27/02/2014

Only Best Friends Second Season: Sinopse e Personagens

15 comentários: | |

Era para ser somente um reencontro de velhos amigos. 
Pessoas que Justin e Katherine conheceram no tempo de escola. Bom, era para ser.
Talvez essa “pequena festa” possa abalar o casamento do casal Jatherine.
Talvez não era o certo deixarem suas vidas em Nova York
 e passar algumas semanas na Califórnia.
Talvez eles estivessem errados de que para sempre existisse de fato.
Talvez rever velhos amigos não seja uma boa ideia.
Mas chega de talvez e vamos para os “e se...”
E se a vida fosse igual aos contos de fadas? Não seria melhor?
E se Justin e Kath tivessem confundido os sentimentos? Acho que não.
E se o destino quiser pregar uma peça em Jatherine? Ah, ai sim!
E se o seu marido reencontrasse seu primeiro amor?



Novos personagens:



por favor, leia aqui embaixo!

É isso mesmo que vocês leraaaaam,
depois de tantos pedidos eu decidi fazer a segunda temporada. Me abracem haha! 
Só digo uma coisa:  acho que vocês vão ficar com raiva do Justin *------*
Bom, eu não vou conseguir postar essa semana, então posto o primeiro capítulo segunda que vem ok? Não me matem, mas é que eu precisinho de um tempinho para escrever o começo da história. Espero que entendam :))
OUTRA COISA, eu estarei postando Broken na minha conta do anime, quem quiser acompanhar lê aqui: http://socialspirit.com.br/fanfics/historia/fanfiction-justin-bieber-broken-1670272
Assim como OBF eu começo a postar Broken só na segunda 
Respondendo a Carol; isso é serio? Céus, eu fiquei de boca aberta haha, se você quiser fazer pode fazer sim gata :) Me passa o link depois. AI MEUS DEUS, que chiquezaa! 
Beijinnnnnn :*

Capítulo Bônus - Especial Dia das Mães  (não é continuação do capítulo 12)

25/02/2014

Only Best Friends: Capítulo 34 - This is forever

35 comentários: | |
Nós éramos melhores amigos desde que chegamos até aqui

Então por que eu fico nervoso todas as vezes que você vem?
Justin Bieber - Catching Feelings 

~ Quatro anos depois ~
Katherine Collins POV

- Brian para de pular na cama – falei pela décima vez
- Não! – respondeu fazendo bico
- Tudo bem, se você cair daí não chore – ele me ignorou e continuou a pular na minha cama. Eu já estava ficando estressada com aquele pestinha, ele não me obedece de forma alguma
- Mamãe onde ta o papai? – Brian desceu da cama e veio ate mim
- Ele esta no estúdio com o tio Scooter, meu anjo – falei acariciando seu cabelo. Ele fez um biquinho e estendeu suas mãozinhas para eu pegar ele, o peguei e caminhei em direção a sala
- Ta fazendo musicas pras ‘biliveis? – dei risada e liguei a televisão
- Para as Beliebers, Brian – dei ênfase em “beliebers”
- Tanto faz! – ele deu de ombros e eu o fiquei encarando. Ás vezes fico assustada com algumas coisas que ele diz, quer dizer Brian tem quatro anos e é muito esperto comparado aos seus amiguinhos da creche. Coloquei em um canal de desenho e fui ate a cozinha preparar o almoço. Eu sei cozinhar, admito, mas não gosto nem um pouco de por a mão no fogão. Mas hoje eu decidi fazer, já que Justin queria comemorar o término do seu novo álbum.
Ultimamente é meio difícil ele parar em casa já que vem trabalhando muito, porem ele prometeu que assim que terminasse o CD iria tirar férias e iríamos viajar. Bom, ele cumpriu a promessa, já que ontem de noite ele chegou com três passagens para o México. Brian gostou da ideia, porem teve uma condição; de que nós três iríamos ficar todo momento juntos. E mais uma vez eu me assusto com sua inteligência.
Nesses anos que passaram aconteceram muitas coisas. E quando eu digo muitas coisas é que de fato foram muitas. Thomas que parecia estar completamente apaixonado por Clary, se separou e esta de rolo com uma mulher cinco anos mais velha que ele, ela é simpática mais porra! Cinco anos? Chloe e Jace se casaram dois meses depois que Brian nasceu, e três meses depois ela descobriu que estava grávida. Jessie é a menininha mais fofa que tem nesse mundo. Ela e Brian são dois carrapatinhos, não desgrudam quando estão juntos. Eu e Justin dizemos que ai nascerá uma historia parecida com a nossa.
Connor foi solto a algum tempo mas nunca deu as caras por aqui e eu agradeço muito. Alfredo esta namorando, Ryan noivado, Chaz estudando, Christian solteiro e Caitlin... bom a Caitlin esta completamente apaixonada por um modelo da empresa onde ela trabalha. Eu fiquei sabendo que os dois já saíram e torço para que eles fiquem juntos, porque além do moço ser educado é bonito para caramba. Não é á toa que é modelo.
E em meio de tudo isso, eu e Justin nos casamos. A cerimônia, a festa... foi tudo tão perfeito. Com o passar do tempo, as Beliebers foram aceitando que ele havia crescido e encontrado a mulher de sua vida. Não que eu fique me gabando por isso, mas é que ele a todo instante diz isso á mim.
Assim que terminei o almoço, preparei a mesa e fui ate a sala
- Filho, vamos tomar banho? 
- Ah não mamãe, eu to vendo desenho agora
- Depois você vê, daqui a pouco seu pai chega e você esta fedido ainda
- Eu num to fididu – cruzou os bracinhos. Desliguei a TV e o peguei no colo
- Só um pouquinho – ele deu uma risada gostosa e abraçou meu pescoço
- A gente pode levar a Diessi para viajar? – ele perguntou. Brian não consegue pronunciar Jessie corretamente e então a chama assim, é muito engraçado.
- Você tem que perguntar para o Jace e para a Chloe – falei e liguei o chuveiro e o empurrei para a água. Ele arregalou seus olhinhos cor de mel e gritou
- TÁ GELADA MAMÃE!
- Ai meu anjo desculpa! – desliguei o chuveiro e mudei a temperatura. Mordi os lábios ao lembrar o por que de estar no gelado

Flashback On
 - Ele dormiu? – perguntou Justin assim que entrei em nosso quarto
- Sim, depois de eu contar milhares de historias para ele, dormiu – Justin riu e me ajudou a puxar o edredom para deitarmos – Minha cabeça esta explodindo – resmunguei. Nos deitamos e Justin puxou meu braço, pousei minha cabeça em seu peitoral e ele começou a afagar meu cabelo.  Olhei para ele e ele sorriu fraco me beijando em seguida, levei minha mão ate sua bochecha e a deixei ali ate encerrarmos o beijo com selinhos
- Eu estava vendo o hotel onde vamos... – ele começou a falar e eu voltei a colocar minha mão em sua cintura, porem bem nessa hora Justin se mexeu na cama o que fez com que batesse minha mão – com uma certa força – em seu membro. No mesmo instante ele parou de falar e arregalou os olhos. Era incrível como eu o excitava facilmente. Da sua boca escapou um breve gemido enquanto eu reprimia uma risada, observei ele fechar os olhos lentamente e abrir a boca – Você vai ter que me aliviar agora!
- Ah ta bom, não tenho culpa se você se anima fácil – revirei os olhos e virei de costas para ele. Justin me abraçou por trás e esfregou sua ereção em minha bunda, mordi os lábios e soltei um gemido baixo porem sei que ele ouviu – Para!
- Vai gatinha, vamos fazer amor – ele sussurrou em meu ouvido. Eu me arrepiava por inteiro quando ele dizia “vamos fazer amor”, Justin em nenhuma vez falou “vamos transar” muito menos “fazer sexo”. Era sempre amor, nós sempre fazíamos amor.
- Hoje não Justin, eu to com dor de cabeça – ouvi ele bufar
- Vai Katherine, o que custa? Eu sei que você quer – ele mordeu o lóbulo da minha orelha e depois beijou meu pescoço, senti sua mão em minha cintura e ele me apertou mais
- Sai Justin, que saco! – empurrei ele e dessa vez ele soltou um palavrão – Vai lá no banheiro e se alivia, mas me deixa em paz
- Você me excita e depois fica fazendo graça?
- Vai se ferrar – taquei o travesseiro nele e ri quando acertou em sua cara. Ele se virou emburrado e foi para o banheiro e bateu a porta. Ouvi o chuveiro ser ligado e em seguida tudo ficou em silencio. Ate que ouvi seus gemidos abafados, mordi os lábios reprimindo uma risada estridente. Os barulhinhos vindo de sua boca foram ficando cada vez mais altos e repetitivos. Aquilo já estava me deixando excitada, me levantei e corri ate o banheiro. Justin se assustou quando eu abri a porta com tudo, mas sorriu malicioso ao me ver tirando a sua blusa que eu estava usando. Entrei no box e ele puxou minha cintura colando nossos corpos. Grunhi ao sentir a água gelada em meu corpo. Seus lábios foram de encontro com meu e Justin pediu passagem com a língua, aceitei e começamos a disputar uma batalha onde o desejo vencia mais que tudo...
 Flashback Off

E foi assim que fizemos amor no banho...
- MÃE! – Brian gritou me tirando dos pensamentos, olhei para ele – Você num vai me dar banho?
- Claro, claro
[...]
Coloquei Brian em cima da minha cama e comecei a seca-lo. Ele não parava quieto, ficava pulando a todo instante
- FAMILIA CHEGUEI! – Justin gritou lá debaixo e Brian arregalou os olhos sorrindo
- PAPAI! – ele saiu correndo pelado e bufei frustrada. Segundos depois ouvi a risada alta de Justin tomar conta da casa o que me fez rir também
- Mas o que é isso? – ele perguntou rindo – Por que você esta pelado filho? – Justin entrou no quarto e Brian entrou logo atrás dele
- A mamãe não quer me vestir – ele falou e eu o fuzilei
- Mentiroso – falei o fazendo rir. Brian correu ate minha cama e novamente começou a pular nela – Seu filho é um peralta
- Concordo – Justin se aproximou de mim e me deu um longo selinho – Como você esta?
- Bem – sorri – Conseguiu terminar o álbum?
- Sim, eu já lancei na internet – ele falou animado e se sentou na cama, ao meu lado – Brian vai colocar a cueca – Justin disse autoritário e Brian o obedeceu, revirei os olhos. Me levantei assim que ele começou a pular novamente na cama, o puxei pela perna e ele gargalhou, dei risada e comecei a fazer coceguinhas nele
- Seu gordinho lindo
- Eu não sou gordinho – falou assim que eu coloquei sua cabeça no buraco da blusa
- Isso ai filho, você é gostoso que nem o pai – falou Justin
- Ai meu Deus, eu mereço – revirei os olhos rindo e terminei de vestir a calça em Brian – Vamos almoçar?
- VAMOS! – gritou Brian e saiu correndo. Olhei para Justin que riu e estendeu sua mão para mim, a peguei e o abracei de lado
- Semana que vem a gente viaja para o México – ele falou
- Eu sei – sorri de canto
- Você esta animada?
- Sim, será muito bom passar um tempo com você – ele sorriu e deu um beijo em minha testa – Agora acho melhor nós descermos porque se não aquele molequinho pode quebrar a cozinha.
- Tem razão - concordou e caminhamos ate a cozinha. Quando chegamos na mesma, resmunguei ao ver que Brian havia derrubado suco em sua blusa
- Dawn Brian! - falei e ele levou um susto
- Desculpa mamãe, eu só estava com sede - ele disse fazendo a cara que sempre fazia quando estaca prestes a chorar
- Custava esperar? - fui ate ele e tirei sua blusa - Fica assim, tá legal? - ele assentiu e se pendurou na cadeira tentando subir. Justin deu risada e o ajudou a completar o ato
- Obligada Justin - ele falou todo formal, me arrancando um sorriso. Me sentei ao seu lado e Justin na minha frente
- Hum, a dona Kath fez meu prato preferido - Biebs falou olhando a travessa de macarrão em sua frente
- Deve ta ruim - Bry falou o que fez Justin o olhar e reprimir uma risada estérica
- Ah é assim? - perguntei fingindo estar triste - Eu faço com todo o amor do mundo e é assim que eu recebo seu "elogio"? - falei enquanto colocava a comida em seu prato 
- Você sabe que eu tava blincando, né mamãe? - ele perguntou com seus olhinhos expondo seu repleto arrependimento 
- Estava? - perguntei e ele assentiu, começando a comer o macarrão. Olhei para Justin e ele riu balançando a cabeça
- Pestinha! - falou bagunçando o cabelo de Brian

Na semana seguinte, quinta-feira
 Riviera Maya [banhada pelo Mar do Caribe], México
Resort Mandarin Oriental (foto)

Coloquei minha saída de banho por cima do meu biquíni e peguei minha bolsa que já estava arrumada. Brian e Justin estavam jogando no video-game na sala de estar que tinha vista para o maravilhoso mar a nossa frente. Pigarrei ao chegar na sala e os dois me olharam
- Estou pronta, vamos? - os dois se levantaram. Justin pegou sua blusa e jogou no ombro, Brian fez a mesma coisa e eu ri. Peguei meu pequeno no colo e caminhamos ate a praia. Assim que chegamos na areia, escolhemos as cadeiras mais perto da água por conta do Brian. Justin chamou um garçom e pediu alguns petiscos para nós.
- Mamãe posso ir no mar? - Brian perguntou estreitando os olhos por conta do sol
- Primeiro deixa eu passar protetor em você - ele bufou e eu revirei os olhos, peguei o protetor em minha bolsa e passei em todo seu corpo - Agora vai, mas fique no raso tá?
- Ta bom - ele saiu correndo enquanto eu o observava. Tirei o vestidinho que usava, fiz um coque no cabelo e coloquei o óculos de sol
- Assim você me deixa de pau duro - Justin falou e eu o olhei rindo
- Idiota - ele riu e colocou seu óculos - Tó, passa em mim? 
Justin mordeu os lábios fracamente e assentiu, me sentei na ponta de sua cadeira e lhe entreguei o protetor. Ele sorriu e eu lhe roubei um selinho. Virei-me de costas a ele e senti suas mãos começarem a espalhar o protetor, mas como ele não iria sair como o inocente; Justin começou a deslizar sua mão ate minha barriga e depois passou para as minhas coxas, as quais foram apertadas lentamente. Estralei meu pescoço por conta do seu ato e ele riu na minha pele que estava nua, seu lábio encostou no pé da minha orelha o que me fez arrepiar 
- Eu te amo - ele sussurrou e eu sorri. Me virei para ele e lhe beijei intensamente
- Eu também te amo, amor - ele sorriu e colocou sua mão em minha bochecha começando a acaricia-la. Justin olhou por cima dos meus ombros, parecendo verificar Brian, e depois voltou a olhar para mim. Seus olhos cor de mel brilhavam por conta dos raios de sol, deixando-os mais belos ainda. Sua língua contornou seus lábios como se os estivesse molhando e depois Biebs sorriu de lado; deixando evidente sua pequena covinha
- Eu te amo - ele repetiu e na hora meus olhos marejaram - Eu te amo como nunca amei ninguém, você é a mulher da minha vida, e sei que falo isso todos os dias mas... nunca será o suficiente - sorri 
- Você é tudo para mim - sussurrei - Você é meu mundo, é tudo o que realmente importa. Você e Brian são minha vida, obrigada por tudo 
- Obrigado por sempre estar comigo desde pequena - ele falou sorrindo - Obrigado por ter sido minha melhor amiga - dei risada e o abracei forte 
- Eu ainda sou?
- Sempre será - falou e beijou meu pescoço. Desfiz o abraço e me deitei ao seu lado na cadeira. Minha cabeça em seu peitoral e minha mão acariciando o mesmo, enquanto a sua mão afagava meu cabelo lentamente - Ah antes que eu esqueça! 
- O que?
- Lembra quando eu tive que viajar por três semana por conta de uns shows comunitários? Foi a quanto tempo? Cinco meses? Não lembro
- O que tem? - ele sorriu e colocou sua mão no bolso e depois a tirou. Em sua mão havia um papel dobrado, arqueei a sobrancelha e Justin sorriu mais ainda - O que é isso?
- Naquelas semanas eu escrevi uma carta para você - ele corou - Mas nunca tive coragem de te dar - eu ri incrédula 
- Posso ler agora? - ele assentiu
- Só não vale rir tá legal? - assenti sorrindo e ele me entregou o papel 

“Minha Kath, 
Eu sei que isso pode ser a coisa mais gay que já fiz em minha vida mas... já vi em muito filmes de romance (os que fui obrigado assistir com e por você!) que o homem apaixonado escrevia uma carta de amor para sua amada.
Bom, isso não é uma carta de amor se é o que você esperava. Não ao meu ver!
Aqui eu estarei falando (ou o melhor escrevendo) tudo o que você é para mim, tudo o que significa e tudo o que um dia passei por você.
Eu jamais, em minha vida, imaginei que um dia estaria casado contigo. E muito menos que teríamos um filho juntos. Ás vezes costumo pensar que nunca fui e nunca serei o melhor para você, mas saiba que você é o meu melhor. A melhor parte de mim. A melhor coisa que aconteceu em minha vida, a melhor coisa que eu poderia ganhar.
Fomos criados como irmãos, ajudando sempre um ao outro. Nas melhores e piores horas, naquela parte da vida onde o mundo todo parecia não nos entender, mas lá estávamos juntos e rindo como sempre. Quando éramos crianças eu prometia a mim mesmo que nunca deixaria homem algum te fazer mal, e hoje eu vejo que eu só conseguiria cumprir essa promessa se estivéssemos juntos. Não como "melhores amigos para sempre", mas como homem e mulher. Homem e mulher que tanto se amam. 
Eu sei que já errei com você. Sei que quando estou nervoso desconto minha raiva em você sem perceber, me desculpa por isso. Você não sabe o quanto me dói te ver abaixar a cabeça para chorar sem que eu veja. Eu achava que nosso casamento iria ser perfeito, que nunca brigaríamos, mas nós não somos perfeitos. Somos como qualquer outro casal, um dia estaremos felizes e no outro estaremos brigando.
E eu quero te pedir um imenso favor; não se cansa de mim, tá legal? Não sei se em algum momento você já pensou em desistir de nós, de me deixar... eu não sei. Mas se um dia fez isso, te digo; proíbo você de repetir tal ato. Não suportaria viver sem você e eu te odeio por saber disso, por saber que minha maior fraqueza é você. Te dizer que te odeio é meio irônico já que a cada minuto eu digo que você é a mulher da minha vida. 
Eu te odeio por fazer eu me humilhar por ti. Eu te odeio por ser totalmente sarcástica. Eu te odeio por ser tão perfeita. Eu te odeio por ser tão mais tão perfeita que chega a um ponto que não há como eu te odiar e sim te amar de um jeito imensamente grande.
O parágrafo acima não teve sentido algum mas foda-se. O que importa é que eu te amo, tá legal?
E mais uma coisa, obrigado por ter me dado uma das coisas mais preciosas. Nosso pequeno Brian. Sei que eu jamais terei coragem de te dar esse pedaço de papel, já que você pode rir da minha cara pelo resto da minha vida. Mas é que eu estava aqui no banheiro do meu jatinho particular com uma folha e uma caneta então decidi escrever algo sobre você. Espero que não me mate por esse final, caso um dia você leia isso!
Eu te amo minha gostosa,
Do seu Justin”

- Por favor, não me zoa – Justin falou assim que eu dobrei a carta. Meus olhos estavam repletos de lágrimas, meu queixo tremia em sinal de que em algum momento eu desabaria.
- Você esperou cinco meses para me entregar isso? – perguntei
- Na verdade eu nunca iria te mostrar – ele falou olhando para baixo
- Por que? – perguntei. Ele ficou em silencio e depois suspirou
- Eu não sei. Você não gostou?
- Tá de brincadeira? – perguntei e comecei a chorar
- Por que você esta chorando?
- Porque isso foi a coisa mais linda que alguém me escreveu – ele soltou uma risada – Esse seu jeito idiota de mostrar o que sente. Eu amo isso
- Ama?
- Amo. E muito – olhei em seus olhos e sorri. Justin mordeu seu lábio inferior fracamente e sorriu em meio ao um riso – O que foi?
- Nada – ele sorriu e eu arquei a sobrancelha
- Fala o que você ta pensando
- Eu não to pensando em nada – ele falou se defendendo enquanto ria, cerrei os olhos e dei um leve tapa em seu ombro
- MAMÃE! MAMÃE! – Brian apareceu correndo
- Oi meu anjo?
- Eu to com sede – peguei o suco que estava em cima da mesa e lhe entreguei. Provavelmente o garçom o deixou ali quando eu lia a carta – Eu quero que papai e mamãe entrem no mar comigo
Olhei para Justin e ele assentiu se levantando. Levantei também e Brian começou a pular. Foi então que um ato dele me surpreendeu. Não só a mim como a Justin também; ele beijou minha barriga e falou:
- Você também pequena Sophie! - e saiu correndo ate o mar. Olhei pra Justin com a boca aberta e ele riu
- Acho que ele quer uma irmãzinha – ele disse
- Ai meu Deus!
- Prevejo que teremos que brincar essa noite! E dessa vez querida Katherine, – Justin passou seu braço pelo meu ombro – será sem camisinha!
The End

AI MEU DEUS! AI MEU DEUS! ACABOOOOOOOU O.O
Eu não acredito, to chorando litros aqui, sério eu amei escrever essa fanfic. Tá em primeiro lugar! 
Espero que vocês tenham gostado de coração por que eu simplesmente escrevi o que veio em mente
Agora a parte dos agradecimentos :) ai que chique!
1- Quero agradecer a Bia que me deu a oportunidade de escrever aqui, se não fosse por ela nunca "conheceria" vocês
2- A TODAS VOCÊS que me acompanhou desde o começo e aturaram aqueles capítulos chatinhos. Obrigado por todos os comentários meninas, por mais que seja um simples "continua" era ótimo. De verdade. É importante saber que vocês estavam gostando, que queriam saber qual era o enredo da história e tals. Muito obrigado mesmo
3- Vou agradecer as minha amigas, sim. Sei que elas não vão ver mas foda-se
Roberta (Directioner) - por me ajudar no comecinho da história. Essa daí é minha parceira do peito, eu já ate li algumas fics do 1D por que ela falou que era top. 
Bia Demarco (Emblemer) - ela também me ajudou no começo. Pra quem não sabe é uma das partes mais difíceis de uma fanfic. Foi por conta dela que teve uma personagem chamada Chloe, já que é uma música dos minos gostosos do E3, e tkans por me "emprestar" o Drew para ser o Thomas haha 
Patrícia (Tributo) - obrigado por ter paciência de me ajudar a escolher os nomes dos personagens. Pensa em uma garota que é frescurenta. Não é a Patrícia, é eu :)
Victória (Believatic) - afs essa daqui num me ajudou em nada. Só falava besteira e foi por conta dela que comecei a escrever hots, pq antes eu não escrevia. Vicky é minha best friend Belieber
Aléxia ('marida' do Johnny Depp e amante do Ben Barnes, ou vice versa) leu minhas partes hots e ficou excitada HAHA :)
Bom meninas é isso, eu espero que vocês tenham gostado mesmo ta? 
Um beijin pra todas vcs e hoje ou talvez amanhã eu posto a sinopse de Broken ok?? 
OBRIGADO OBRIGADO OBRIGADO! AMO VOCÊS, leitoras lindjas :)

24/02/2014

#BabyHit1Billion - mais uma conquista com Baby

7 comentários: | |
TEM UM OLHO NA MINHA LÁGRIMA *--*

GENTE GENTE GENTE, só entrei para falar o quanto esse fandom é demais. PORRA, primeiro astro teen a ter mais de 1 bilhão de views em um vídeo? Isso é uma conquista não só para gente como para o Justin, ele foi e ainda é muito zuado por essa música mas além de ganhar o Diamond Award com ela conseguimos fazer com que ele batesse um recorde JAMAIS atingindo.
Tipo, nós somos fodas fala sério?? Quem aí ajudou nesse recorde levanta a mão \õ/.
 Só quero dizer que tenho muito orgulho de ser Belieber, tenho muito orgulho do Justin e desse fandom maravilhoso! Agora para completar; Justin fala alguma coisa no twitter né??
ESSA SEMANA PROMETE: Baby com 1 bilhão de views, Believe Movie no Brasil, aniversário do Justin.... que mais? To morte feat. enterrada

PS: Amanhã eu posto o último capítulo de Only Best Friends

Beijin beijin e até :) 

22/02/2014

Only Best Friends: Capítulo 33 - Now we're a family

27 comentários: | |
Papai não acha que você vai ser bom o suficiente para mim
Mamãe diz para ter cuidado
Porque ele vai partir seu coração em três
Eles não estão em meu lugar
Eles não ser beijados por você
Little Mix - They Just Don't Know You

Katherine Collins POV

Os dias, as semanas, os meses foram se passando; e a cada segundo mais boatos sobre minha gravidez surgiam. Estava ficando cada vez mais difícil esconder, Justin e eu estávamos estressados com toda essa pressão da mídia em cima de nós. Toda hora havia alguém tentando arrancar alguma coisa e isso era extremamente irritante. Eu já estava com quase seis meses e isso facilitava muito os boatos, porem apesar do tempo eu era jovem e magra; o que proporcionava com que minha barriga não ficasse tão grande.
Hoje iríamos saber se eu esperava um menininho ou uma menininha, estava animada e ansiosa. Apesar de apostar com Justin qual era o sexo, eu iria amar de qualquer forma o resultado. Assim como todos, Justin me paparicava mais do que nunca e sem admitir a eles; ás vezes isso era chato.
Toda a atenção era voltada a mim, eu não podia fazer nada sozinha, alguém sempre tinha que estar me vigiando. Houve vezes que briguei com meus pais pois eles queriam contratar pessoas para me ajudar. Fico me perguntando com que eles iriam me ajudar; só se for em me trazer comida por que ultimamente ando com muita fome.
Terminei de me vestir e passei uma leve maquiagem. Alguém bateu na porta e eu disse um “entra” em voz alta
- Maninha? – Thomas entrou no meu quarto
- Sim? – perguntei me virando
- Justin já chegou – assenti
- Já estou indo – ele sorriu em resposta e saiu fechando a porta. Peguei uma bolsa e nela coloquei algumas coisas necessárias, me olhei no espelho e suspirei nervosa. Desci as escadas devagar e quando cheguei na sala encontrei Justin conversando com meu pai, assim que ele me viu sorriu e se levantou
- Amor! – sorri e lhe dei um selinho – Como você esta? – perguntou passando a mão em minha barriga
- Bem e você?
- Nervoso – respondeu fazendo uma cara assustada, eu ri e lhe abracei de lado – Podemos ir?
- Sim!
- Assim que souberam o sexo me liga ok? – perguntou meu pai
- Pode deixar paizinho! – ele sorriu e deu um beijo em minha testa – A mãe já saiu?
- Sim, ela disse que estava com abstinência de compras – revirei os olhos rindo
- Agora temos que ir, não podemos perder o horário – disse Justin
- Você esta realmente louco para perder a aposta não é mesmo? – perguntei enquanto caminhávamos ate seu carro que estava estacionado no jardim de casa
- Querida, a única que vai perder cem dólares aqui é você – ele arqueou a sobrancelha e abriu a porta para mim. Assim que entrei no carro, Justin fechou a porta e deu a volta
- Você que pensa – falei quando ele entrou – E não me chame de querida
- Querida
- Não foi você que disse que não podemos perder a hora? – ele revirou os olhos assentindo e ligou o carro. A clinica onde eu estava fazendo meu pré-natal era um pouco longe de casa e por isso o caminho iria se um pouco demorado. Na radio tocava alguma musica desconhecida por mim e ali no carro um silencio gostoso reinava. Nessas horas eu parava e pensava em como minha vida mudou totalmente em tanto pouco tempo. É estranho, pensar agora, que eu e Justin éramos melhores amigos e hoje estamos a ponto de ver o sexo do nosso filho.
- O que você tanto pensa, hein? – Justin quebrou o silencio ao parar em um semáforo
- Nada não – sorri de canto. Ele colocou uma mão em minha coxa e a alisou
- Você não esta triste comigo né? Amor, eu falo tudo aquilo brincando viu? Eu vou amar se for um menino
- Claro que não seu bobo, não estou triste com você – ri – Só estava pensando como tudo isso é surreal
- Eu também fico pensando nisso – ele me deu um selinho e roçou nossos narizes – Mas não temos culpa de ter nos apaixonado um pelo outro
- Sei disso – sorri – Só de pensar que éramos apenas melhores amigos
- Você fica assustada? – me interrompeu. Assenti e ele riu.
Algum tempo depois chegamos a clinica. Entramos na mesma e ficamos esperando cerca de dez minutos para o medico me chamar. Quando o velho familiar disse meu nome, eu e Justin nos levantamos e fomos ate ele
- Olá Dr. Borges – falei sorrindo
- Como vai Kath? – ele olhou para Justin e acenou com a cabeça – Justin?
- Bem – eu e Justin respondemos em uníssono
- Me acompanhem, por favor – assentimos e seguimos Borges ate a sala de ultrassom. Ao chegar na mesma, me deitei na cama e levantei minha blusa conforme o doutor pediu – Estão ansiosos?
- Muito – falou Justin, ele estava sentado na poltrona ao lado da cama olhando atentamente para o medico
- Katherine, você esta fazendo tudo certinho conforme eu pedi? – ele perguntou. Mike Borges, era o melhor medico do mundo, ele era atencioso e não deixava nenhum detalhe escapar.
- Sim – sorri de canto. Ele assentiu e se curvou para colocar o gel em minha barriga, Justin estendeu sua mão e eu a segurei. Senti o toque gélido do aparelho espalhando o gel em minha barriga e me arrepiei
- Vamos ver aqui... – sussurrou Mike
Eu olhava atentamente para a televisão ao meu lado, olhava como se fosse ver a coisa mais importante da minha vida. O que de fato era verdade
- Humm, vejo que terá uma criança saudável
- Doutor, tem como parar de enrolação e me dizer se é menino ou menina? – falou Justin estressado
- Justin! – o repreendi enquanto Borges ria
- Não se preocupe Kath, todos os pais são assim – sorri torto e voltei a prestar atenção na mini TV – Querem saber qual o sexo? – perguntou sorrindo
- É obvio! – falou Justin debochado, revirei os olhos
- Sim doutor
- O mundo irá ganhar mais um Bieber. Um pequeno Bieber!
[...]

"- Mãe? 
- KATH É VOCÊ? - ela gritou do outro da linha - MINHA FILHA ME DIZ QUAL O SEXO
- Oi para você também Emma e sim, eu estou bem
- PARA DE ENROLAR E ME FALA LOGO
- Será que você pode parar de gritar? Eu não sou surda - resmunguei 
- Tá legal, agora responde
- É um menino - falei sorrindo e sentindo novamente as lágrimas tomarem conta de mim. Eu chorei por séculos quando recebi a notícia e Justin ria da minha reação. Eu só sei que a única coisa que eu conseguia dizer era "eu vou ganhar cem dólares". Quando entramos no carro, eu e Justin ficamos abraçados por mais alguns séculos e depois ele fez uma maravilhosa declaração para mim; o que resultou em mais lágrimas e eu longo beijo. "Você é a mulher da minha vida", era o que ele dizia a todo instante e não tinha palavras para descrever o quão maravilhoso era ouvir aquilo
- NÃO ACREDITO - ela gritou novamente e eu afastei o celular do meu ouvido - MATH VAMOS TER UM NETINHO 
- Mãe para de gritar - falei rindo e ela começou a rir também - Para! 
- Estou tão feliz - ela disse e só então percebi que ela chorava
- Você esta chorando? - perguntei - Não chora por que se não eu vou começar a chorar de novo
- Ok - ela respirou - Filha parabéns, estou tão feliz por você e Justin
- Obrigada mãe, eu também estou feliz. 
- Passa para o Justin, quero falar com ele
- Ele esta dirigindo agora mãe 
- Não seja por isso - falou simples - PARABÉNS BIEBER! 
- Porra! Para de gritar - falei e Justin riu - Você ouviu?
- Sim - ele respondeu
- Ele ouviu mãe se essa era a sua intenção. E se sua intenção era me deixar surda também, ela foi efetuada com sucesso
 - Para de graça garota - ela riu - Vocês estão vindo para cá agora?
- Não, estamos indo para a casa de Justin. 
- Tudo bem. Tchau filha
- Tchau mãe" 

Guardei meu celular na bolsa e passei minha mão na barriga. Chegamos na de Justin; que guardou o carro na garagem, descemos e demos as mãos. Ao passar pela porta encontramos Pattie, Jeremy e as crianças 
- MEUS PEQUENOS!  - Justin gritou e correu ate seus irmãos. Dei risada e cumprimentei Pattie e Jeremy com um beijo na bochecha de cada um - Amor vem aqui - caminhei ate Justin
- Oi Kath - falou Jazzy e Jaxon juntos
- Oi crianças
- A Jazzy disse que quer se a primeira a trocar a fralda do nosso filho - dei risada e olhei para ela
- É verdade? - ela assentiu 
- Como ele foi parar ai? - perguntou Jaxon passando a mão sobre minha barriga 
- Que? - perguntou Justin
- Como o seu filhinho foi parar aqui dentro, Biebs? - olhei para Justin e comecei a rir, ele ficou vermelho e começou a tentar explicar o que rendeu mais risadas de mim
- Quando você estiver maior irá entender Xon - falei e ele assentiu e saiu correndo pela casa. Eu e Justin nos sentamos no sofá de frente para Pattie e Jeremy 
- E aí? - perguntou Pattie sorrindo
- É um menininho - Justin falou com uma voz fina me fazendo rir - Perdi cem dólares, mãe
- Como assim?
- Coisa nossa Pattie - respondi enquanto dava um beliscão, discretamente, no braço de Justin - Coisa nossa!
Uma semana depois

- NÃO TEM COMO MAIS ESCONDER! - gritou Justin pela milésima vez - Já esta estampando em todas as capas de revistas - ele jogou a revista que estava em sua mão na cama e puxou os cabelos - Temos que assumir uma hora ou outra
- Você acha que isso é fácil para mim? - perguntei - É tudo tão complexo, em segundos terá milhares de pessoas me xingando e me odiando mais ainda. Eu não quero isso
- Eu não quero decepcionar minhas fãs, Kath. Eu não quero continuar escondendo sobre sua gravidez - suspirei enquanto passava as mãos em meu cabelo - Isso também é difícil para mim, imagina o quanto minhas fãs ficaram tristes comigo, porra eu só tenho vinte anos (Como a Kath esta com seis meses e ela descobriu sobre a gravidez no natal então Justin tem 20 aninhos *-* Oq irá de fato acontecer em alguns dias), Scooter já recebeu milhares de proposta de entrevistas para nós... é a nossa chance
Encarei aqueles olhos maravilhosos e suspirei assentindo em seguida
- Tudo bem - concordei relutante. Fiz um coque no cabelo e foi ate a sacada do meu quarto. Já era de noite, por volta das nove horas. Uma brisa fresca bateu em meu cabelo fazendo o coque desmanchar e cair em meu rosto. Bufei fazendo os fios voarem a voltar a ficar em meu rosto, refiz o coque e me senti na cadeira que tinha ali. Comecei a acariciar minha barriga o que fez com que algumas lágrimas formassem em meu rosto. Por que tinha que ser tão difícil?
- Kath - Justin sussurrou ao se sentar ao meu lado. Dei um espaço para ele; que por sua vez passou seu braço pelo meu ombro e pousou uma mão em minha barriga - - Eu te amo tanto
- Eu também te amo - olhei para ele e acariciei seu rosto - Pode marcar a entrevista, ok? - ele ficou me encarando por um tempo e depois assentiu fraco 
- Eu falo com Scooter amanhã - sussurrei um "okay" em resposta e lhe dei um selinho que logo se transformou em um longo beijo. Sua língua percorria minha boca a procura de novos lugares para explorar, mordi de leve seu lábio inferior e o puxei para mim voltando a beija-lo em seguida. Justin murmurava em meio aos beijos e chupava minha língua das melhores formas possíveis. Sua mão que estava em minha barriga desceu ate minha coxa e começou a acaricia-la. Encerramos o beijo com diversos selinhos e depois sorrimos um para o outro - Você é sexy! - dei risada
- Mesmo estando gorda?
- Você é uma gorda sexy - ele falou sorrindo - Minha gorda sexy
- Só sua!
- Amor... - pausou - Como que vai chamar nosso filho? - cerrei os olhos e fiquei pensando por um tempo, como que iria chamar meu filho?
- De que nome você gosta? - perguntei
- Humm, eu gosto de James, Henry, Andrew - mordeu os lábios pensativo
- Brian?
- É bonito - sorriu - Brian Collins Bieber
- Ou Brian Bieber Collins?
- Collins primeiro - ele falou fazendo careta, ri e passei minha mão na barriga 
[...]
Justin Bieber POV

Estacionei minha Range Rover no estúdio do programa e respirei fundo
- Esta na hora - falei e ela assentiu. Saímos do carro e caminhamos lado a lado ate o interior do estúdio. Scooter nos esperava andando de um lado para o outro, assim que nos viu deu um sorriso torto e veio falar conosco
- Como estão?
- Nervosa - Kath falou e ele riu
- Tenta agir naturalmente e não demonstrar que esta com medo da reação das Beliebers
- Acho isso um pouco impossível 
- Então faça o impossível! - o repreendi com o olhar e ele deu de ombros. Senti Kath segurar minha mão fortemente e olhei para ela sorrindo 
- Fica calma
- Seus pedidos não adianta em nada, essa é a primeira vez que vou participar de um programa
- Relaxa - ela revirou os olhos bufando
- Idiota - resmungou. Dei um beijo em sua testa e a apertei em meus braços. 
Cerca de quinze minutos depois, algumas pessoas começaram a nos chamar e indicar que era para entrarmos no palco. Katherine se encolheu em meus braços e apertou mais minha mão, antes de entrar no palco eu lhe dei um longo selinho
- Eu te amo - sussurrei e entramos no palco sobre os aplausos da platéia.
- Olha aí o casal Jatherine - a apresentadora, chamada Michelli, falou animada. Eu e Kath a cumprimentamos e nos sentamos no sofá que ali tinha - Como você esta Justin?
- Muito bem - sorri fraco
- E você Kath? Soube que é sua primeira vez em um programa
- Sim, é a primeira vez. Estou muito nervosa, se quer saber - dei risada e a confortei com um olhar que logo foi percebido pela platéia que murmurou um "awwwn". Kath corou e eu ri novamente 
- Hoje iremos falar sobre muitas coisas - deu enfase em muitas. Nós dois assentimos e começamos a prestar atenção nas perguntas a seguir - Vocês estão juntos a quanto tempo? Tipo não oficialmente
- Nós começamos a nos envolver quando eu ainda estava em turnê - falei e a platéia gritou - Houve alguns problemas que fez com que nós nos aproximássemos mais
- Que acontecimentos?
- Eu prefiro que não fale - disse Kath engolindo em seco. Michelli assentiu
- Quando foi o primeiro beijo de vocês? - dei risada e mordi os lábios lembrando
- Se eu não me engano estávamos em Nova Jersey 
- Onde foi, exatamente?
- No quarto do hotel - falei. O que foi metade verdade, já que nos beijamos debaixo do chuveiro do banheiro do quarto de Katherine
- No quarto? - perguntou Michelli maliciosa - Humm...!
- Não! - gritei rindo - Demoramos um pouco para usar o quarto para isso - olhei de canto para Kath que arregalou os olhos e abriu a boca em perfeito O. Michelli, por sua vez teve um ataque de riso juntamente com a platéia 
- Como ousa falar uma coisa dessas? - Katherine perguntou - Céus que vergonha! 
- Fica assim não meu anjo - falei rindo
- Continuando... - falou a apresentadora se recompondo - A algum tempo saíram boatos de uma suposta gravidez de Kath - assenti engolindo em seco - O que você tem a dizer sobre isso Justin?
- Eu sei que muitas pessoas irão nos julgar - falou Kath antes de eu me pronunciar -, que talvez ele perca muitas fãs ou que elas me odeiam mais só que... não foi planejada. Jamais seria, já que somos novos. E sabemos disso mas... nós estamos lidando com uma responsabilidade imensa. Nós sabemos como as coisas serão daqui para frente - seus olhos começaram a se encher de lágrimas e aos poucos elas foram liberadas - Sabemos que teremos que enfrentar o mundo nos julgando, sabemos que não poderemos mais agir como dois adolescentes; só que eu acostumei a pensar, de um tempo para cá, que tudo isso valerá a pena. É por um bom motivo, sabe? 
- Como você age ao pensar que terá milhões de pessoas te julgando? - Michelli perguntou a Kath, ela respirou fundo, limpou as lágrimas e sorriu lindamente
- Se nem meus pais e os pais de Justin nos julgaram, por que eu me importaria com a opinião do mundo? - Kath arqueou a sobrancelha e eu sorri com sua resposta - Eu realmente não vou me importar com todas as difamações. A única coisa que me importa agora é meu filho 
- Então é um menino?
- Sim - respondi sorrindo alegremente - É um garotão 
- Prevejo um Justin te paparicando muito, hein Kath? 
- Isso já esta acontecendo, pode ter certeza - Michelli riu 
- Como Kath te contou Justin? 
- Foi no natal - sorri para Katherine - Na entrega dos presentes, na minha vez eu dei a ele um anel de compromisso já que em poucos dias estaríamos completando dois meses de namoro. Ai ela aproveitou e entregou o meu; que estava em um envelope
- O que você achou que era?
- Uma viajem, talvez - falei dando de ombros - Eu não sei, mas a última coisa que passava em minha mente seria um resultado de um exame de gravidez positivo 
- E como foi a reação dele, Katherine?
- Ele me olhou incrédulo e eu comecei a chorar quando ele sorriu. Ai Justin me abraçou e começou a dizer diversas vezes obrigado
- Por que obrigado? - dessa vez foi eu que respondi
- Porque naquele momento eu havia realizado todos os meus sonhos. 

Três meses e algumas semanas depois

Katherine Collins POV

Minha respiração esta descompassada e eu suava frio. Me sentei na cama e me apoiei em um braço, minha minha mão ficou em meu ventre por um bom tempo. Respirei fundo e apertei os olhos tentando aliviar aquela dor, porem foi em vão; senti uma pontada e berrei
- MÃE! PAI! THOMAS! - segundos depois os três entraram correndo no meu quarto e se desesperaram ao ver daquela forma
- O que houve?
- Ele vai nascer - falei entre arfadas - Brian vai nascer. Ai meu Deus!
- Calma filha, respira fundo - minha mãe sentou ao meu lado - Math, pega a bolsa do bebe ali no closet e a cadeirinha e coloca no carro - meu pai assentiu e saiu correndo
- Eu vou trocar de roupa - Thomas disse e saiu correndo. Minha mãe foi ate o closet e fez uma mala com algumas roupas minhas
- Liga pro Justin, liga pro Justin. Por favor, eu quero ele aqui comigo
- Calam Katherine, você tem que ficar calma - assenti respirando fundo. Meu pai logo apareceu e me pegou no carro. Minha mãe pegou uma roupa em seu quarto e saiu correndo atrás de nós. Fui colocada no banco de trás, Emma se sentou comigo e apoiou minha cabeça em seu colo. Meu pai foi dirigindo e Thomas ao seu lado. O caminho não demorou dez minutos, mais para mim pareceu séculos. Ao chegar no hospital, fui imediatamente colocada em um maca e levada para o centro cirúrgico. Eu precisava de Justin comigo.

Justin Bieber POV

Abri meus olhos ao notar que meu celular tocava irritantemente. Bufei e estiquei meu braço para pega-lo, atendi sem ao menos ver quem era

"- Alo? - perguntei demonstrando minha frustração
- VENHA AGORA PARA O HOSPITAL - uma voz masculina gritou do outro lado. Sentei na cama confuso
- Que? Quem ta falando?
- É O THOMAS PORRA! A KATHERINE TA ENTRANDO EM TRABALHO DE PARTO
- O QUE?
- É ISSO QUE VOCÊ OUVIU,VENHA PARA CÁ AGORA"

Joguei meu celular na cama e dei um pulo da cama indo ate o closet. Vesti qualquer roupa, escovei os dentes e fui ate o quarto da minha mãe. Ela acordou assustada mas foi correndo se arrumar quando soube o motivo, enquanto ela se aprontava, voltei ao meu quarto e fiz uma mala com algumas roupas. Pretendia sair do hospital somente com Kath e Brian. Quando Pattie ficou pronta, fomos correndo para o carro e eu parti em alta velocidade para o hospital. 
[...]
- Preste atenção - falou Dr. Borges quando eu terminei de vestir aquela roupa de hospital - Katherine é nova e por isso ela pode correr risco na hora do parto, então caso acontece alguma coisas e eu pedir para você sair, você sai. Combinado?
- Não vai acontecer nada com ela 
- Eu espero - ele sorriu e deu um tapinha em meu ombro. Respirei fundo e entrei na sala de cirurgia. Katherine estava deitada e da porta eu percebia o quanto ela estava nervosa e ofegante, me aproximei dela e segurei sua mão 
- Hey, eu to aqui - ela sorriu ao me ver - Vai dar tudo certo, viu?
- Eu te amo - ela sussurrou. Me curvei e beijei sua testa 
- Eu também te amo
Os médicos começaram a pedir para Kath fazer força e ela correspondia aos pedidos com falhos resultados. Ela segurava minha mão com tanta brutalidade que eu temia com que ela a quebrasse, Kath apertava os olhos fortemente e gritava a cada vez que fazia força. Vê-la daquela forma era tão desesperador, seus batimentos cardíacos só aumentava mais e mais. E eu não podia fazer nada a não ser olhar. Foi então que eu ouvi um som maravilhoso e no mesmo instante eu comecei a chorar, Kath suspirei aliviada e sorriu. A enfermeira pegou aquela criaturinha e a enrolou em um coberto roxo, sorri quando ela começou a andar em minha direção. O peguei no colo com todo cuidado e beijei sua testa sem importar se ele estava sujo ou não. Sua pequena mãozinha agarrou meu dedo e eu dei uma risada com isso. Caminhei ate Kath e o coloquei em uma altura que ela pudesse vê-lo. Ela sorriu e acariciou o rostinho de Brian
- Ele se parece com você - ela falou sorrindo, eu ri e dei um selinho em seus lábios - Nosso filho! - quando ela disse aquilo eu senti algo tão forte dentro de mim. Era uma emoção tão grande, algo inexplicável. 
- Nosso filho! - repeti sorrindo
A enfermeira pegou Brian no colo e o levou para vesti-lo, eu fui ate a recepção e dei a noticia de que tudo tinha ocorrido bem. Kath foi para o quarto e eu tive que esperar um pouco para ela amamentar nosso filho. Eu fiz praticamente um barraco, o que deu certo já que eles me liberaram para ficar no quarto com ela. Quando entrei no quarto vi a cena mais linda do mundo; ela olhava para nosso filho sorrindo enquanto o amamentava, seus olhos brilhavam intensamente e ali eu vi o quanto eu era sortudo de ter aquela mulher para mim. Me aproximei da cama e só então ela me notou ali
- Ele é um esfomeado - ela disse
- Parece com alguém que eu conheço - falei rindo e ela revirou os olhos
- Idiota - ri e me sentei na berada da cama
- Como você esta se sentindo? - perguntei
- Exausta!
- Você quer alguma coisa?
- Só arrume o travesseiro aqui para mim - assenti e levantei. Arrumei o travesseiro conforme ela pediu e depois voltei a me sentar ao seu lado. Fiquei acariciando o pequeno pé de Brian enquanto olhava para seu rostinho delicado, sorri e suspirei - O que foi?
- Ele é tão lindo - Kath riu e concordou
- Parece com o pai
- Depois eu sou convencido - revirei os olhos - Posso tirar uma foto dele?
- Pode - peguei meu celular no bolso e tirei a foto - Vai postar?
- Se você quiser eu posto - falei a olhando - Mas se não quiser não tem problema
- Pode postar, mostre as Beliebers o pequeno Bieber - sorri e assenti. Postei a foto com a legenda: : "Esse é meu filho. Brian Collins Bieber" - Amor?
- Hum?
- Me da um beijo? - sorri e me curvei para selar nossos lábios. Minha língua pediu passagem e Kath aceitou abrindo mais sua boca, todo amor e carinho era transmitido ali. Ao parar o beijo lhe dei um selinho e esbarrei minha boca na sua
- Eu te amo - sussurrei
- Eu também te amo - sorri ainda com os olhos fechados. Abri meus olhos e olhei para Brian
- Credo que cheiro ruim - reclamei e Kath resmungou
- Ele cagou de novo? A enfermeira acabou de trocar - gargalhei e ajudei-a a levantar e seguir ate a comoda que tinha ali. Kath colocou Brian deitado ali e começou a tirar a roupinha dele lentamente
- Vamos falar para Jazzy que nunca trocamos a frauda dele
- É mesmo - Katherine tirou a frauda do pestinha e eu arregalei os olhos
- Esse não nega o pai que tem - ao falar isso, ela teve um ataque de riso - Olha o tamanho do saco desse moleque - falei inconformado
- Amor! - ela me repreendeu e eu ri - Esta preparado?
- Para que?
- Para a nossa nova vida. Papai e mamãe - ela limpou Brian;  pegou outra frauda o vestiu e depois colocou uma roupa limpa 
- Eu nasci preparado - falei me achando e ela negou rindo. Passei meus braços por sua cintura e beijei seus lábios delicadamente - Agora somos uma família!

Oi meninas :) Me desculpem pela demora, a escola ta me roubando um bom tempo e eu queria fazer um capítulo grandinho, não teve muito sucesso mais ta aí!
Eu particularmente não gosto de finais de fanfics, mas uma hora ou outra tem que acabar.
O próximo capítulo - que é o último :( - eu vou passar alguns anos e mostrar como a vida de Jatherine está e eu espero que vocês gostem. 
Respondendo a pergunta da Carol, que comentou como anônimo: eu irei sim escrever outra fanfic. Eu já ate cheguei a falar sobre ela aqui, Broken ( O MESMO NOME DA MÚSICA QUE O JUSTIN LIBEROU ESSES DIAS, EU PIREI QUANDO EU VI *--*) 
Talvez eu poste a sinopse dela no mesmo dia em que eu postar o último capítulo de Only Best Friends, prometo que não vou demorar :)
Aiin gente to ansiosa para o Believe Movie, vou conhecer uma leitora;  a Gabriela Muinho 
Tá legal é isso, beijokaas e até!

17/02/2014

Summer Paradise - Bitching at the pool

6 comentários: | |

"Poderosa, eu sou quase um anjo.
Hipnose, já ganhei você."
Meiga e Abusada - Anitta


                Lucy Montgomery’s P.O.V.

                - Vocês só sabem se beijar? – Chris perguntou nervoso.
                - Ô ciumento, aquiete a pepeca e deixe eu beijar a minha namorada? Grato – Justin falou revoltado. Logo se virou para mim de novo, que apenas ria da situação, e beijou-me novamente. Ah, eu não ia negar um beijo de Justin! É o beijo de Justin, o beijo dele tem algo especial que eu ainda vou descobrir o que é. Talvez seja só amor.
                - Chega, né? – Dessa vez foi Chaz que reclamou.
                - Chaz, me ame menos – falei com um sorriso meigo no rosto.
                - Impossível, gata – ele mordeu os lábios.
                - Pare de cantar minha namorada! – Justin se irritou. Todos nós rimos, ele ficou apenas parado com cara de taxo ouvindo nossas risadas. – Amor, não deixa eles me zoarem.
                - Justin, você é muito ciumento, tem que parar com isso – falei controlando minha risada. A forma que Justin gritara com Chaz, fora muito engraçado!
                - Até você? – Ele pareceu incrédulo. – Depois dessa, até o final das férias sem beijo.
                - Tudo bem – dei de ombros. – Tenho o Chaz. – Justin com certeza voltaria a trás quando ouvisse.
                - Vai lá – ele olhou para mim sorrindo, fiquei com cara de taxo. Ah, isso não ia ficar assim, não mesmo! Levantei da cadeira e fui até Chaz, sentei-me em seu colo e ele sorriu malicioso.
                - Tira esse sorriso do rosto, moleque, eu não vou te beijar – sussurrei no ouvido dele. Na hora, o sorriso desmanchou-se.
                - Nossa, você é muito carinhosa, Lucy – ele foi irônico.
                - Eu sei, amorzinho – dei um sorriso e um beijo na bochecha dele. – Obrigada.
                - De nada – ele sorriu falso. Eu e Chaz ficamos abraçados, apenas para provocar Justin. Ele nos olhava com fúria nos olhos, os garotos só riam enquanto eu dava de ombros. Quem mandou ficar de ciúmes e me deixar de “castigo”?
                - Chega! – Justin levantou e me pegou no colo. – Agora você entra na piscina! – Ele me jogou na piscina do hotel, que estava vazia. Só consegui gritar antes de sentir meu corpo entrar em contato com a água enquanto meu corpo estava colado ao corpo quente de Justin. Gostoso... Só digo isso, hehe.
                Abri os olhos embaixo d’água, Justin me olhava sorrindo. Grudou nossos lábios e voltamos à superfície ainda com nossos lábios juntos. Separamo-nos, recuperamos o ar, mas em seguida demos um beijo de verdade. Seus lábios macios e molhados, devido à água, encontravam os meus de maneira calma e gostosa, sua língua percorria por toda a minha boca. Sua mão esquerda estava em minha nuca, abaixo de meus cabelos, enquanto sua mão direita estava em minha cintura, puxando-me para mais perto dele a cada segundo. Ambas de minhas mãos estavam em seu rosto, puxando-o mais para mim. Resumindo: não havia espaço nem para o ar passar entre nós. Encerramos o beijo comigo mordendo seu lábio inferior. Ele sorriu malicioso.
                - Que pouca vergonha é essa? – Caitlin gritou da mesa. Eu e Justin apenas rimos. Ele me abraçou por trás e levantou os ombros, como quem fiz “não posso fazer nada”. Os garotos riram.
                - E a greve? Já acabou? – Perguntei virando-me para ele.
                - Já, não aguento ficar longe de você ou dos seus lábios – dei uma leve risada e Justin logo juntou nossos lábios novamente.
                - Daqui a pouco eu morro sem ar Justin – falei rindo.
                - Morre, não, eu faço respiração boca a boca – ele sorri malicioso.
                - Você não presta, Drew – dei um tapa em seu braço coberto por tatuagens.  
                - Eu presto, e você sabe disso – ele sorriu malicioso. Ri novamente, mas dessa vez mais alto.
                - Pare com isso! Parece um maníaco! – Falei ainda rindo.
                - Ei, maníaco não! – Ele pareceu ofendido.        
                - Não se ofenda, apenas pare de dar esses sorrisos maliciosos. – Toquei seus lábios com o dedo indicador.
                - Você gosta, gata, eu sei que gosta – ele sussurrou em meu ouvido, fazendo-me arrepiar. – Hum, ficou arrepiadinha – ele pareceu se divertir com isso. Ele pegou em meu pescoço com a mão esquerda, fazendo minha cabeça tombar para trás, chegou perto do mesmo e deu beijos leves por ali. Eu me arrepiava ao lembrar da nossa primeira noite de amor há três verões...

                Lucy Montgomery’s P.O.V.



E aí, garotas?
Desculpem a demora, pelo amor de Santo Cristo. Eu realmente tô com uma puta dificuldade de postar e tal.
Espero que tenham gostado. Eu, particularmente falando, gostei desse capítulo. Sei lá, eu li e gostei haha. 
Mais uma vez: me perdoem! Por favorrrrrr
Ok, é isso. Me digam o que acharam e tals.
E morram agora com a foto do Justin com o Chris, beijos: