28/11/2013

ILWMB: Capítulo 13 - I wish this day could last forever

13 comentários: | |
"Eu morri todos os dias esperando você. Querido, não tenha medo, eu amei você por mil anos, eu amarei você por mais mil. E o tempo todo eu acreditei que encontraria você. O tempo trouxe o seu coração para mim. Eu amei você por mil anos, eu vou amar você por mais mil."

19 de agosto de 2016 - Nova York, sábado, 1:15PM
Um som irritante ecoava pelo meu quarto, me forçando a abrir os olhos. Depois que meus olhos se acostumaram com a claridade que entrava pelas janelas eu descobri que era meu celular que tocava em cima do meu criado-mudo. No visor estava escrito "Justin" e eu atendi rapidamente.

"Charlotte: Oi? - Disse sonolenta.
 Justin: Estava esperando ser atendido com um "boa tarde, coisa maravilhosa". - Ri. - Tava dormindo?
 Charlotte: Estava. Quantas horas?
 Justin: Já são 1:15.
 Charlotte: Sério isso? Dormi demais...
 Justin: É, eu percebi. - Nós dois rimos. - Se você se arrumar rápido nós podemos sair pra almoçar.
 Charlotte: Não podemos, temos que ficar um tempo sem ser vistos juntos.
 Justin: Uma hora eles vão descobrir tudo, Char. E você acha que eles não percebem que eu estou indo aí todos os dias?
 Charlotte: Ok, você me venceu. Onde vamos?
 Justin: Surpresa. Eu tô saindo daqui agora, tô na garagem. Daqui a pouco chego aí.
 Charlotte: Até daqui a pouco então.
 Justin: Até."

Finalizei a ligação e coloquei meu celular de volta no criado-mudo. O quarto já estava todo arrumado, então fui direto para o banheiro e tomei um banho que me ajudou a despertar e tirar toda a preguiça que se alojava no meu corpo. Odiava acordar tarde porque sempre ficava com dores no corpo depois.
Quando terminei fui até o closet e vesti uma roupa fresca para aguentar o calor de Nova York, mas ao mesmo tempo arrumada para sair ao lado do maior astro pop do mundo. Eu estava me sentindo extremamente bonita e feliz hoje.
Ao chegar na sala, todos estavam ali, menos Sarah, que quase todo sábado saía com Peter.
Chaz: UAU! - Ele gritou, me fazendo corar e Justin olhou feio pra ele, que levantou as mãos pro alto, como se estivesse se rendendo. - Você sabe que eu nunca teria nada com ela.
Ryan: Mas que tá linda tá. - Justin deu um tapa nele. Nós todos rimos dos ciúmes do Justin.
Charlotte: Muito obrigada pelos elogios. - Falei sentando entre Justin e Caitlin. - Vocês vão fazer o que hoje?
Christian: Eu, Chaz e Ryan vamos visitar uns amigos. Já a Caitlin eu não sei.
Caitlin: Vou pro shopping com umas amigas de infância. E vocês dois?
Charlotte: Vamos sair pra almoçar. Pelo menos foi o que o Justin disse.
Justin: Mas nós vamos mesmo, não acredita em mim?
Charlotte: Não é isso, é que você tem mania de me surpreender. - Ele riu.
Justin: Você gosta. - Assenti sorrindo. - Aliás, vamos de uma vez, já são quase 2 horas. - Ele falou levantando. Abraçou Caitlin e se despediu dos meninos. Fiz o mesmo e combinei com Caitlin de sairmos juntas à noite.
Eu e Justin caminhamos até o elevador de mãos dadas, mas nos lembramos que ali existia câmeras e então passamos a andar um pouco afastados um do outro.
Justin: Sabe, ontem eu decidi pesquisar "Jarlotte" no Twitter e li várias coisas positivas sobre nós. - Ele falou quando já estávamos dentro do carro, saindo de dentro da garagem do prédio.
Charlotte: Isso é bom. Acho que vou criar um Twitter só pra ler as mentions.
Justin: Não crie. As mentions boas podem ser a maioria, mas sempre vão existir as ruins. Eles falam coisas horríveis, às vezes eu me sinto realmente mal com algumas coisas que leio. E eu não quero que isso aconteça com você. - Ele me olhou sério e eu assenti. - Acho que você vai adorar o lugar que vamos. - Ele falou sorrindo e mudando de assunto.
Charlotte: Onde?
Justin: Você vai ver logo.

19 de agosto de 2016 - Nova York, sábado, 2:10PM
Charlotte: Central Park? - Perguntei com a sobrancelha arqueada assim que paramos em frente ao enorme parque de Manhattan. - Vamos fazer um piquenique?
Justin: Você é muito apressada. Espera que você vai ver. - Ele falou descendo do carro ao mesmo tempo em que vários seguranças enormes surgiam não sei de onde cercando o carro.
Justin segurou minha mão assim que eu cheguei do seu lado e eu não disse nada. Ele sabia o que tava fazendo e também havia tantos seguranças fazendo uma roda em volta de nós que ninguém conseguia nos ver.
Charlotte: Esses caras vão ficar nos cercando o tempo todo?
Justin: Só até chegarmos em um lugar. - Não falei mais nada, ele não ia me dizer nada.
Nós caminhamos até a beira do grande lado The Resevoir e os seguranças que estavam na nossa frente se afastaram um pouco pro lado, nos dando a visão de uma espécie de cabana toda enfeitada com vários panos brancos que não deixavam quem estava do lado de fora ver nada que acontecia do lado de dentro. Justin me olhou sorrindo, esperando que eu dissesse alguma coisa, mas o máximo que consegui foi dizer um "uau" bem baixo, o fazendo rir.
Justin: Eu disse que você ia gostar. - Falou rindo e me puxando pra dentro. - Ser o Justin Bieber tem suas vantagens e essa é uma delas. - Nós entramos e Justin soltou os panos que estavam presos, fechando todo o local. Lá dentro tinha uma mesa para dois, onde o almoço já estava e músicas calmas tocavam em um pequeno rádio.
Charlotte: Você é incrível. - Falei impressionada e ele sorriu, me puxando pela cintura e colando nossos corpos.
Justin: Eu escuto isso todos os dias. - Revirei os olhos. - Mas vindo de você é tão diferente, porque sua opinião realmente importa pra mim. - Sorri, o dando um selinho.
Charlotte: É bom ouvir isso, já que eu também me importo com o que você pensa. - Ele sorriu e eu o beijei. Suas mãos percorriam minhas costas e eu acaricia sua nuca, fazendo os pelos daquela região se arrepiarem. Sorri. Era bom saber que eu causava isso nele.
Nós terminamos o beijo com alguns selinhos e ambos sorrimos. Seu sorriso era incrível, poderia tirar toda a tristeza de todos que estivessem ao seu redor e eu me sentia a mulher mais sortuda do mundo por ter ele ao meu lado. Eram esses momentos que me fazia perceber que eu tinha tomado a decisão certa ao decidir dar uma chance a nós dois.
Justin: Vem, vamos sentar. - Ele falou animado e puxando a cadeira para eu sentar. Ele sentou na cadeira à minha frente e nós não conversamos por algum tempo. Toda hora nossos olhares se encontravam e nós dois sorríamos. Nós éramos dois tolos apaixonados.
Ele estava tão feliz por estar me fazendo feliz que eu seria capaz de fazer qualquer coisa para aquele sorriso nunca sair de seu rosto.
Charlotte: Acho que deveríamos fazer a coletiva de imprensa. - Falei já decidida. Não era justo ele ter que viver um relacionamento secreto só por ser quem ele era. Como eu disse: "eu estou disposta a ficar do lado do homem que eu amo".
Justin: É sério? - Perguntou sem acreditar e eu assenti. - Você tem certeza, Char? Eu não quero que se arrependa depois.
Charlotte: Eu não vou me arrepender se você prometer ficar do meu lado. - Ele sorriu.
Justin: Eu prometo ficar do seu lado pro que der e vier, até o último dia de nossas vidas. - Sorri e me inclinei, lhe dando um rápido beijo.
A Thousand Years começou a tocar e Justin levantou e estendeu sua mão para mim, como um completo cavalheiro.
Justin: Me concede essa dança? - Sorri, pegando sua mão e levantando da minha cadeira. Justin segurou minha cintura e eu coloquei meus braços em torno do seu pescoço. Assim nós começamos a nos mover em passos lentos e sincronizados.
Naquele momento não existia mais nada. Não havia fãs, paparazzis, haters, problemas, preocupações, não havia mundo, só existia nós dois e o nosso amor inquebrável. Nossos olhares estavam conectados, mas não sorríamos e muito menos nos beijávamos. Era um momento especial e com certeza ficaria gravado para sempre na minha mente.

19 de agosto de 2016 - Nova York, sábado, 5:35PM
O sol estava se pondo e nós tínhamos uma vista privilegiada do prédio onde estávamos. Minha cabeça estava apoiada no ombro de Justin e seu braço estava envolta dos meus ombros, sua mão acariciando meu braço.
Charlotte: Queria que esse dia durasse pra sempre. - Pensei alto, mas não me arrependi de ter dito isso. Era a verdade.
Justin: Enquanto estivermos juntos eu farei o possível para que todos os dias sejam como esse. - Sorri, levantando minha cabeça e encostando meus lábios no dele. Não tinha intenção de aprofundar o beijo, mas Justin tinha, então foi isso que aconteceu. Suas mãos faziam um caminho por toda as minhas costas e minhas mãos estavam nos cabelos de Justin, o puxando para mais perto de mim. Senti ele me empurrar para trás e deitar em cima de mim, ainda me beijando.
Paramos o beijo com um selinho e então ele me olhou sorrindo, me fazendo sorrir também. 
Charlotte: Imagina se tem um helicóptero nos fotografando. - Falei.
Justin: Você quer ir para casa?
Charlotte: Não, eu não me importo mais que nos fotografem. - Ele sorriu, me dando um selinho e deitando do meu lado no chão. Encostei minha cabeça em seu peito e ele me envolveu com um dos braços. - Nós deveríamos conversar com a mãe. Ela não gostaria de saber por alguém que não seja um de nós.
Justin: Também acho. - Ele suspirou. - Estou com medo do que ela vai dizer.
Charlotte: Também estou, mas vai ser pior se não contarmos.
Justin: Tudo vai ficar bem. - Falou. - Posso pedir pro Scooter marcar a coletiva de imprensa? - Gelei ao pensar nisso. Eu estava morrendo de medo, mas estava disposta a enfrentar isso.
Charlotte: Pode, mas me dê pelo menos uma semana.
Justin: O tempo que você precisar, babe. - Beijou minha testa enquanto eu estava imersa em pensamentos sobre a repercussão que isso tudo causaria.


Oi mais uma vez :3
Perceberam que eu tô postando mais rápido agora? Meu deu um ataque de criatividade, eu acho haha
Mas então, o que vocês acharam? Tá ruim, bom, péssimo, mais ou menos? Digam aí nos comentários :)
Lembrando que criei um grupo para os leitores aqui do blog no whatsapp e lá posto alguns spoilers de ILWMB, então se quiserem participar é só deixar o número aí nos comentários.
É isso. Até logo ;*

Only Best Friends: Capítulo 6 - I'm willing to fall for you Kath

11 comentários: | |
Você foi o amor da minha vida. A escuridão, a luz
Este é um retrato que torturou - 30 Seconds To Mars Up In Th Air

Justin Bieber POV
Sai do chuveiro para deixar Kath tomar seu banho. Mais fiquei ali no banheiro mesmo, conversando com ela. O sorriso estava estampado no meu rosto, ele não saía dali de modo algum.
Kath terminou o banho dela e se enrolou em seu roupão, abriu o box e saiu como seus cabelos loiros molhados o que a deixou bem sexy. Ela pegou uma outra toalha e começou a secar seu cabelo e eu só a observava.
— Por que você esta me olhando assim? – ela perguntou rindo e eu sorri fraco para ela.
— Não pode mais te admirar? – ela corou e eu ri – Bom, vou tomar meu banho – ela assentiu e eu tirei minha roupa ficando só de cueca.
— Jus...
— Hum?
— Você beija muito bem – ela disse e depois riu parecendo perceber o que havia falado.
— Aé? – mordi os lábios e fui até ela. Passei meus braços em volta da sua cintura. Selei nossos lábios em um longo selinho, Kath riu e mordeu meus lábios – Você também beija muito bem!
Ela sorriu fraco e então eu fui tomar meu banho. Assim que desliguei o chuveiro, me sequei dentro do box mesmo e coloquei a cueca que Kath havia deixado ali. Fofa ela não?
Sequei meu cabelo e segui para o quarto. Katherine estava na varanda, ela vestia uma camisola lilás que ia até seu joelho. Seu cabelo balançava conforme o vento batia nele. Fui até lá e fiquei ao lado dela, apoiando meu braço na grade.
— E então...? – disse tentando puxar assunto.
— O que? – ela me olhou e eu dei de ombros.
— Não quero que o assunto morra entre nós dois.
— E não vai – ela disse convicta disso. Olhei para baixo e sorri.
— Sabe, você é tão confiante de tudo Kath. E isso é uma das coisas que eu mais admiro em você.
— Obrigado – ela riu – Mais Justin, e como fica... a gente? Quer dizer, vamos seguir como se nada tivesse acontecido? Vamos fingir?
— Eu não quero fingir.
— Eu também não quero – suspirou.
— Você quer deixar... rolar? – perguntei a encarando.
— Mas e se não der certo?
— A gente tenta de novo! – Kath riu balançando a cabeça
— Isso é loucura – dei de ombros.
— Sabe o que eu acho Katherine?
— O que você acha, Bieber? – ela se virou para mim sorrindo, puxei sua cintura e colei nossos corpos.
— Que vamos acabar nos apaixonando – sussurrei e encarei os olhos azuis de Kath.
— Acho que não – ela riu e eu beijei sua bochecha.
— Vamos ver então – olhando nos olhos um do outro, eu mordi seus lábios delicadamente e os puxei para mim. Kath passou seus braços em minha cintura e eu coloquei uma mão em seu rosto o acariciando. Aproximei meus lábios do seu, Kath foi fechando os olhos e eu fiz o mesmo. Encostei nossas bocas delicadamente até Kath colocar sua mão em minha nuca e aprofundar o beijo. Minha língua invadiu sua boca e ela a sugou fazendo eu me arrepiar, apertei sua cintura e encerrei o beijo com um longo selinho – Vamos dormir?
Katherine assentiu e eu passei meu braço pelo seu ombro e seguimos assim até a cama, me deitei e ela se deitou ao meu lado se aconchegando em meu peitoral. O silêncio dominou o quarto por alguns minutos até Kath falar.
— Será que Connor foi embora?
— Eu não sei.
— Estou com medo dele Justin – ela disse e se sentou na cama – Foi tão horrível.
— Não precisa ter medo – puxei ela para voltar a se deitar – Ele não vai chegar perto de você tão cedo. Agora, esquece isso está bem? – ela assentiu.
— Boa noite – ela olhou para mim e eu dei um selinho nela.
— Boa noite pequena!


Por volta das oito e meia da manhã, eu acordei. Kath ainda dormia e eu iria levantar quando percebi que sua perna estava em cima das minhas fazendo com que eu ficasse preso. Ri com isso e tentei tirar a sua perna sem acorda-la o que deu certo. Ela resmungou alguma coisa e agarrou meu travesseiro. Segui para o meu quarto para tomar um longo banho.
Chloe provavelmente tinha dormido com Jace, já que eu dormi no quarto que ela divide com Kath. Pensar em Chloe me fez lembrar de Connor, o que fez também o ódio subir pelo meu corpo todo. Nós dois nunca nos demos muito bem, ele sempre implicou comigo por conta da aproximação que eu tenho com a Kath. Porém, o que ele fez com ela, simplesmente passou dos limites.
Sai do chuveiro e fui até meu closet, como o frio ainda não havia passado, coloquei uma calça e uma blusa cinza de manga comprida. Calcei um par de supra preto e depois voltei para o quarto de Kath, ela estava da mesma forma que eu a deixei. Antes de acorda-la liguei na recepção e pedi para que entregasse nosso café.
Caminhei até a cama e me sentei ao lado de Kath.
— Hey pequena! – a chacoalhei de leve e obtive um resmungo de volta – Kath acorda.
— Me deixa dormir – ela disse e franziu a testa. Revirei os olhos, ela é muito preguiçosa.
— Acorda vai! – coloquei meu rosto no seu pescoço e rocei meu nariz ali – Anda.
— Nossa Justin como você é chato – ela virou para o outro lado e eu bufei.
— Cassete – sussurrei e fui para cima dela novamente. Só que dessa vez não seria nada delicado. Virei seu corpo para cima e me sentei em cima dela, ela acordou na hora. Quando ia começar a me bater, peguei seus pulsos e os coloquei no alto da cabeça a prendendo.
— Justin me larga.
— Não, ninguém mandou não acordar.
— Sai de cima de mim, você esta me esmagando – se contorceu e eu ri – Por favor.
— Não – levei meus lábios até seu pescoço e beijei o local, Kath gemeu na hora e eu ri.
— Me solta por favor – ela resmungou e eu encarei seus olhos.
— Bom dia dorminhoca – disse sorrindo e ela revirou os olhos.
— Bom dia Justin, bom dia. Agora da para você sair de cima de mim?
— Me da um beijo primeiro? – fiz cara de cachorro sem dono e Kath sorriu.
— Não.
— Não? – perguntei incrédulo.
— Não, até você sair de cima de mim – bufei e fiz o que ela pediu. Assim que levantei Kath pulou nas minhas costas quase me derrubando. Ela enlaçou suas pernas na minha cintura enquanto gargalhava. Caminhei até a cama e a derrubei lá.
— Sua loca – disse rindo, ela puxou minha blusa fazendo eu ficar por cima dela apoiado nos braços. – Eu realmente quero te beijar.
— Então beija – ela disse séria e por um motivo que eu desconheço, eu me arrepiei. Beijei seus lábios ferozmente e Kath respondeu na mesma intensidade, nossas línguas se enroscavam de forma calorosa e deliciosa. Minha mão escorregou na lateral de seu corpo até chegar em sua coxa, a apertei forte e Katherine arfou entre o beijo. Sorri vitorioso e suguei sua língua, o ar foi faltando em meus pulmões e eu tornei o beijo lento até encerra-lo com selinhos seguidos.
— Caralho, você me deixou excitado.
— JUSTIN! – ela gritou e riu em seguida – Da licença, deixa eu ir toma banho.
Sai de cima dela novamente e ela seguiu para o banheiro.
— Não demora por que eu já pedi o nosso café – assim que falei bateram na porta, fui até ela e peguei nosso café que estava em um carrinho. Coloquei as coisas na mesa que tinha ali e depois me joguei na cama para esperar Kath sair do banho. Meu celular tocou no bolso, o peguei e no visor marcava Alfredo.
 Diga minha vadia! – eu falei e ele riu.
— Ai Jus, não me trata assim – ele imitou uma voz feminina fazendo eu gargalhar.
— Que gay! O que você quer?
— Onde você está? Todos aqui estamos esperando você para tomar café.
— Podem tomar sem mim, eu pedi café para mim e para a Kath aqui no quarto.
— Hum, então tão né – fez drama e eu revirei os olhos – Peraí, você pediu café para você dois ai no quarto?
— É pedi, por quê?
— Você nunca pediu café para tomarem juntos no quarto – ri e revirei os olhos.
— Meu irmão, você não tem noção do que aconteceu – sentei na cama eufórico.
— Vai me dizer que vocês transaram?
— Não – franzi a testa – Ainda não – ele gargalhou.
— O que houve então?
— Ontem, depois que você e a Chloe saíram do quarto, eu levei Kath até o banheiro para ela tomar banho.
— VOCÊ VIU ELA PELADA? – ele gritou – Porra Justin, era para eu ser o primeiro a vê-la sem roupa.
— Não seu idiota, eu não vi el... o que? O que você disse? – perguntei incrédulo.
— Eu não disse nada.
— Seu viado, mais respeito com ela viu? – ele riu – Mas cala a boca agora e deixa eu falar. Nós nos beijamos.
— O QUE? VOCÊS SE BEIJARAM?
— Fala baixo gazela – reclamei – Ninguém pode saber, se Katherine descobrir que eu falei para você ela me mata. A gente vai deixar rolar, sabe?
— Justin isso é épico – dei risada – Vocês são perfeitos juntos, entende? E eu não sou o único que acha isso.
— Cala boca Alfredo você só fala merda.
— Isso não é verdade, eu estou falando sério. Que?
— Que? – perguntei sem entender.
— Não, eu estava falando com o Scooter, só um minuto – a linha ficou muda por algum tempo – Ok. Scooter pediu para avisar que vamos hoje para Newark  por que fica menos corrido e você pode terminar sua folga lá.
— Tudo bem, mas então, promete que não vai contar para ninguém? – a porta do banheiro foi aberta e Kath saiu enrolada em uma toalha.
— Prometo Justin, prometo.
— De dedinho? – perguntei rindo.
— Cara como você é gay.
— Vai se fuder.
— Estou precisando mesmo. Que tal quando...
— Tchau Alfredo – e desliguei na cara dele.
 Depois de cinco minutos, Kath apareceu vestida com uma calça jeans colada, uma bata caída e uma bota de couro. Ela seguiu para o banheiro e voltou em segundos.
— Hey, psiu – a chamei e ela me olhou – Você está linda – ela corou e eu ri.
— Vem tomar café – levantei e sentamos. O café foi em silencio, a não ser os gritos de Kath quando eu passava o chantilly do bolo em seu nariz enquanto eu gargalhava – Vem aqui – me aproximei dela, ela passou seu dedo no creme e depois passou na minha boca, se aproximou de mim e selou nossos lábios calmamente lambendo depois todo o creme.
— Hum isso foi bom – abri os olhos e ela sorria – Muito bom!
— Você esta parecendo um bobão apaixonado desde que nos beijamos.
— Vai ver estou me apaixonando por você – disse e ela riu.
— Vai se ferrar – ri e me levantei.
— Bom, eu vou para o meu quarto arrumar minhas malas.
— Para que?
— Vamos hoje para Newark – ela assentiu.
— Então vou arrumar as minhas também.
— Ok. Já volto então – me aproximei dela e selei nossos lábios. Enquanto nos beijávamos passei meu dedo no chantilly novamente.
— Não demora – me afastei dela e passei o chantilly por todo seu rosto, dei-lhe um selinho e sai correndo – FILHO DA PUTA – foi tudo o que escutei até fechar a porta.


Katherine Collins POV
Sentei na poltrona do ônibus depois que coloquei minhas malas no quarto do mesmo. Justin entrou segurando suas coisas logo depois, ele as jogou do lado das minhas e foi até o motorista falar alguma coisa.
Eu o observava até a cena de uma das meninas que dançam comigo falando, veio em mente.
— Aquilo que melhores amigos sempre se apaixonam é verdade. Só que há um problema, quando a0mbos deixam levar. Meu melhor amigo era como um irmão, sabe? Aí nós começamos a nos envolver, nos apaixonamos. E um dia brigamos feio e nos separamos. Se um dia me perguntarem se eu me arrependo de algo eu iria dizer que sim. De ter perdido ele. Hoje não nos falamos mais e essa é a pior parte.
Não entendi o porquê de lembrar disso, mas parece que veio como um aviso. Meu maior medo era perder Justin de alguma forma, eu não conseguia me ver um dia sem tê-lo ao meu lado.
Eu estava disposta a fazer qualquer coisa para não perdê-lo.
Coloquei minhas pernas em cima da poltrona e as abracei, apoiando meu queixo nos joelhos. Justin sentou ao meu lado e passou seu braço pelo meu ombro me puxando para perto dele. Fiquei em silêncio e percebi, pelo canto do olho, que ele me observava.
— O que foi? — ele perguntou. Respirei fundo e o olhei.
— Estou com medo disso Justin — ele ficou me encarando e depois olhou para o lado.
— Estava tão bem hoje de manhã — ele riu fraco.
— Eu sei! — suspirei com os olhos fechados.
— Você não quer continuar com isso né? — fiquei em silêncio — Cara, eu estava realmente gostando de ficar com você Kath. — eu também estava, pensei — Eu achei que ia dar certo.
Continuei em silêncio e ele se levantou.
— Justin... — o chamei, ele se virou para mim. Mas eu não sabia o que falar. Me levantei e fui até ele, quando o abracei forte, senti seu corpo enrijecer mas logo seus braços me envolveram — Você sabe qual é o meu maior medo Justin? — sussurrei. Ele não respondeu — É não poder sentir mais isso — disse me referindo ao seu abraço — Será que você me entende?
— Kath — sua voz quase não saiu.
— Já se imaginou sem mim? — desfiz o abraço e encarei seus olhos. Ele assentiu e eu sorri fraco.
— Eu faço isso a todo instante — ele admitiu.
— Eu também, eu só quero que você entenda que...

— Eu não quero entender nada Katherine — me interrompeu. Ele seguiu até a poltrona e se jogou — Já não namoro a dois anos. Dois anos. Tenho que ficar indo a essas boates e me divertir com prostitutas. A sensação é momentânea. No dia seguinte nem me lembro mais, ou talvez acorde com um arrependimento do cão. Sabe, eu não posso conhecer garotas, não posso sair com uma mulher diferente que o mundo já vem com um pau e sete pedras. Muitas vezes Scooter me proibi de fazer amizade com o sexo oposto, sabe por quê? Por causa dessa merda de mídia. E quando eu penso por um minuto que... Que eu poderia me envolver com alguém que eu confie, eu não posso. Eu me engano, porque você não quer a mesma coisa que eu — ele respirou fundo recuperando o fôlego. Por algum motivo meus olhos estavam marejados — Eu não te amo Kath, assim como você não me ama. Mas eu creio que um dia eu possa te amar. Não como seu melhor amigo, mas como um namorado ame a sua namorada, entende? Eu confio em você Katherine, confio tanto que eu... que eu estou disposto a me apaixonar por você! Será que isso é estranho ou difícil de entender?



Heeey sexy ladees! 
Hoje não vou falar muita coisa, por que tenho que escrever 
um capítulo da outra fic que escrevo.
Me digam sobre duas coisas; o que acharam do capítulo
 e o TEASER DE ALL THAT MATTERS
O que foi aquilo? Eu achando que seria algo fofo e romântico, 
estava enganada. Prevejo p0tarias!
É isso, bjkaas e não esqueçam de comentar :)


Summer Paradise - He changed, I changed, but he missed me

5 comentários: | |

"I ain't all bad, all bad, all bad.
I might make you mad, so mad, my bad"
All Bad - Justin Bieber


                Lucy Montgomery’s P.O.V.

                - Ninguém, Justin, ninguém... – Caitlin disse suspirando. Olhei para ela assustada, não sabia como ele ia reagir e muito menos como eu reagiria ao falar com ele.
                - Hum, sei... – ele disse desconfiado. – Fala aê, cambada! – Ele deu oi aos garotos, provavelmente sem me notar. Confesso que fiquei triste, até que ele disse a frase que me deixou pior: - E você? Quem é? – Ele perguntou confuso. – Caitlin, você já fez amigos? – Ele disse olhando para a garota de cabelos castanhos ao meu lado.
                - Não Drew, não é uma nova amiga da Caitlin. – Comecei a chorar na frente dele e sai correndo. Minha bolsa caiu no chão, mas não me importava, apenas queria sair daquele lugar o mais rápido possível. Pensei que Justin fosse me reconhecer de primeira, mas parece que estava enganada. Talvez ele tivesse virado o que mais temi que virasse: um garoto fútil.
                Drew... Como sinto falta de chamá-lo assim. Ele me disse uma vez que eu era a única a chamá-lo pelo nome do meio. Talvez ele tenha percebido que era eu, ou talvez não. Provavelmente eu era indiferente em sua vida agora. Boba eu ao achar que ele se lembraria de mim, que ele correria até mim e me desse um beijo para matar toda a saudade e dissesse com sua voz rouca o melhor “eu te amo” que alguém poderia me falar.
                Fui até o final da praia, a praia reservada do hotel mesmo. Sentei-me em frente à água e observei as ondas indo e vindo. As pessoas são assim, como as ondas. Elas vêm e vão à todo momento. Algumas ficam por mais tempo que outras, mas algumas não ficam nem um dia ao seu lado. Fiquei dois meses ao lado de Justin, mas logo ambos saímos da vida de cada um. Meu maior erro deve ter sido não ter escrito para ele uma única vez, ou nunca ter ligado para ele. Nada que eu possa mudar agora, já foi, já aconteceu, já acabou tudo. It’s over!

                Lucy Montgomery’s P.O.V.


                Justin Bieber’s P.O.V.

                - Lucy... – Sussurrei depois que a mulher da minha vida saiu correndo chorando.
                Depois de tanto tempo sem vê-la eu faço essa burrada. Cailtin foi a primeira a me falar que Lucy também estaria nas Bahamas naquele ano. Três anos depois, finalmente a veria de novo. Olhar para aqueles olhos castanhos brilhantes, seus cabelos castanhos ondulados, sua pele branca, lisa e perfeita como porcelana, sua boca rosada e bem desenhada, principalmente quando passa seu famoso gloss. Não me importava nem um pouco ao beijá-la de gloss, tinha gosto de morango e era muito bom.
                Lucy estava muito diferente. Seu rosto continuava o mesmo, porém, estava mais magra e com um corpo mais bonito do que antes. Desde os 15 anos Lucy sempre teve um corpo escultural, mas agora parece ter sido desenhado pelo melhor dos artistas. Não há como descrevê-lo. É uma mistura de Beyoncé com Demi Lovato mais Megan Fox junto com Kim Kardashian. Na verdade, não há como compará-lo. Está apenas um corpo digno de Lucy Montgomery. Seus seios estavam maiores, sua bunda mais empinada e mais redonda, suas coxas mais roliças e duras, sua barriga não estava chapada, mas magra o suficiente para combinar com seu corpo.
                Eu e Lucy não começamos bem, para falar a verdade. Esbarramo-nos no hotel há três verões, e quando vimos tínhamos amigos em comum. Confesso que senti uma forte atração por ela assim que olhei em seus olhos. Não tinha reparado em corpo de primeira, só fui olhar para isso quando tivemos nossa primeira vez. E confesso que foi a melhor noite de amor de toda a minha vida. Quer dizer, as únicas noites de amor que tive foram com ela; o resto foi apenas transas com o objetivo de esquecê-la.
                - Vá atrás dela, Justin – Christian falou colocando sua mão em meu ombro.
                - Eu não sei... Ela... Ela parece chateada – falei olhando para o horizonte tentando enxergá-la de alguma forma.
                - Ela apenas ficou decepcionada. Vá atrás dela e conserte isso – ele disse e tirou sua mão de meu ombro. – Vamos estar no mesmo bar de sempre, relembrar os velhos tempos...
                Caitlin, Christian, Chaz e Ryan saíram e foram para o mesmo bar que vamos desde 2010. Eu fiquei olhando para a praia, não era muito grande, provavelmente a encontraria rapidamente. Fui andando olhando para baixo. Quando vi a mesma bolsa azul da Hollister que ela estava usando. Peguei-a e olhei, dentro estava seu celular, protetor solar e sua carteira. Peguei-a e abri. Ela costumava carregar uma foto nossa dentro dela, precisava saber se ainda estava lá. Assim que abri, vi a foto. Ela sorria sentada em meu colo com seu rosto enterrado na curvatura de meu pescoço, enquanto eu ria olhando para ela. Caitlin havia tirado essa foto. Sorri instantaneamente. Saí correndo com a bolsa no meu ombro, precisava achar aquela garota o mais rápido possível.
                Quando cheguei no fim da praia, vi a mesma garota que há três anos me encantou. Ela estava abraçada aos seus joelhos, enquanto observava as ondas do mar indo e vindo. Provavelmente pensando em como a abandonei. Nunca escrevi uma carta se quer para ela, mensagem de texto então... Nem pensar. Nunca pensei ao certo o porquê disso, talvez para não correr o risco de depender tanto dela assim. Mas no final, não foi preciso nem mesmo uma carta ou uma mensagem, quando vi já estava perdida e loucamente apaixonado por Lucy. Fui até ela e sentei-me ao seu lado.
                - Eu senti sua falta... – Disse e ela me olhou com os olhos marejados.

                Justin Bieber’s P.O.V.




ÉÉÉÉ... Haha vocês viram? O Jus não reconheceu a Lucy :( So sad... O que será que vai acontecer no próximo capítulo? DR? Beijo? Porrada? Ciúmes? E aí? O que achaam?
Bom, é isso gente. Espero que tenham gostado, eu AMEI esse capítulo, mas o próximo é melhor, só digo isso u.u haha
Beijos e see you SOON << tenho trauma dessa palavra até hoje ¬¬ Justin idiota ¬¬

Anônimo: HAHA obrigada, amorrrrrr!!! Tá aí, espero que tenha gostado
Diana Barbi: Haha já comeu cenoura com sal? É muito bom, não é melhor que tomate com sal, mas é uma delicinha que só vendo, ai ai... O Justin tá tipo agora mesmo, mas quando eles se conheceram ele tava tipo 2011, com um pouco de músculo já e pá. Ta aí e espero que tenha gostado :)
Brenda Lima: HAHAHA continueeeeeeei amor! Espero que tenha gostado. Beijustin hoho
Carol Mercadante: Hahaha Carol... Me ame menos, amor u.u Brincadeiraaaa haha. Lissenssa que a diva tá passando, ok? Espero que tenha gostado, amor. Beijo com gritti pra você.
♡ Júúlie Carter Mahone ♡: Haha obrigada babe, de verdade. Espero que tenha gostado desse também. PS: to apaixonada pelo CD Stars Dance, Selena se superou dessa vez haha
Midiane dos Santos: Haha pois é... Acho que não foi como você esperava que eles se reencontraram... Mas fique tranquila que ainda tem muita pegação vindo pela frente haha. Eu não sou poço de mel com a minha amiga não, quando a gente tá com saudade uma da outra sim ou quando estamos tristes, tirando isso... Não queria saber como é nossa amizade haha
Nathália de Oliveira: Hahah obrigada :) Espero que tenha gostado
Imagine Belieber: Haha gente a Lucy Hale é perfeita! Ela, a Troian, a Shay e, claro, a Ash diva forevah! Espero que tenha gostado, amor.
Anônimo: Continuei haha. Espero que tenha gostado, beijo.


25/11/2013

Summer Paradise - Nothing has changed

9 comentários: | |

"Love will remember you,
love will remember me.
I know it inside my heart"
Love Will Remember - Selena Gomez


                Lucy Montgomery’s P.O.V.

                Cheguei às Bahamas quase meio-dia. O voo demorou mais do que imaginei, nem imagino por quê. O piloto não avisou nada, e pretendo ficar sem saber o que realmente aconteceu, vai que começo a ter medo de avião. Não seria nem um pouco legal. Já estava no quarto do hotel, novamente no One&Only Ocean Club. Já tinha mandado uma mensagem para Caitlin, avisando que já tinha chegado, mas até o momento nada. Ela devia estar ou dormindo, ou no voo ainda. Sorri ao lembrar que Justin estava com ela e que logo nos encontraríamos.
                Levantei-me e fui ao banheiro jogar uma água gelada no corpo. Estava muito, mas muito quente mesmo. Queria ir logo para a piscina, mas estava morrendo de fome, então iria almoçar primeiro. Coloquei um shorts bem curtinho com uma bata longa,calcei uma Havaianas rosa de oncinha e fui para o restaurante do hotel. Pedi uma Coca bem gelada e um prato de penne ao sugo – meu favorito.
                Depois de alimentada, fui ao meu quarto novamente. Antes que pudesse pensar em escovar os dentes, Caitlin respondeu minha mensagem:
                Encontre-nos na praia daqui trinta minutos, quero ver você logo.
                PS: vá de biquíni, por favor :P
                Meu coração começou a bater de forma descomunal. Quanto mais ele batia, mais eu perdia o ar. Não é drama, é a realidade, isso realmente aconteceu. Sentia como se pudesse ter um infarto a qualquer momento. A lembrança do verão que tive há três anos veio à tona. Quando nos conhecemos, nosso primeiro encontro, nosso primeiro beijo, nosso primeiro luau, nossa primeira fugida de madrugada, nossa despedida, nosso adeus. Tudo acabou naquele três de agosto de 2010, quando tive que embarcar. Eles iriam uma semana depois, mas eu iria naquele dia, naquele três de agosto de 2010, às 15h35. Eu chorei muito, tentei ser forte, mas não consegui. Em tão pouco tempo, eu amei Justin como nunca amei qualquer outro homem.
                Fui ao banheiro e escovei meus dentes. Fiz toda a minha higiene e fui colocar meu biquíni e uma roupa mais bonita. Não esquecendo de que logo encontraria Justin. Olhei a hora e já era quase 14h, em 20 minutos teria que estar na praia. Pois é, como nos velhos tempos: 20 minutos para tomar banho, vestir uma roupa e passar um rímel com gloss. Vamos lá! Vesti um biquíni com a parte de cima pretae a parte de baixo de oncinha. Por cima, coloquei apenas uma saída de praiabranca em rendas. Olhei-me no espelho e passei várias camadas de rímel e um pouco de gloss rosa, apenas para destacar um pouco minha boca.
                Saí da suíte depois de pronta e desci para a praia. Quando olhei as horas, tinha apenas dois minutos para chegar ao mesmo ponto de encontro de sempre: a praia do hotel. Cheguei na recepção, caminhei por toda a extensão do hotel e cheguei à praia. Avistei Cait de longe, impossível não reconhecer seus longos cabelos castanhos, seu corpo bonito, porém, magro e seu biquíni rosa de sempre. Conseguia vê-lo graças à ausência de uma blusa, que seria muito bem vinda, aliás. Com ela estava Christian, como sempre, um garoto loiro e um outro loiro mais puxado para o avermelhado – ninguém que eu conhecesse. Dessa vez Selena não viera com eles, o que me deixou um pouco aliviada. Ela tinha ciúmes de Justin comigo. Não que não gostasse dela, eu adorava ela, mas me sentia ameaçada. Seu corpo era mil vezes mais bonito que o meu, e para Justin me trocar por ela era um, dois.
                Saí correndo gritando o nome de Caitlin e pulei em cima dela dando-lhe um big abraço. Caímos na areia e nos sujamos toda, mas aquilo era o que menos importava no momento. O que importava era eu e ela nos vendo de novo.
                - Cara, que saudade – falei com os olhos marejados.
                - Eu não acredito que finalmente nos encontramos – ela disse da mesma forma que eu. Logo começamos a chorar e nos abraçamos.
                - Eu preciso levantar, a areia tá pinicando minha bunda – sussurrei no ouvido dela de forma engraçada. Nós duas rimos e levantamos ainda abraçadas, não me pergunte como.
                - Você não mudou nada! – Ela disse me olhando. – A não ser pelo corpo. Tá mais bonito, tá mais gostosa, hein gata?! – Ela disse com um sorriso malicioso no rosto.
                - Nada que uma boa dieta e uma boa academia não façam... – disse e pisquei apenas meu olho esquerdo. Nós rimos. Olhei para o lado e Christian nos olhava rindo também. – Chris! Que saudade! – Abracei-o forte. Christian sempre foi meu bebê, apensar de agora ser mais alto e bem maior que eu. – Bebezinho da Lulu – falei como uma mãe.
                - Lucy, eu sou maior que você agora! Não rola mais essa de bebê, pô! – Ele disse bravo.
                - Não importa, eu sou mais velha, me respeite! – Falei autoritária, mas depois todos nós rimos. Abraçamo-nos novamente.
                - Bom, deixe-me apresentar esses bunda-moles para você. – Christian disse. – Esse é Chaz – ele apontou para o garoto loirinho.
                - Prazer, Lucy – falei com um sorriso no rosto.
                - Prazer, gatinha – ele sorriu malicioso, fazendo eu dar uma leve risada.
                - E esse – ele apontou para o loiro avermelhado – é Ryan.
                - Olá, Ryan – disse acenando.
                - Olá, Lucy – ele acenou da mesma forma. Nós rimos. Ryan tem cara de ser um cara super brincalhão.
                - Justin ainda está lá em cima de arrumando, o mesmo marica de sempre – Caitlin falou.
                - Quem é marica? – Aquela voz rouca. Apesar de mudada, eu conseguiria reconhecer a voz de Justin mesmo depois de 60 anos sem ouvi-la. Olhei para trás e vi Justin sorrindo como nunca. Ele estava mudado. Mais maduro, mais sexy, mais bonito – se isso for possível. Olhei no fundo dos olhos dele, depois para seu sorriso e depois para seus lábios. Nada disso mudara, apenas seu corpo e sua voz.

                Lucy Montgomery’s P.O.V.




Oi, gente :)
Mano, tô a um passo de chorar. Tô ouvindo Love Will Remember, esses dias ando tão emocionada com Jelena - isso porque eu não apoiava - mas comecei a ouvir as músicas da Selena, e ai socorro. Enfim, isso não vem ao caso.
Espero que tenham gostado, o próximo capítulo vai ter tão fofinho, hihi. Mal vejo a hora de postar, sou capaz de postar os dois de uma vez :)
Cara, eu sei que os capítulos são pequenos e eu adoraria fazer maiores. Mas se eu fizer maior, vai ser equivalente a um texto de oito páginas, porque eu paro na hora que dá uma emoção e aí eu vou ter que ficar atrás de uma outra emoção para acabar o capítulo, tendeu? Eu adoraria fazer maior, mas, sei lá, eu acho melhor deixar desse jeito que nem fica cansativo para vocês lerem nem para mim fazer um texto de oito páginas :/
É isso aí, espero que tenham entendido.
Beijos e até logo...
PS: aww vocês ouviram Rollercoaster? Perfeito! Precisava muito dessa música, desde que ele postou aquele vídeo lá do Scooter porra loka ( eu chamo o Scooter de porra loka u.u). Muito TUTS TUTS TUTS QUERO VÊ ta parei.Só não to conseguindo comprar no iTunes :(
PS²: EXPERIMENTEM TOMATE COM SAL, MTO DLÇ

♡ Júúlie Carter Mahone ♡: 1º: eu AMO forte essa música, tipo MUITO haha
2º: tomate com sal é a coisa mais deliciosa do mundo, é tipo na salada, só que puro. EXPERIMENTE!
3º: Haha obrigada, baby, de verdade. Espero que tenha gostado desse também
Carol Mercadante: Somos dois potes de glitter roxo, bate o/ Haha obrigada, babe, de verdade
Diana Barbi: Haha tomate com sal é uma delicinha, cara! Haha eu sei que deveria fazer maiores, mas ali em cima tá a explicação :/ Então, aí tipo, só próximo capítulo que eles vão se encontrar, sem discussões u.u Ah! Quanto ao Insta: eu tenho, mas o iPad tá sem bateria e tô de castigo, quando carregar eu te sigo hehe. Beijo
Anônimo: Haha obrigadaaaaa, espero que tenha gostado desse também
Midiane dos Santos: Eu simplesmente AMEI esse capítulo, mas o próximo vai ser melhor. Espero que tenha gostado, ela e a Cait são fofas juntas u.u eu acho, parece eu e as minhas amigas HEUHUE enfim, ta, parei. Beijos
Anônimo: ÊÊÊÊ! Seja bem vida amor, espero que goste de todas as outras FanFics/Imagines Belieber. Espero que tenha gostado, beijo
Nathália de Oliveira: Seja bem vinda, espero que esteja gostando das histórias. Obrigada, espero que tenha gostado desse também haha. Beijos