tem mais moral nenhuma de me chamar assim. Não tem o direito
- Eu ainda sou seu marido - falei vitorioso
- Não por muito tempo - respondeu - Eu já liguei para a minha advogada, em instantes ela estará aqui
E então, Kath se virou e seguiu para a cozinha. Sentei no sofá e escondi meu rosto em meus cabelos. Não podia ser, estava acabado.

Katherine Collins Bieber P.O.V
Me encostei no balcão da cozinha e respirei fundo, meus olhos ardiam indicando que eu precisava liberar minhas lágrimas. Eu queria ser forte, mas eu não era. Escorreguei ate me sentar no chão e abracei meus joelhos, coloquei minha cabeça entre meus braços e permiti que as lágrimas fossem liberadas.
Senti alguém me tocar na cabeça e levantei meus olhos para ver quem era
- Putê você ta chorando mamãe? - sorri fraco para ele e o sentei em meu colo - Eu não gosto de te ver chorando
- A mamãe só esta triste, só isso
- Se eu te der um beijinho sara? - Brian perguntou com seus olhinhos brilhando. Assenti sorrindo e então ele deu um longo beijo em minha testa - E aí?
- Bem melhor - ele sorriu e me abraçou
- Kath? - Pattie apareceu na cozinha. Seus olhos estavam vermelhos e ela parecia cansada - O almoço já esta na mesa - assenti fracamente e olhei para Brian
- Quer comer já? - perguntei, fazia pouco tempo que havíamos acordado
- Agora não, eu quero ficar com o papai - ele se levantou do meu colo e coreu para a sala. Me levantei e fui ate a sala de jantar, preparei um prato pequeno para mim e sentei em frente a Pattie. Respirei fundo e comecei a almoçar
- Eu sinto muito por tudo - ela sussurrou, a olhei e em seguida abaixei a cabeça
- Eu também sinto - dei de ombros - Sabe Pattie, desde pequena sempre sonhei em construir uma família, todo menina sonha com isso, eu acreditava que um dia eu encontraria um homem que me fizesse feliz como ninguém e que me desse um filho - sorri - Em hipótese alguma eu imaginei que esse homem seria Justin e, agora, eu vejo que consegui realizar esse sonho mas... tudo o que é bom dura pouco. Eu aprendi que qualquer sonho, por mais pequeno que seja, pode realizar, mas a verdade é que ele sempre acabará um dia. Nada nesse vida é eterno, a felicidade nunca é cem por cento e... a prova disso é o que esta acontecendo comigo hoje. Eu estou me divorciando e isso com certeza não fazia parte do meu sonho. Coisa ingênua não?- ri e ela sorriu fraco -, quando criança você nunca enxerga as coisas ruins, nunca pensa que alguma coisa ruim pode acontecer e estragar tudo. E quando você cresce e essa coisa ruim vem acontecer você enxerga a si própria com uma idiota e iludida. É como eu estou me sentindo - dei de ombros novamente - Só quero acreditar que se acabou foi por algum motivo melhor, e também quero acreditar que um dia eu vou ser capaz de sorrir novamente!

Duas horas depois

- Olá senhorita Collins - Genna, minha advogada, falou assim que eu abri a porta da sala da casa de Pattie
- Oi Genn! - falei sorrindo fraco - E já disse que é para me chamar de Kath - fingi estar brava e ela sorriu - Fique á vontade
Genna assentiu e se sentou na poltrona, respirei fundo enquanto prendia meu cabelo em um rabo de cavalo e me sentei em sua frente
- Desculpa ter ligado ontem aquela hora para você - me desculpei
- Não há problema - deu de ombros 
- Er, Justin já deve estar descendo - ela assentiu. Alguns minutos depois, Justin apareceu na sala com uma expressão séria e se sentou ao meu lado 
- Bom, será que podemos nos sentar em uma mesa? - perguntou Genna - Será melhor, por conta dos papéis
- Claro! - nos levantamos e seguimos ate a sala de jantar. Genn sentou na cadeira da ponta, eu ao seu lado direito e Justin ao seu lado esquerdo. Apoiei minhas mãos na mesa e fiquei as observando 
- O divórcio é de vontade dos dois? 
- Não! - falou Justin pela primeira vez - Eu não concordo com isso, eu não vou assinar porra nenhuma. Não vou me separar de você - disse me encarando
- Justin, por favor, colabora - pedi escondendo meu rosto com as mãos 
- COLABORAR KATHERINE? NÃO, EU NÃO VOU FAZER ISSO! EU AMO VOCÊ, CARALHO
- Senhor Bieber, se acalma - pediu Genna abismada 
- Katherine - ele se levantou e se ajoelhou ao meu lado -, hey meu anjo, vamos recomeçar vai? Nós nos amamos, não podemos ficar longe um do outro. E nosso filhinho, Kath? Ele precisa dos pais juntos, por favor, fica comigo - virei meu rosto para ele não ver que eu chorava - Você é minha princesa, só sou feliz com você. Olha aqui pra mim - implorou com a voz embargada - você é essencial em minha vida, Katherine. 
- Justin, entenda que... - me virei e olhei em seus olhos - isso tudo só esta acontecendo por causa de você
Ele engoliu em seco, abaixou a cabeça e fungou
- Não dificulta as coisas - falei baixinho -, assina o papel. Será melhor para nós
- O melhor para mim é ficar ao seu lado - falou - Eu não posso, eu não quero, eu não vou ficar sem ti, você é meu mundo 
Fiquei olhando em seus olhos por longos minutos, eu podia ver que Justin ainda tinha a esperança de que eu o perdoasse, mas isso não iria acontecer. Eu o amava, mas isso nunca seria o suficiente para perdoá-lo. Uma vez que a dor de uma traição é muito dolorosa.
Percebendo que eu não iria me render, Justin suspirou e secou seu rosto que estava molhado, se levantou e voltou a se sentar em seu lugar
- Então... - Genna voltou a falar depois de se recuperar do que havia acabado de ver - Eu vi na certidão de casamento que vocês tem parcial de bens, ou seja, toda a renda são dos dois - assenti - Isso mudará com a separação, lógico, porém Justin poderá deixar o que quiser para você
- Eu não quero nada 
- Katherine ficará com a casa e com o carro - falou Justin ignorando o que eu havia acabado de falar 
- Não, não e não! Já disse que não quero nada
- Faça isso - falou Justin, novamente me ignorando - Será melhor para Brian continuar morando na mesma casa, eu posso me virar comprando um apartamento ou morando com minha mãe - suspirou dando de ombros - Contanto que você e Brian fiquem com a casa 
- Tudo bem! - falei derrotada 
- Ok! - disse Genn - Agora em relação ao filho de vocês. Tem casais que fazem um acordo entre si, ou seja, não envolvem a justiça no meio para saber com quem que ficará a criança. Preferem como?
Um silêncio se estabeleceu por longos minutos
- Brian é muito apegado com você - falou Justin me olhando
- Ele também é muito apegado com você, Justin - ele bufou e passou as mãos no rosto
- Ta vendo? Não precisava de tudo isso - ignorei o que ele disse e me virei para Genna
- Poderíamos combinar de dividir a semana, por exemplo, três dias eu e três dias Justin - ela assentiu
- E como ficaria o último dia? - perguntou ela
- Brian poderia escolher - falou  Justin, ele estava cedendo as coisas tão fácil
- Tudo bem - falou Genna -, acho que já podem assinar os papéis
Comprimi os lábios e assenti, Genn entregou a folha de separação a mim e eu dei um lida rapidamente, peguei a caneta e assinei - com a mão trêmula - na linha que indicava meu nome. Entreguei o papel para Justin que o pegou sem animação alguma, ele leu também e depois me encarou por um bom tempo
- Me dê alguns minutos - ele sussurrou e se levantou indo ate a área do jardim. 

Justin Bieber P.O.V
Me sentei na beira da piscina e fiquei encarando um ponto fixo, eu me sentia um lixo, imundo. Não queria que acabasse daquela forma, Katherine me olhava com desprezo e isso me destruía. 
- Justin? - me virei e observei minha mãe sentar ao meu lado 
- Eu não quero perdê-la, mãe - falei já sentindo meus olhos arderem 
- Eu sei disso filho e sei que Kath também não quer - falou docemente enquanto me abraçava de lado - Só entenda que agora ela precisa de um tempo, tente encarar isso como um pausa, não?
- E se não for mãe? E se ela nunca me perdoar? O que será de mim sem nunca mais poder sentir seu beijo, nunca mais poder acordar ao lado dela? Eu a amo mãe, amo tanto que chega até doer
- Você sabe que tudo isso é consequência, não sabe? - assenti - Sabe que se não fosse por você, tudo estaria bem, eu não estou jogando na sua cara o que você fez, só estou querendo dizer que... Justin, você terá que seguir em frente, terá que se conformar com o que acontecerá e ter consciência de que uma hora ou outra você e Katherine terão que tornar amigos - quando ela disse a palavra amigos, todas as lágrimas que eu segurava escaparam e então meus soluços começaram a se tornar alto -, por conta de Brian, ele é quem, com certeza, irá sofrer mais no meio de tudo isso. Eu sei o que você esta passando, por que já passei por isso filho, e a única solução é seguir em frente.  Quem precisará de atenção agora é ele, Justin. Você e Kath tem que triplicar a atenção e o carinho. E mais uma coisa - ela sorriu -, pode ter certeza de que se depender de Brian, você e Katherine não ficarão por tanto tempo separados
- O que quer dizer com isso? - ela riu 
- Você não conhece o filho que tem? - ri fraco - Ele é um pestinha e fará de tudo para reaproximar vocês todos, agora você só tem que deixar tudo agir naturalmente, não forçar a barra
- Tudo bem - respirei fundo -, acho melhor eu ir assinar o divórcio - falei triste. Pattie assentiu e nos levantamos. Voltei ate a sala de jantar onde Genna e Kath continuavam do mesmo jeito, me sentei e segurei a caneta, peguei a folha e assinei. 
Então esse era o fim de Jatherine? 
Esse realmente era o nosso destino? Ficar separados e sem um ao outro?
Só esperava, de todo o meu coração, que isso não fosse o fim de nossa história. Por que eu sabia que ainda tinha muita coisa para acontecer com nós dois. Tentava acreditar que era apenas um obstáculo para provar que nosso amor sempre prevalece, apesar de todos os meus erro e de sua gravidade. 

De Katherine Collins Bieber, para apenas Katherine Collins. De Justin Bieber, o cara casado com a mulher mais perfeita, para o cara mais idiota e sozinho do mundo.

Será que esse irá ser mesmo o fim do meu casal predileto? Buá, Jatherine ended! Choremos!
Agora se preparam para um nova Kath, haha
Essa será super hiper mega plus CONFIANTE! Justin escreveu Confident para essa nova fase dela sem mesmo saber hahahaha brincadeirinha!
Acho que daqui uns dois capítulos o Dylan entra na história.
Eu vi que muuuuuitas meninas querem que Kath fique grávida, bom eu ainda estou pensando nesse hipótese, mas se vocês realmente quiserem que coloco de boa! Seria ate um dos motivos para reaproximar os dois, os outros será Brian é claro e mais unzinho que eu não vou falar
UMA COISA SUPER IMPORTANTE; eu estava pensando seriamente em passar OBF para o anime, e no capítulo anterior uma leitora ate comentou sobre isso então eu decidi passar. Já passei as duas temporadas, então quem tem conta lá e prefere ler por lá, favoritem ok?
Ta aqui o link - segunda temporada, ok? - 
e quem favoritar pode me pedir para adicionar lá ok?
Beijokas e ate o próximo capítulo :)

19/03/2014

Only Best Friends Second Season: Capítulo 4 - Just one word: divorce

50 comentários: | |
                  
Katherine Collins Bieber P.O.V
- Kath, por favor vamos conversar
- Tira a mão do volante – berrei –, eu só quero ir embora. Me deixe ir Justin, por favor. Eu só preciso ficar sozinha – coloquei minhas mãos em meu rosto e comecei a soluçar
- Por favor – ele implorou
- Eu não quero ouvir sua voz, eu não quero te ver
- JUSTIN! – virei meu rosto e ri incrédula ao ver Amanda correndo ate o carro
- Tira a mão agora – tentei empurra-lo para poder ligar o carro – Anda, solta caramba, vai com a Amanda
- Katherine olha para mim
- Justin deixe ela ir – falou Amanda pegando seu braço
- ME LARGA PORRA! – ele gritou – VOCÊ NÃO TA VENDO O QUE FEZ?
- Eu não te obriguei a nada – ela falou - Não tenho culpa de nada. Aliás o problema não é meu se o seu marido não consegue se segurar quando vê... 
- SUA VADIA! – grunhi sem deixá-la terminar. Abri a porta fazendo-a bater em Justin, ele gemeu de dor e eu fui para cima da Amanda. Lhe lancei um tapa em sua cara e ela soltou um gritinho, sem esperar ela reagir, a empurrei e subi em seu colo assim que Amanda caiu no chão. Eu estava fora de mim, a raiva e a dor transbordava e eu precisava descontar em algo. Cerrei meu punho e acertei um soco abaixo do seu olho, seu rosto virou para o lado e no mesmo instante ela recebeu mais um tapa.
Amanda não demorou para reagir, suas mãos agarraram meu cabelo e começou a puxa-los com força, grunhi de dor e segurei seus punhos para tentar fazer ela soltar. Ela então me empurrou e minhas costas bateu com tudo no chão, segundos depois senti seu peso sobre meu corpo e meu rosto ardeu. Se ela pensa que vou apanhar, ela esta enganada. Com meu joelho, bati com força em suas costas e Amanda se curvou, aproveitei sua deixa e dei um soco em sua barriga, ela caiu para o lado e antes que eu pudesse subir nela novamente, senti duas mãos segurar meus braços e me puxar para cima
- ME LARGA! – gritei e virei o rosto para ver quem me segurava – RYAN ME LARGA
- Katherine para! – ele me chacoalhou olhando em meus olhos – Bater nela não vai adiantar em nada
Virei meu rosto e fiquei encarando Amanda se levantando, ela me olhou com ódio e depois disse
- Eu não tenho culpa se você não foi o suficiente para Justin. Admito, deixei bem claro o que eu queria – ela riu – e ele simplesmente não resistiu
Puxei meu braço – que Ryan segurava – e caminhei ate Amanda que estava sendo segurada por Chaz. Justin nos encarava perplexo. Segurei seu rosto com força a obrigando olhar em meus olhos
- Você já destruiu meu casamento, já apanhou e ainda não esta satisfeita? – ela revirou os olhos e com esse ato eu dei mais um tapa em sua cara. Da sua boca saiu mais um gemido - Você é uma vadia
Passei minhas mãos em meu rosto, o secando e respirei fundo. Olhei para Justin e ele sustentou o olhar. Senti uma lagrima escorrer demoradamente em meu rosto, não fiz o esforço de limpá-la. Eu queria que ele visse o tanto que havia me machucado. Seus lábios estavam entreabertos e sua respiração ofegante, ele só estava de calça deixando seu peitoral musculoso á mostra. Me aproximei dele e fiquei na ponta dos pés para olhar em seus olhos
- Espero que você se arrependa do que fez – sussurrei – agora... podem terminar o que começaram
Ele abaixou o olhar e suspirou, achei que falaria algo, mas não ousou olhar em meus olhos novamente. Olhei novamente para Amanda e sorri fraco ao ver o estrago que eu havia feito em seu rosto. Mas nada seria comparado a sentir na pele a dor de uma traição. Alguns tapas e socos não chegavam nem perto do que eu sentia no momento. Meus olhos pararam em Ryan que me olhava piedoso
- Ry, você pode me levar? - minha voz saiu falhada por conta do choro. Ele assentiu e então caminhamos ate o carro e dessa vez Justin não me impediu de fazer tal ato. 
- Katherine? - fechei os olhos ao ouvir sua voz, me virei e o fiquei encarando, esperando-o continuar. Ele olhou em meus olhos e falou alto, para que todos que assistiam a cena ouvissem - Eu nunca vou deixar de te amar - engoli em seco e sem demonstrar a fraqueza que suas palavras causaram em mim, apenas sorri falso e cerrei os olhos
- Problema é seu! 
[...]
"- Alô? - a doce voz de Pattie inundou a linha. Assim que ela ouviu meus soluços, entrou em desespero - Katherine, é você? O que houve? Por que você esta chorando?
- P-Pattie me a-ajuda - implorei
- Pelo amor de Deus, me diz o que aconteceu
- O J-Justin... ele me traiu - sem acreditar, Pattie ficou muda por longos segundos enquanto só se ouvia meu choro compulsivo. Eu não conseguia controlar, a dor era tão grande. Tudo, tudo o que criamos havia sido destruído. Tudo o que construímos em todos esses anos que ficamos juntos, havia acabado. 
- Ah Kath - lamentou com a voz embargada -, ele não fez isso. Não, não pode ser
- Ele fez Pattie, ele me traiu. Ta doendo tanto - solucei -, por que ele fez isso comigo? O que eu fiz para merecer toda essa dor? Será que não sou o suficiente?
- Não diga isso querida, você é uma mulher incrível
- Então por que ele preferiu outra? - gritei - Sabe como eu estou me sentindo? Uma inútil, uma inválida. Alguém que não capaz de segurar o homem da sua vida
- Para de dizer essa coisas
- Eu estou voltando para Nova York hoje - falei séria - Quando chegar, passo ai para pegar Brian e... vou para casa
- Kath, onde esta Justin?
- Eu mandei ele ficar na casa de Robert. Não quero ver ele - choraminguei 
- Fique ai, vocês conversam e resolvem a situação 
- NÃO! Eu não vou conversar com ele, não tem nada para resolver entre nós. Acabou Pattie, acabou.
- Querida...! Eu sinto muito
- Eu já comprei a minha passagem, chego aí de madrugada
- Tudo bem, eu te espero
- Obrigada Pattie, obrigada!"
[...]
Coloquei minhas malas ao lado da cadeira e me sentei. Por mais que já estivesse escuro, eu usava um óculos escuro por dois motivos: para não me reconheceram e por conta da situação em que meu rosto se encontrava. 
Desbloqueei a tela do meu celular e fechei os olhos ao ver uma foto minha junto com Justin e Brian. Tratei de trocá-la colocando uma somente do Brian. Meus pensamentos estavam vagos, a cada segundo um sentimento novo nascia dentro de mim. Eu sentia meus pelos se arrepiando e uma dor aguda no meu peito, era como se eu estivesse morrendo aos poucos. Como se eu pudesse sentir os pedaços do meu coração se partindo. "Última chamada para o voo 453, rumo a Nova York" fui tirada dos meus pensamentos por aquela voz irritante. Suspirei me levantando e segurando minhas malas. Caminhei ate o portão de embarque e ao passar por ele, senti uma lágrima escorrer pelo meu rosto. Mordi o lábio inferior e engoli em seco. 
Se Justin queria terminar nosso casamentos dessa forma, tudo bem, ele conseguiu. Não vou ficar pensando em coisas do tipo "ele tem que ver o que perdeu". Não, não vou ser tão convencida a esse ponto, eu só tenho que pensar que dei meu melhor e ele não soube aproveitar. Eu me entreguei de corpo e alma para o nosso relacionamento, e infelizmente não deu certo.
Só desejo uma coisa nesse momento: que eu possa me recuperar. Por que viver sem ele, sempre esteve fora da minha lista de sobrevivência. Eu o amo mais que a mim mesmo, mas isso já não importa mais. 
[...]
O táxi parou em frente a casa de Pattie, ás exatas uma da manha. Paguei a corrida e o simpático motorista me ajudou a levar as minhas malas ate a porta de entrada. O agradeci mais uma vez e o observei partir. Me virei para a porta e suspirei, apertei a campainha e esperei por alguns segundos.
Ouvi o som da porta sendo destrancada e logo em seguida Pattie apareceu vestida em um hobby de seda. No mesmo instante meus olhos se encheram de lágrimas, pulei em seus braços e a abracei fortemente, como se isso pudesse de alguma forma tirar toda a dor que eu sentia. 
- Calma, vai ficar tudo bem - ela sussurrou docemente. Peguei minhas malas e as deixei no canto da sala, em seguida me sentei ao lado de Pattie no sofá. Deitei minha cabeça em suas pernas e ali eu me permiti chorar tudo o que eu não chorei. Sim, eu já havia chorado, mas ainda não era o suficiente, eu tinha que continuar colocando para fora. Meus soluços eram altos e ás vezes eu tossia por conta da falta de ar repentina. Minha boca estava entreaberta para poder respirar melhor, já que meu nariz estava entupido.
Depois de quase meia hora chorando, respirei fundo e me sentei, sequei meus rosto com a manga do meu moletom e prendi meu cabelo em um coque. Olhei para Pattie, que estava com seus olhos lagrimejados e mordi os lábios 
- Brian esta dormindo? - perguntei e ela negou
- Estávamos assistindo um filme no meu quarto, quando eu disse que você voltaria hoje ele disse que queria te esperar - sorri fraco 
- Ele não perguntou do... - me interrompi
- Sim, ele perguntou - ela suspirou - Eu só disse que ele voltaria depois, só isso - assenti
- Posso vê-lo? - perguntei chorando novamente 
- Claro, vamos lá - nos levantamos e seguimos ate seu quarto. Assim que Pattie abriu a porta, Brian olhou para nós e sorriu radiante ao me ver. Ele deu um pulo da cama e correu ate mim, me agachei e abri meus braços, senti seus pequenos bracinhos envolver meu pescoço e ele escondeu seu rosto na curvatura do meu pescoço. Sentei no chão e o apertei mais, um soluço escapou de minha boca e no mesmo instante Bry desfez o abraço e me olhou
- Por que mamãe ta chorando? - perguntou. Seus olhinhos estavam brilhando, demonstrando que ele iria chorar também
- Só estava com saudades de você, meu amor - sorri e o abracei novamente
- Eu também estava, mamãe - ele sussurrou 
- Kath, por que você não dorme aqui essa noite e amanha vocês vão para casa? - Pattie perguntou e eu assenti concordando. Era melhor - Vou preparar a cama para você - ela saiu pelo corredor e eu sorri fraco para Brian
 - Dorme comigo? - perguntei e ele assentiu. Fiquei olhando para ele em silêncio, ate ele soltar uma risada
- O que foi?
- Eu te amo tanto, meu anjinho - Bry riu e acariciou minha bochecha com suas pequenas mãozinhas 
- Eu também te amo mãe, muitão - ele pulou em meu colo e eu ri o abraçando firme. 
Alguns minutos depois, Pattie voltou ate seu quarto e avisou que o quarto de hospedes já estava pronta para mim. Eu e Brian seguimos ate lá e nos jogamos na cama, começamos a conversar. Ele me contava tudo o que tinha feito nesses dois dias, enquanto eu ouvia atentamente e acariciava seus fios loiros.
Estar com ele me fazia sentir viva e feliz, apesar de não estar no meu melhor dia. Brian era a pessoa mais importante na minha vida e de alguma forma, mesmo não sabendo, ele estava fazendo eu me sentir melhor. 
- Vamos dormir agora? - perguntei assim que percebi que Bry estavam fechando seus olhos dourados
- Aham! - dei um longo beijo em sua testa e o cobri ate o ombro - Boa noite mamãe!
- Boa noite meu anjo - fiquei o observando ate ele pegar no sono, sua respiração serena me acalmava. Sorri fraco e me levantei, peguei um pijama em minha mala e fui ate o banheiro. Tomei um rápido banho e ao sair me vesti rapidamente por conta do frio. Prendi meu cabelo em um rabo e me deitei ao lado de Brian.
Puxei seu pequeno corpo o aconchegando ao meu e assim eu dormi. Tentando ao máximo esquecer todos os problemas que vinha me atormentando.

Justin Bieber P.O.V
- Por que eu não posso ir agora? - berrei para Ryan - Katherine voltou para Nova York sem me avisar
- E ela ta errada? - ele perguntou - Cara, você traiu sua esposa e ainda acha que tem o direito de ficar bravo por que ela voltou para Nova York sem avisá-lo? Ah meu irmão, eu achei que você tivesse um pouco de consciência
- Ryan, não me enche ta legal? - bufei e me joguei no sofá do chalé. Era em torno das quatro da manhã, eu só havia voltado a alguns minutos e não encontrei Katherine aqui. Nem ela e nem seus pertences.
Ryan se sentou na poltrona de frente a mim e apoiou seus cotovelos nos joelhos. Minhas mãos escondiam meu rosto para não deixar que Ryan me visse chorando
- Não adianta chorar Justin - ele falou - Você errou e feio.
- Eu sei disso - sussurrei -, e me arrependo tanto
- Me diz o por que de ter feito isso
- E-eu não sei, ela, a Amanda me empurrou para o quarto quando eu estava indo para o banheiro, e começou a se insinuar para mim. Ela estava agindo como uma vadia mas.... aquilo tava chamando a minha atenção. Eu tentei Ryan, eu juro que tentei de tudo para não partir para cima dela. Mas eu não consegui - soquei o braço do sofá e puxei os meus cabelos. Me levantei e fui ate a janela, fiquei encarando a rua ate sentir as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. Não medi esforço algum para secá-las. Eu estava sofrendo.
Katherine. Eu amo tanto aquela mulher e veja o que eu fiz. Eu simplesmente destruí meu casamento, por culpa da maldita tesão. Estava tão arrependido, o que será que eu poderia fazer para ela me perdoar?
Eu não podia perde-la, não podia deixá-la escapar entre meus dedos. Não, eu não podia. Ela é a mulher da minha vida e viver sem ela estava fora de cogitação para mim.
E ver ela chorando, ver a dor em seus olhos, ver o quanto ela estava magoada comigo... aquilo me partiu. Aquilo me quebrou, por que a última promessa que fiz a ela, foi que eu jamais a machucaria. E tudo que eu fiz foi machuca-la.
Mas então, a imagem de Amanda mexendo seu corpo de forma sensual, invadia meus pensamentos e eu não conseguia tira-lá de lá. E eu queria me matar por isso, a quem eu queria enganar? Amanda mexe comigo, mas não da forma de anos atrás, é só uma... simples atração. Só isso.
- Você pensa na possibilidade de Kath querer pedir...
- Não, não fale isso - o interrompi engolindo em seco - Ela não pode fazer isso
- Justin - ele sussurrou -, desculpe te dizer, mas ela pode sim fazer isso e, creio que Katherine não pensará duas vezes.
- Eu só não quero perde-la - murmurei - Eu amo a Katherine, Ryan. Amo tanto, ninguém sabe o quanto. Só que eu tenho um ódio tão grande de mim por que... - pausei bufando
- Por que o que?
- Porque o meu corpo deseja a Amanda. Isso não podia acontecer, eu não podia sentir atração por outra mulher - me virei para ele - Eu não podia, eu não posso.

Um dia depois...

Katherine Collins Bieber P.O.V
Assim que terminei de descer as escadas da casa de Pattie, Brian agarrou minhas pernas e puxou minha blusa
- O que foi pestinha?
- Eu ganhei um presente do vovô - ele respondeu sorrindo
- O que ele te deu? - perguntei curiosa.
- Vem ver - ele segurou minha mão e me puxou ate a parte do fundo da casa.
Era o segundo dia que eu passava na casa de Pattie, Justin não havia voltado ainda, e isso me fazia pensar que ele realmente queria fazer... aquilo com Amanda. Porem, eu sabia que ele iria voltar hoje, já que iriamos passar apenas quatro dias na Califórnia. E hoje era o último.
Estava na hora do almoço e eu deduzia que ele estava prestes a chegar. Por mim eu estaria em minha casa, mas a pedido de Pattie e para o bem de Brian, eu fiquei dormindo aqui. Ao chegar no quintal arregalei os olhos
- Gostou? - perguntou Bry animado, olhei para ele e ri
- Ele é lindo - me aproximei do enorme labrador e me sentei ao seu lado
- É menina, mamãe - falou Brian - E ela se chama Layla
- Hum, já teu ate nome é? - perguntei e ele assentiu
- Eu gostei dela, a gente estava brincando ate agora
- É mesmo? - ele assentiu. O barulho do portão sendo aberto chamou nossa atenção, me virei e congelei ao ver Justin saindo do carro. Eu não estava preparada para vê-lo e muito menos conversar com ele.
- PAPAI! PAPAI, O PAPAI CHEGOU - Brian gritou e saiu correndo em direção a cozinha, me levantei relutante e percorri o mesmo caminho que o pequeno. Ao chegar na sala, vi Justin abraçando Brian fortemente e depois ele o colocou no chão. Os dois conversavam animados e Bry fazia Justin sorrir a cada segundo. Mas isso foi por pouco tempo, já que quando Justin percebeu que eu os observava, ele paralisou com os olhos arregalados, seus olhos lagrimejaram no mesmo instante e eu engoli em seco
- Filhão, você deixa eu conversar um pouquinho com a sua mãe? - ele perguntou docemente para Brian, o garoto assentiu e saiu correndo para o quintal. Respirei fundo e continuei no mesmo local esperando alguma palavra de Justin - Eu só preciso que você me perdoe - ele falou
- Eu vou ser clara e rápida com você - falei grossa -, apenas uma frase
- Você não pode falar isso - ele sussurrou já chorando

- Eu quero divórcio! 
É O SEGUINTE, 43 COMENTÁRIOS? É ISSO MESMO? OMB VOCÊS QUEREM ME MATAR NÃO É MESMO? PERCEBI QUE TODO MUNDO CHOROU, HAHAHA SOU MALVADA!
[desativando capslock] o capítulo ficou uma bosta que eu sei. Sobre a demora, me desculpem só que esse ano vai ser mais complicado para mim. Meus planos é entrar em uma escola técnica ano que vem e para isso eu preciso me esforçar hoje e tals. E eu realmente espero que vocês entendam quando eu demorar para postar, eu venho tendo muitas lições e quando vou escrever OBF, já estou cansada e sem criatividade. Dia 3 agora, eu tenho uma prova de um livro - chato por sinal - que eu tenho que ler, sem contar nas inúmera redações e trabalhos que eu tenho que fazer e entregar. E mais uma vez eu peço para que todas vocês tenham paciência de esperar os capítulos, pq meninas de qualquer forma eu tenho minha vida fora do blog. Minha mãe, por exemplo disse que eu estava muito preocupada com minhas fanfics e não estava me dedicando muito aos estudos e isso não era para estar acontecendo. Vocês já devem ter percebido que eu não estou postando com tanta frequência como eu postava a primeira temporada e infelizmente vai continuar assim. Pelos menos umas três ou duas vezes por semana eu garanto que posto. E espero que vocês não fiquem chateadas comigo, por favorzinho.
MAS TA, já falei demais. 
OBRIGADO POR TODOS OS COMENTÁRIOS DE OBF E DE BROKEN TBM TÁ?
E outra coisa, eu fiz uma novas capas ok? Quem quiser ver clica aqui:
Link da page que uma leitora fez para OBF: https://www.facebook.com/onlybestfriendss
É isso, beijokaaaas :)

12/03/2014

Only Best Friends Second Season: Capítulo 3 - Breaking your heart

48 comentários: | |

Katherine Collins Bieber P.O.V
Amanda Branwell. Eu conhecia muito bem esse nome, apesar de tantos anos sem ouvi-lo, eu me lembrava de quem foi Amanda. E confesso, que uma enorme insegurança tomou conta do meu corpo. Eu vi Justin se apaixonando por ela, vi ele se declarando e fazendo de tudo para tê-la. Tínhamos cerca de treze anos e creio que ela foi sua primeira namorada. Seu primeiro amor.
E o mais engraçado é que eu o ajudei a conquista-la, mas agora o que eu mais queria era que ela jamais estivesse aqui.

*Flashback on
- A MANDY ACEITOU!  ELA ACEITOU KATH! – Justin gritou assim que eu abri a porta da minha casa. Arregalei os olhos assustada enquanto ele gargalhava alto. Seu sorriso era de orelha a orelha o que fez com que me atingisse em cheio.
- AI MEU DEUS, SÉRIO? – ele assentiu e me pegou no colo, começou a me girar no ar ainda rindo – Parabéns, eu falei que iria conseguir! – falei assim que ele me colocou no chão
- Estou tão feliz, ela disse que sentia a mesma coisa por mim – sorri feliz por ele e o abracei novamente
- Mas olha – falei para ele –, não se esqueça de mim ok? – ele riu e me apertou
- Jamais pequena, jamais!
*Flashback off

Justin estava como os olhos levemente arregalados e com a boca aberta, eu faria qualquer coisa para saber o que ele pensava.
- Mandy... – ele sussurrou e se levantou. Amanda riu e abriu os braços quando Justin fez menção de abraça-la – Quanto tempo!
Quando ele a soltou, pude ver o tamanho do seu sorriso, aquilo me machucou de uma forma tão grande. Ele só sorria assim quando eu falava que o amava. Mordi os lábios fracamente e comecei a encarar minhas mãos
- Como você esta? – ele perguntou – Senta aqui, fique a vontade.
- Obrigada – ela sorriu e se sentou
- Ah já ia me esquecendo, essa daqui é Katherine minha esposa – ele olhou para mim e sorriu – Se lembra dela?
-Claro que sim – Amanda se curvou para meu lado e me abraçou brevemente – Como vai?
- Bem – sorri fraco e tomei um gole da minha bebida
- O que você ta fazendo da vida?- Justin perguntou interessado
- Eu me formei em pedagogia, tenho um consultório no Arizona – sorriu – É uma ótima área para se trabalhar – Justin assentiu – Mas então, eu nunca acreditei que vocês haviam se casado mesmo – ela riu – Vocês pareciam irmãos na época de escola
- Para você ver...! – ele sorriu orgulhoso – E você? Esta casada?
- Eu? Ha que nada, estou solteira a dois meses – falou enquanto olhava algo em seu celular – E o filhinho de vocês? Ele é tão lindo, já o vi por fotos
- Nós o deixamos com minha mãe
- Ahh dona Pattie, sinto tanta falta dela – cerrei os punhos, incrédula. – Ela é um amor de pessoa
Então Justin e Amanda começaram a conversar sobre muitas coisas, trabalho, família, relacionamentos e eu? Eu fiquei olhando os dois rirem, fiquei observando atentamente cada palavra que aquela mulher dizia, eu precisava me certificar de que ela não estava dando em cima do meu marido. Eu me sentia completamente excluída, não falava nada apenas mexia no meu celular enquanto os dois diziam como o tempo havia passado. Ou ate mesmo relembrando o passado.
Agora presta atenção, se um dia o primeiro amor do seu homem aparecer da Nárnia, fica a dica:
1- Mande ela se fuder.
2- Não deixe o seu homem oferecer um lugar na mesa em que você e ele esta.
3- Não deixe o seu homem relembrar o passado.
4- Não deixe o seu homem chama-lo por apelidos carinhosos, como: Mandy, Emy, Lily e o escambu!
5- Não seja tão tola como eu. Por favor!
Agora se você quer ser tola como eu, não siga as dicas citadas acima.
- Amor, eu vou pegar uma bebida por que a minha acabou – falei para Justin, que olhou para mim
- Tudo bem, se tentarem alguma coisa com você é só gritar – revirei os olhos e lhe dei um selinho saindo dali o mais rápido possível. Eu não aguentava mais ouvir a conversa dos dois.
  
Justin Bieber P.O.V
- Eu acho que Katherine não gostou muito de me ver – Amanda falou assim que Kath tomou uma certa distancia de nós
- Que? Claro que não – falei sorrindo. Dei uma bebericada em minha bebida enquanto observava Mandy. Era surreal encontra-la depois de tantos anos, nunca passou em minha mente que reveria ela aqui na Califórnia. Amanda Branwell foi meu primeiro amor e também minha primeira namorada, nós nos conhecemos na sétima serie e no colegial foi quando começamos a namorar. Não durou muito, apenas quatro meses, porem foram quatro meses maravilhosos. O motivo da nossa separação foi que sua mãe teve câncer nos pulmões e então ela e seus pais se mudaram para a capital com a intenção de melhores hospitais. Depois disso nunca mais nos vimos e nem nos falamos. Alguns meses depois eu e Caitlin nos aproximamos mais e foi então que começamos a nos relacionar.
- E sua mãe Mandy? – perguntei depois de um certo silencio. Ela suspirou, olhou para seus pés e depois colocou uma mecha de seu cabelo atrás da orelha
- Ela morreu depois de um ano que nos mudamos para Ottawa, o quadro dela nunca melhorou. Continuava piorando a cada dia
- Eu sinto muito – falei baixo, ela assentiu e voltou a olhar para mim. Seus olhos brilharam e ela tornou seu olhar fixo e intenso
- Você não faz ideia de como eu senti sua falta nesses anos Justin – engoli em seco e sorri sem graça – Eu vi você ser descoberto pelos seus vídeos e... crescer no ramo musical, vi você conhecendo garotas e começando a namorar – ela riu fraco – E eu nunca deixei de te amar
- Mandy...
- Não é engraçado? Você foi meu primeiro amor e ate hoje eu nunca amei alguém como eu te amei. Como eu te amo – ela pousou sua mão em cima da minha e começou a fazer círculos com seu polegar – E você, ama a Katherine? –  eu a olhei incrédulo e dei risada
- É claro que eu amo ela, Amanda. Kath é... nossa, a mulher da minha vida
Amanda não parecendo gostar da minha resposta, soltou o ar que segurava e revirou os olhos sorrindo fraco. Ficou em silencio por algum tempo e depois me pegou de surpresa ao começar a deslizar sua unha em meu braço
- Sabe o que eu acho Bieber? – ela perguntou baixo e de forma sensual – Que devíamos relembrar os velhos tempos.
Arregalei os olhos e abri e fechei a boca diversas vezes tentando achar algo o que dizer para reprimi-la. Sua proposta era inadequada, era tão absurda. Mas não deixava de ser tentadora.
- Amanda, não... – falei quando senti seu pé subir em minha perna por debaixo da mesa, fechei os olhos quando ela começou a acariciar a minha coxa e depois passou lentamente sobre meu membro – Vadia...! – grunhi e ela soltou uma risadinha não se afetando com a palavra
- Oh droga! – ouvi a voz de Katherine atrás de nós e no mesmo instante Amanda tirou seu pé de onde estava. Me virei e deparei com Kath olhando para sua blusa que estava toda molhada – Por que nasci tão desastrada senhor? – ela falou para si mesma e levantou os olhos para mim, ri da sua careta e apontei para a cadeira que ela estava sentada antes de sair. Kath se sentou nervosa e pegou alguns guardanapos na tentativa falha de ajudar em alguma coisa
- Fecha seu casaco por que sua blusa ta transparente – falei e ela me fuzilou
- Vai se ferrar! – Amanda soltou uma risada nasalada fazendo Kath fechar os olhos e inclinar a cabeça para o lado – Justin vamos embora, por favor?
- Ah amor esta cedo! – reclamei
- Eu não quero ficar nesse estado – bufei e me levantei
- Vamos então! – me virei para Amanda e sorri – Foi bom de te ver novamente Mandy
- Que isso Justin – ela sorriu maliciosa e eu a fuzilei – Amanha o pessoal vão para a casa do Robert, sabe? – assenti – Vocês vão também?
- Claro – respondi animado – Bom, nos vemos amanha – acenei com a cabeça, porem Amanda se levantou e praticamente se jogou em meus braços me abraçando, ri sem graça e retribui o abraço mais sem graça ainda
- Obvio que nos vemos amanha – ela respondeu em meu ouvido e em seguida deu um beijo delicado em minha bochecha – Tchau. Tchau Kath! – Amanda acenou para Katherine que estava entretida com a areia
- Tchau!
Assim que entramos no carro, Katherine soltou um longo suspirou e ligou o radio onde tocava Love The Way You Lie, enquanto eu batucava no volante e dirigia de volta para onde estávamos hospedados, Kath olhava para a paisagem em silencio e ás vezes bocejava. Aquele silencio estava me matando, eu queria saber o que ela tinha e o que pensava, não gostava da sensação de que eu tinha feito algo.
- Amor? – a olhei rapidamente e ela me ignorou – Amor?
- Que foi? – suspirou
- O que você tem? – ela demorou para responder, mas quando o fez fungou em seguida
- Só estou cansada – e então se calou novamente -, só isso!
[...]
Estacionei o carro na garagem do chalé e antes que pudesse desligar o carro de fato, Katherine desceu do mesmo e bateu a porta. A observei procurar a chave em sua bolsa e depois abrir a porta e então entrou. Bufei frustrado e desci do carro, ativei o alarme e entrei no chalé. 
Subi as poucas escadas e me direcionei para nosso quarto. O barulho da água denunciava que Kath estava tomando banho, caminhei ate a porta e praguejei ao ver que ela havia trancado.
Sentei na cama e esperei ela terminar o banho. Dez minutos depois, ela saiu enrolada em uma toalha e foi direto pegar um pijama no armário. Fiquei a observando e parecia que ela se irritava com isso. Me levantei e fui ate ela. Segurei seus braços e a virei para mim
- O que você tem? - repeti a pergunta que havia feito no carro
- Nada - respondeu simples me olhando nos olhos
- Diga a verdade para mim - pedi, ela abaixou o olhar e ficou em silêncio -, por favor
- Eu só estou me sentindo insegura - falou baixinho 
- No que?
- Amanda! - fiquei em silêncio tentando absorver o que havia acabado de ouvir, ela parecia realmente magoada com esse assunto e isso me doeu muito 
- Ah Kath, que isso? - ela bufou e caminhou ate a cama, se deitou e puxou o cobertor ate o ombro. Me deitei ao seu lado e passei meu braço por sua cintura, a puxei para mais perto e escondi meu rosto na curvatura de seu pescoço -  Amor?
- Hum? - respondeu baixinho
- Eu amo você ta bom? Não quero que se sinta assim ok? - ela não me respondeu e eu desisti de tentar alguma coisa. 


Katherine Collins Bieber P.O.V
Eu não podia me menosprezar tanto, não podia pensar que era inferior a ela e que Justin... sei lá, me trocaria por uma garota que por acaso foi sua primeira namorada. Não podia, mas era isso que eu estava fazendo. 
Enquanto me olhava no espelho do banheiro, tentava encontrar imperfeições em mim para ter mais um motivo de não querer naquela bosta de festa na casa de Robert. E quer saber a verdade? Eu encontrava milhões de defeitos e mesmo assim eu iria. Não queria deixar tão claro a Amanda, que sua presença havia me afetado, e muito. 
Me certifique que a roupa que usava não era tão chamativa e respirei fundo. Sai do banheiro, onde eu já estava um bom tempo e encontrei Justin calçando seu tênis. Ele vesti sua famosa calça caída e uma regata preta com o tecido brilhoso, no seu pescoço tinha uma corrente pendurada. Assim que me viu pronto, abriu um sorriso e se levantou vindo ate mim. 
Sua mão foi direto para minha nuca e enroscou seus dedos em meu cabelo, isso me fez arrepiar por completo. Seus lábios selaram os meus sem pressa alguma, sua língua brincava com a minha de forma deliciosa e lenta, ao quebrar o beijo, Justin encostou nossas testas e me deu um selinho. 
- Podemos ir? - ele sussurrou. Seu hálito freso bateu em meu rosto e eu tive que respirar fundo para não desmoronar. Assenti fraco sem responder, Justin parecendo chateado com o jeito que eu tinha ficado, suspirou e segurou minha mão. Caminhamos ate o carro em silêncio.
Por volta de dez minutos que já estávamos no carro, meu celular começou a tocar. Olhei para o visor e sorri ao ler o nome de Pattie nele, minha expectativa era que fosse Brian
"- Alô?
- Mamãe? - a doce voz de Brian inundou a linha e no mesmo instante meus olhos se encheram de lágrimas
- Oi bebê - minha voz saiu quase inaudível, Bry soltou uma risada percebendo que eu chorava - Como você esta? - funguei
- Com saudades de você mãe! - sorri e funguei 
- Eu também estou morrendo de saudade de você filho. O que você já fez?
- Onti a Dieni veio aqui e ficamos brincando o dia todo - eu o imaginava sorrindo e com seus olhinhos brilhando - E você mamãe, o que você fez?
- Fiquei pensando em que devia ter ficado com meu pequeno - ele riu  fraco - Você esta comendo direitinho né?
- Sim dona Kath - dei risada - Mãe a vovó esta me chamando, eu vou desligar tá?
- Ah não! - resmunguei e ele riu novamente 
- Mais taidi eu te ligo
- Tudo bem - suspirei - Eu te amo tá?
- Também te amo, fala para o papai que eu também amo ele? - deixei uma lágrima escorrer e assenti mesmo ele não podendo me ver
- Eu falo sim, meu anjo. Tchau" 
Guardei meu celular na bolsa e limpei meu rosto que estava molhado, respirei fundo e olhei para Justin
- Ele pediu para dizer que te ama - falei e Justin sorriu alegremente. Me olhou brevemente e segurou minha mão que estava apoiada em minha coxa, levou ate sua boca e depositou um beijo nela, sorri fraco e o fiquei observando.
Quinze minutos depois chegamos na casa de Robert, um dos caras que estudou com nós. A casa era um sobrado e estacionado em frente a ela, podíamos ver que havia uma enorme piscina na parte de trás. Descemos do carro e Justin ativou o alarme, senti seu braço circular minha cintura e o olhei
- Para todos saber que você tem dono - revirei os olhos e ele riu, me dando um delicado beijo em minha bochecha
- Pena que eu não posso te dizer a mesma coisa - murmurei baixo e finalmente entramos na casa. Sua decoração era bonita, fomos recebidos por uma mulher de cabelos ruivos e algumas sardas no rosto, deduzi ser a esposa de Robert já que ela nos guiou ate a área de lazer. Cumprimentei todos que estavam ali, Justin me puxou para sentar na mesma mesa que estava Ryan e Chaz
- E ai casal? - gritou Ry e o que me fez rir, dei um beijo em sua bochecha e fiz a mesma coisa com Chaz
- Cade a Cait e o Chris? - perguntei
- Eles não vão vir - respondeu Chaz
- Por que? - ele deu de ombros. Olhei para a piscina vendo alguns homens com suas namoradas e no mesmo instante alguém chegou gritando. Amanda. Revirei os olhos e apoiei meu cotovelo na mesa, apoiando minha cabeça na mão em seguida. Ela rolou seus olhos por todo o local enquanto cumprimentava as pessoas, e parou os olhos no Justin, ela sorriu brevemente e começou a vir em nossa direção. Bufei e Justin percebeu.
Amanda se vestia como uma verdadeira biscate, ela queria chamar a atenção. Literalmente. Uma regata rosa colada que deixava bem claro que ela não usava sutiã e um short jeans curto de lavagem clara. Quando chegou perto de nós, soltou um gritinho e abraçou Justin, depois nos cumprimentou e se sentou na mesma mesa que nós. 
Se sinta superior Katherine, se sinta superior. Superior e confiante!

Algumas horas depois...

Justin havia bebido duas garrafas de álcool e eu percebi que ele estava começando a se alterar. Porém dava para perceber que ele ainda estava sóbrio e ciente de seus atos! Eu não havia colocado na de álcool na boca e muito menos desgrudado os olhos de Justin e claro de Amanda que uma vez ou outra mandava indiretas nada descentes. 
Eu estava me segurando para não pular no pescoço dela ou ao menos afogá-la na piscina. Não faria falta a ninguém mesmo. Só queria entender como uma pedagoga podia agir daquela forma.
- Amor, eu vou ali no banheiro rapidinho - Justin sussurrou encanto apertava seu membro
- Ok - ele me deu um selinho e saiu correndo, ri da cena e comecei a conversar com Chaz sobre assuntos diversos.
[...]
Sete minutos. Será que era realmente necessário sete minutos para ir ao banheiro. Eu batia meu pé freneticamente no chão e Chaz e Ry perceberam o por que de estar assim. Eu não queria pensar naquelas coisas, era errado se precipitar não é mesmo? Mas lá no fundo, parecia que eu sabia o que estava acontecendo. Me levantei engolindo o choro que queria libertar
- Kath não... - Ryan sussurrou
- Não o que Ryan? - perguntei - O que Justin esta fazendo a quase dez minutos no banheiro? E aliás, você percebeu que a Amanda não esta aqui? - ele engoliu em seco e abaixou a cabeça. Comecei a andar em direção a cozinha e Ryan me parou novamente
- Deixa que eu vou - ele falou, eu pude perceber que ele estava triste
- Você sabe de alguma coisa?
- Eu juro que não, mas deixa que eu subo - assenti relutante e o fiquei observando subir as escadas. Minha vontade era de sair correndo e berrar, mas eu iria permanecer ali. Algum tempo depois, o loiro desceu as escadas e parou em minha frente - Não suba! 
Eu entendi o que ele queria dizer com aquilo e eu queria me matar por isso. Passei a língua pelos meus lábios e os senti começarem a tremer. Eu não choraria. Empurrei Ryan e fui para o andar de cima, abri algumas portas e bufei quando não encontrei ele, ou é melhor dizer eles?
E como sempre havia a última porta do corredor, aquela que na maioria dos filmes estavam com uma fresta aberta. Justin não podia estar fazendo isso comigo, ele não podia. Me aproximei da porta com os olhos fechados e respirei fundo antes de abri-los.
Acho que deveria ter escutado Ryan. Acho que deveria ter convencido Justin a não virmos nessa viajem. Eu sentia como se toda essa merda fosse uma armadilha para nos separar e talvez isso seja a verdade. Sentia como se o mundo estivesse desabando em minhas costas. Meu coração estava sendo quebrado pelo homem da minha vida. Pelo meu melhor amigo. Pelo cara que é o pai do meu filho.
E eu não podia fazer nada para tirar toda a dor que eu sentia. Toda a confiança e superioridade que eu estava sentindo havia sumido tão rapidamente quando eu vi aquela cena.
Quando eu o vi somente de cueca, deitado por cima dela - que por sua vez estava só de peças intimas - Justin deslizava sua mão pelo corpo de Amanda de uma forma tão... selvagem e desesperadora. Eu disse que não choraria mas a verdade é que eu sou fraca. Tão fraca que jamais vou conseguir me recuperar.
Um soluço saiu da minha garganta fazendo Justin dar um pulo e sair de cima de Amanda. Ainda de costas para mim, o ouvi sussurrar
- Me diga que ela não esta ali 
Sem obter resposta de Amanda, ele se virou lentamente e me viu. Sua boca se abriu e fechou diversas vezes, ele parecia tentar arranjar um desculpa esfarrapada. Ele deu um passo em minha direção e e neguei com a cabeça
- E-eu posso e-explicar - sua voz saiu desesperada. Mordi os lábios e neguei novamente. Olhei para Amanda e ela não tinha um olhar vitorioso e muito menos debochado. Ela tinha um olhar chateado e eu a odiava imensamente por isso. Qual é? Ela da em cima do meu marido ate conseguir o que quer e quando eu os pego no flagra, ela ira dar uma de arrependida? Isso não existe - K-Kath
- Cala a boca - grunhi entrando no quarto. Limpei minhas lágrimas com raiva e apontei meu dedo em seu rosto - Nunca mais ouse olhar na minha cara, ta entendendo? Nunca mais! O que tínhamos acabou hoje e se você esta satisfeita com isso Amanda - me virei para ela -, aproveite bem.
- Katherine
- Eu disse pra você calar a porra da sua boca - berrei. Rodei meu dedo sobre minha aliança e a tirei jogando no chão em seguida. Os olhos de Justin se encheram de lágrima
- Nunca se esqueça que você é a mulher da minha vida - me aproximei dele e olhei com raiva
- Se você me amasse realmente, não estaria indo para a cama com outra. Se você me amasse realmente você teria se esquivado quando ela tentou algo. Se você me amasse realmente você não estaria quebrando meu coração. Você me prometeu que não me machucaria e não cumpriu
- Deixa eu te explicar, e-eu estava b...
- Bêbado? Não você não esta. O que vou falar para o Brian? O que vou dizer para sua mãe? Para suas fãs Justin? DIZER QUE EU NUNCA FUI BOA O SUFICIENTE?
- Não diga isso - ele se aproximou de mim mas eu o empurrei. Sai correndo enquanto só escutava meus soluços dentro da casa. Justin logo começou a correr atras de mim e eu ignorava seus gritos. Peguei minha bolsa em cima da mesa, sobre os olhares de todos. Puxei a chave do carro e sai em direção a ele
- KATHERINE - antes que pudesse abrir a porta, Justin me puxou e me imprensou na mesma
- ME LARGA - gritei chorando - ME DEIXE IR EMBORA, EU NÃO QUERO TE VER NUNCA MAIS
- KATHERINE ME ESCUTA
- Eu te odeio - falei olhando em seus olhos, Justin afrouxou suas mãos em meu braço sem expressão alguma
- Você não me odeia
- Eu não te odiava antes de fazer o que fez - ele ficou quieto - Volte para o chalé só de noite, eu quero ficar sozinha
- Kath - ele sussurrou -, eu não quero que termine tudo
Dei risada sem acreditar no que ouvia

- Pode ter certeza que tudo já estava acabado quando você me convenceu de virmos para cá! - o empurrei com força e entrei finalmente no carro - Só quero acreditar que nosso amor nunca foi em vão.

Momentos para minhas desculpa :/
Demorei sim e me perdoem por isso. Me perdoem tbm pq esse capítulo não ficou como eu queria. Eu estou sem cabeça pq tenho muuuita lição e só de pensar nisso da vontade de comprar uma passagem só de ida para Narnia  
Mas enfim, isso não importa. Olha eu preciso dizer uma coisa para vocês: BROKEN ESTA COM 40 FAVORITOS E EU TO MEGA FELIZ, eu sei que parece pouco mas vejamos é a primeira fic q eu posto lá e consegui esses 40 com apenas cinco capítulos. Obrigada a quem lê OBF e favoritou Broken, saiba que eu amo todas vcs - coraçãozinho <3
Uma outra coisinha, uma girl comentou no ultimo cap que ñ tinha entendido o pq de Justin falar que "vamos transar loucamente" - ñ foi exatamente com essas palavras -, sendo que ele só dizia que eles só faziam amor. Explicando: foi o modo de falar, ele não disse de fato "vamos transar loucamente", apenas falou que ele e Kath estavam agindo como um casal de namorado que viajam para transar loucamente  *0* Espero que tenha entendido agora minha linda :)
Beijookas na bunda e fiquem de olho em Broken tá?