13/12/2013

Envie sua fanfic: You Are A Queen by @ACobaiyn

| |
4 meses depois outra pessoa enviou uma fanfic para o "Envie sua fanfic" hahaha \o/
Quem mandou essa foi a Audrey :)


Olá,meu nome é Elizabeth. Tenho 19 anos e desde que me entendo por gente eu me odeio. Não exatamente me odeio mas...me odiava. Quer saber a minha história? Irei contar-lhes o motivo de tanto ódio por mim mesma. Quando eu tinha exatamente 6 anos, garotas da minha escola me xingavam e gritavam comigo. Elas mentiam sobre mim para os professores e desde sempre eu tenho trauma disso. Não tenho amigos, eu afasto as pessoas de mim. Mas o único garoto que se atreveu a falar comigo virou o meu verdadeiro amor.

Flashback ON
- Elizabeth! Para com isso. - Justin dava murros na porta do banheiro e gritava. - Liza,eu estou aqui...estou com você não precisa fazer isso.
Ele estava gritando comigo pelo fato de eu ter lido uma página no Facebook declarando ódio para mim e logo em seguida ter pego uma adaga e entrado no banheiro. Era de uma líder de torcida da nossa escola ''Stewart's High School'', a ''Ashley'' uma das meninas mais bonitas da nossa escola e mais popular também.
- Justin, me deixa em paz ta bom? - gritei. - Eu nem sei porquê você está aqui...você nunca se importou comigo! Sempre me chamou de ''Nerd Estúpida'' e agora está de boa vontade pra cima de mim...me deixa em paz, certo?
- Não, eu não posso te deixar sozinha. Eu prometi lembra? Não, eu não posso. Liza sai desse banheiro e vamos conversar. Amanhã nós iremos para escola e vamos falar com o diretor. A Ashley vai apagar essa página e iremos esquecer tudo isso ok? - ele insistiu.
- Tudo bem apagar a maldita página! MAS AS PESSOAS NÃO IRÃO ESQUECER ISSO JUSTIN. Seus amigos fazem piada comigo, TODO MUNDO DAQUELA MALDITA ESCOLA FAZ PIADA SOBRE MIM! E isso Justin, isso nunca vai mudar.
- Claro que vai! Se você confiar em mim...eu irei te mostrar como irá mudar. Agora, sai do banheiro. - ele parecia estar com uma voz de choro.
- Não posso...- falei.
- Claro que pode! Você é uma garota forte...você é a MINHA garota forte! Você pode sim. - ele insistiu mais uma vez.
- Justin...eu te amo. - criei coragem e enfiei a adaga no lado esquerdo da minha barriga e logo depois tirei-a jogando no chão e arfei. Estava enxergando meu sangue saindo aos poucos,estava enxergando tudo embaçado. Escutava barulhos na porta...''pam,pam, pam'' e de repente eu vi a porta se abrindo e vi Justin desesperado me segurando quando eu ameacei cair. Depois disso? Tudo ficou escuro.
***
Minha cabeça doía, minha barriga doía e minhas mãos também doíam. No começo ficou difícil de abrir os olhos, pois eu sentia minhas pálpebras pesadas e elas doíam. Eu podia escutar vozes, podia escutar diferentes tipos de sons. Isso poderia doer mas eu precisava saber de quem eram essas vozes e me equilibrei mentalmente para abrir os olhos.
- Liza? - um menino muito bonito loiro pareceu feliz ao me ver.
-... - demorei alguns instantes para raciocinar tudo. - Quem é você? - eu realmente não o conhecia.
- Não se lembra de mim? - ele pareceu surpreso.
- Desculpa...mas não.
- Sou eu..., Justin. - ele se animou ao falar o nome. Deve ser porque ele achou que eu iria me lembrar, mas foi em vão.
- Justin? Você sabe quem eu sou? - eu o perguntei ao reparar aonde eu estava e como eu estava.
-... - ele pareceu surpreso mais uma vez. - Espera! Espera aqui que eu vou chamar o doutor. - ele saiu correndo igual a um maluco. Mas como eu iria embora se eu nem sei quem eu sou?
Logo ele voltou com um senhor todo vestido de branco e com uma prancheta marrom na mão.
- Olá Elizabeth! Como está se sentindo? - ele sorriu simpático.
Eu olhei para o lado para ver se ele estava falando comigo ou com outra pessoa.
- Meu nome é Elizabeth? - percebi que o doutor realmente falava comigo, pois não havia ninguém do meu lado.
- Sim...seu nome é Elizabeth. - ele pegou um banco e se sentou do meu lado. Depois pegou a lanterna e examinou meus olhos, ouviu os meus batimentos cardíacos e etc. - É...senhor Bieber, ela realmente perdeu a memória.
- Mas...e agora? É grave? Ela vai recuperar a memória? - ele interrogou.
- Não posso te dizer que é grave, só com alguns exames de sangue. E provavelmente ela nunca mais irá recuperar a memória...sinto muito.
- Sente muito? Não senhor, ela...na verdade nós, temos que agradecer porque ela não irá mais recuperar a memória. Ela sofreu tanta coisa que...eu prefiro nem lembrar. Mas por quanto tempo ela irá ficar aqui?
- Ela poderá sair amanhã...e senhor Bieber, vocês dois devem ter passado por muitas coisas juntos hein? - o doutor saiu.
- Passamos? - eu perguntei.
- Sim...passamos, e uma garota tão linda como você não merecia passar por tudo aquilo.
- Posso te fazer uma pergunta? Na verdade uma sessão de perguntas?
Ele riu com o nariz, se sentou no lugar onde aquele doutor estava e assentiu.
- Hmm...quem eu sou?
- Seu nome é Elizabeth Marie Mercyy, você tem 19 anos. Você tem dois irmãos mais velhos, Fabrício de 21 anos e Michel de 25 anos, seus pais estão na Flórida mas estão vindo te visitar. A propósito eles fizeram 35 anos de casados ontem. Você é uma garota linda, esperta, inteligente e fiel.
- Hmm...nós...nós...so-somos namorados? - fiquei com medo da resposta.
- Praticamente. - ele sorriu.
- Como assim ''praticamente''?
- Ahm...você me odiava, mas eu sempre te amei...mesmo negando eu sempre te amei. Depois de um tempo nós nos conhecemos melhor e...aconteceu.
- Eu sou virgem? - perguntei, o que fez ele ficar boquiaberto e sem reação alguma.
-... - ele estava paralisado. - Elizabeth...a gente nunca transou. - ele pareceu estar aliviado.
- Tem certeza? - arqueei uma sobrancelha.
- Tenho. - ele confirmou. - Mas alguma coisa? Acabou a interrogação?
- Eu só tenho um pedido.
- Qual? Está incomodada com algo?
- Sim, eu...eu quero...sentir seu beijo. Quero que você me beije.
''Por que eu estou falando isso?'' -pensei.
Ele ficou um pouco surpreso com tudo isso mas logo depois me ''obedeceu''.
Juntamos nossos lábios e eu pude sentir. O desejo, a sedução, o romance, a paixão e o calor em que as nossas almas sentiam umas pelas outras. Era uma forte sensação.
***
- Está pronta? - Justin me deitou na cama e ficou em cima de mim logo em seguida.
- Sempre. - sorri de lado.
- ''Cogumelos''. - ele disse se referindo há quando eu sentir uma dor e der um sinal de que não quero mais fazer isso.
- Cogumelos? Não pode ser algo tipo...''Tira essa porra de dentro de mim?''. - fiz graça.
- Shhh...- disse ele beijando o meu pescoço e me fazendo arfar.
...
Quando eu reparei eu já estava em cima do Justin fazendo movimentos de vai e vem e gemendo junto com ele. Justin puxava meu cabelo para trás e me fazia chupar o pescoço dele. Minutos depois estávamos um do lado do outro na cama, o único barulho que podíamos ouvir no quarto era o barulho de nossa respiração ofegante.
***
- Eu preciso te dizer...que eu estou completamente literalmente apaixonado por você! - Justin subiu em cima da mesa e chamando a atenção de todos.
- Justin o que você está fazendo? - sussurrei pra ele envergonhada. - Sai daí. - ordenei.
- Atenção! Senhoras e senhores! Eu gostaria de dizer algumas palavras. Elizabeth! Como eu já disse mais de 1 zilhão de vezes e pretendo continuar a dizer ''eu te amo'' - ouvi todo mundo do restaurante gritar ''oooownt''- e...pretendo criar uma enorme família com você! Eu sei que nunca vai ser fácil, que nós sempre iremos errar e em seguida iremos aprender com os nossos erros. Mas baby, quero que saiba que eu pretendo passar as melhores noites ao seu lado. - ele deu um pulo da mesa e aterrissou no chão, logo em seguida ficando de joelhos para mim...Droga! Eu já sabia o que ele estava querendo fazer. - Elizabeth Marie Mercyy você quer se casar comigo? - ele abriu um enorme sorriso e tirou uma aliança do bolso.
Ahhh' você já sabe qual é a minha resposta né?
- Siiim! - eu sorri e ele se levantou, logo em seguida ele botou o anel no meu dedo e me beijou.
***
- Feliz Natal, mãe! - a abracei com muita dificuldade já que a minha barriga estava muito grande.
- Feliz Natal meu bem. - ela beijou meu rosto. - Estou louca para o meu netinho nascer! - ela sorriu.
- Pois éer...ele vai nascer daqui há 2 semanas.
- Feliz Natal minha princesa. - meu pai me abraçou.
- Feliz Natal pai. - nós demos um selinho. Isso para algumas pessoas é nojento ou até é considerado ''pedofilia''. Mas para mim e para o meu pai era uma ótima forma de dizer que nós nos amamos muito.
- E quando meu netinho vai nascer? - ele interrogou.
- Bem...fomos ao doutor semana passada e ele nos disse que daqui há 2 semanas. Estou tão nervosa...irei ter o melhor encontro da minha vida e nem sei como me preparar.
- Vai dar tudo certo, filha!
***
- Tá, tudo tãaao calmo. - resmunguei.
- Amor...relaxa tá? Tudo vai dar certo. - Justin começou a massagear meus ombros.
- Estou com medo Jus. - reclamei. - O médico disse que era pra ele ter nascido semana passada. E se... - Justin me interrompeu.
- Shawty, você sabe que eu odeio quando você fala ''e se...''. Você sempre deve ter certeza de alguma coisa. Tudo vai dar certo viu? - ele me selou.
-... - suspirei - Tem razão..desculpa. - selei ele. E senti o bebê chutando - Amor, bota a mão aqui. - peguei a mão dele e botei no local.
- Nosso filho dando sinal de vida pra você. - ele sorriu. - Eu disse que tudo estava bem. Não se preocupe. - nos beijamos.
Ficamos o resto da tarde ali, só namorando e conversando com o nosso filho. Sim, era menino, depois de muuuita briga nós decidimos ali mesmo que o nome dele seria Paine Abraham Bieber.
- Amor...? - Justin estava estranho.
- Que foi? - eu me senti meio desconfortável pois senti alguma coisa descendo.
- Você mijou nas calças? Seja sincera comigo!
- O quê? Claro que não amor...eu acho que...MINHA BOLSA ESTOUROU. - senti um líquido saindo de mim e leves contrações.
***
Depois de mais de 11 horas de parto (gente 11 horas de parto são normais. Pior foi o meu que minha mãe disse que foram 3 DIAS de parto só pra mim sair KKKKK'). Continuando...nosso filho nasceu (foto do meu lindo filho com o GOXXTOSO DO JUBS :D)
***
Bem...digamos que eu realmente aprendi com a minha história. Contanto que eu não me lembro de nada,eu me sinto orgulhosa por mim e por Justin também que sempre me deu amor, mesmo quando eu pedi ódio. E...eu acho que se você passar por cima dos seus problemas e se você não se achar bonita o suficiente meu bem eu te digo, nunca será o suficiente.

Notas finais da autora: Ahmm...esse texto foi inspirado não só em mim mas nas pessoas que sofrem bullying na escola ou na internet e eu te digo, não é somente ''Stay Strong'' ou ''Never Say Never'' ou até mesmo ''Believe'' que irá fazer você se erguer e continuar a sua caminhada. Eu fiz esse capítulo único na esperança de que você, caro leitor, se esqueça de seus relacionamentos, problemas com seu dinheiro, na sua escola, problemas em casa, problemas com a família e os demais...Caramba!...eu vim aqui na intenção de te fazer abrir os olhos. A Elizabeth perdeu a memória, conseguiu seguir com a vida dela mesmo sabendo que ela tinha sofrido muito no passado! Isso é pra você pensar consigo mesmo: ''É, a Audrey tem razão nunca será o suficiente se EU não achar que é o suficiente!'' E é por isso que eu te digo, jovem leitora:

You Are A Queen

Não sabe o significado? Procure no Google Tradutor.



Quer enviar a sua? Acesse a página "Envie sua fanfic".

7 comentários:

  1. Anwwwwt perfeito ! Faz mais ?'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwnt thanks ;))) eu não acho que tenho vocação para ser uma 'moderadora de blogs' e etc. Mas se tem gente que gostou eu vou tentar fazer mais ;)))

      Excluir
  2. Nossa, amei, sério, essa fic ficou demais *-* Sem contar que as notas finais da autora quase me fizeram chorar, pois eu sei como é sofrer bullying e tals, mas ela tem razão, enquanto não intendemos que temos que nos aceitar como somos, ninguém vai nos aceitar, e fala sério, a opinião de certas pessoas são desnecessárias na nossa vida. Temos que intender que somos todos perfeitos do nosso jeito, até porque Deus nos fez segunda a Sua imagem e semelhança, e Deus é perfeito, e só faz coisas perfeitas, certo? Então pra que ficar dando atenção para essas pessoas? Como uma amiga mesmo me disse, as pessoas que praticam bullying, são pessoas que para não se sentirem mal, fazem os outros se sentirem mal, pois no fundo, eles mesmo não se aceitam... Enfim, é melhor eu parar né, já falei/escrevi demais u.u A IB ficou demais, eu amei ♥ Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwwwnt quanto amor! Fico realmente feliz por terem gostado ;))) Sabe...eu realmente pensei várias vezes se iria ou não iria enviar a fanfic e depois aconteceu uma séeeerie de coisas horríveis na minha vida e eu realmente decidi inspirar milhares e milhares de pessoas,começando por histórias (reais ou não reais) mas com verdadeiros significados.


      Excluir
  3. CARA EU TE AMO. Uma short fic boa assim é rara hoje em dia, mas a sua surpreende, tipo MUITO. Amei muito, de verdade*-*

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar um comentário. Além de deixar a autora feliz, vai ajudá-la a saber se você está gostando ou não. Se achar algum link que não esteja funcionando nos avise.