31/05/2013

1º Young, Wild and Free.

19 comentários: | |

Pedro: E aí maninha!
Alícia: O que tu quer? - Perguntei já impaciente. Certeza que ele queria algo!
Pedro: Me empresta teu celular? To sem crédito. - Ataquei meu celular nele, que pegou no alto. Sorte! Se caísse eu ia ficar puta.


Bom, Pedro é meu irmão de 18 anos, que não faz nada da vida HAHAHA. Chato pra caralho, mas muito parceiro meu. A gente tá sempre juntos e essas porra toda. É a pessoa que eu mais amo na vida, faço qualquer coisa por esse merda! Enfim. 


Eu, moro sozinha desde os 18 anos (hoje, tenho 19.) num apartamento no Morumbi. Mudei pra cá quando minha mãe me expulsou de casa, e o Pedro veio junto. Faço faculdade de engenharia civil mas não preciso disso, tenho dinheiro pra caralho.
Acredito que, da vida a gente não leva nada então a gente tem que zoar enquanto pode. Não adianta ficar se matando de estudar se um dia a gente morre. Economizar pra que?! Juntar dinheiro é bobagem.
E se eu morrer, que seja feliz, com uma garrafa de vodca numa mão e um beck entre os dedos da outra. Simples assim.

Alícia: Vai ligar pro Justin?
Pedro: Vou, chamar ele aqui pra jogar vídeo-game. Tu podia trazer aquelas suas amigas gostosas né?!
Alícia: Que amiga, o que? Balela! São tudo conhecidas, só. Ninguém tem amigo nessa vida não, Pedro. Já falei, aprende porra.
Pedro: Cê tá muito exaltada, gata! Relaxa aí! - Tirou um beck e um isqueiro do bolso da calça e me entregou. - Toma! 
Alícia: Hmmm.. E tu tá muito bonzinho, o que cê quer hein?!
Pedro: Nada. Ó, vou ligar pro Justin. - Discou e colocou no viva-voz.

Ligação mode on: 
Justin: Alô? Alícia?
Pedro: Não mané, sou eu. - Riu
Justin: Fala ae mano!
Pedro: Cola aqui mais tarde pra jogar xbox e tomar uma gelada!
Justin: Demorô. Quer que eu leve alguma coisa?
Pedro: O de sempre.
Justin: Fechou mano! Flw. - Desligou
Ligação mode off.

Alícia: Não tem nada pra comer aqui, vou no mercado. Quer ir?
Pedro: Vende dichavador no mercado? Preciso de um novo.
Alícia: Não né infeliz! Compra pela internet, tem uns daora.
Pedro: Tá, vou no mercado contigo. - Peguei a chave da minha Land Rover Evoque preta que ganhei do meu pai mês passado, e descemos de elevador até o estacionamento. Dirigi até o supermercado mais próximo. - Vai comprar o que?
Alícia: Bolacha, salgadinho, pão, congelados, sorvete e bebida.
Pedro: Só tem madame e empregadas nessa merda, e ficam olhando torto pra gente.
Alícia: Estamos no Morumbi, meu amor. - Fiz cara de nojenta, igual a das mulheres cheias de botox que olhavam pra mim e pro Pedro como se fossemos alienígenas. Ele riu e nós começamos a colocar as coisas no carrinho, que lotou rápido. Fomos pra fila do caixa quando uma mulher de mais ou menos 38 anos se aproximou de mim.
Mulher: Licença. A mãe de vocês sabem dessas tatuagens? Isso não é de Deus. - Apontou pros desenhos nos meus dedos, comecei a rir freneticamente.
Alícia: Minha mãe sabe, até curtiu e fez igual! Aliás, ela escreveu "foda-se a sua opinião" no antebraço. - Respondi ironica, minha mãe odeia tatuagem. O Pedro já estava colocando nossas compras na esteira.
Mulher: O mundo está realmente perdido!
Alícia: Aquela menina é sua filha? - Apontei pra uma menina que aparentava uns 16 anos que estava perto dessa mulher.
Mulher: Sim, ela é. 
Alícia: Ela não é santa, minha senhora. Sua filha queria ser igual eu, pode pá. E tu não sabe da metade das coisas que ela faz. - Sorri e sai andando, eu nem conhecia a menina, nem sabia o que tava falando, mas a mulher fez cara de "será?" então foi engraçado. Paguei as compras, coloquei no porta-malas do carro com a ajuda do Pedro e voltamos pra casa.

Guardei as compras na dispensa e fui dormir. Acordei umas 18h com os gritos do Pedro e do Justin. Dois filhos da puta.


Justin é um guri de família Canadense e podre de rico, 18 anos, melhor amigo do meu irmão e também não faz porra nenhuma da vida além de comer todas as minas bonitinhas que dá mole pra ele, fumar maconha, beber e jogar vídeo-game. Também mora no bairro do Morumbi, num condomínio não tão longe do meu. É bonito, mas não presta. O considero um irmão também, o moleque é foda.

Justin: Salve, Alícia! - Falou assim que me viu saindo do quarto. Sentei no chão da sala perto do sofá.
Alícia: Eaí! 
Pedro: Põe um som aí, Alícia. - Continuou jogando. Conectei meu iPhone na caixinha de amplificar som e coloquei T. Mills pra trocar.
Alícia: (...) Keep sayin' who's that but don't trip, it's just my other bitch callin'.. - Comecei a cantar junto com a música.
Justin: Alícia, me passa a garrafa de Absolut.
Alícia: Toma! - Peguei a garrafa que estava no chão do meu lado e entreguei pra ele. Acendi o beck que o Pedro tinha me dado mais cedo e deitei no chão mesmo. A vibe era da melhor impossível.
Pedro: Alícia não vai dormir aí no chão porque eu vou te deixar ai mesmo.
Alícia: Cala boca. - Dei de ombros
Justin: O que nós vamos fazer amanhã?
Pedro: Planos?
Justin: Festa na minha casa.
Pedro: Na piscina?
Justin: Vocês que sabem.
Pedro: De boa. Que horas?
Justin: Começa as 14h e não tem hora pra acabar.
Pedro: Daora. Vou convidar o povo.
Justin: Suave brotha! Alícia, leva suas amigas.
Alícia: HAHAHAHHA. - Levantei e fui até meu quarto pegar o notebook, voltei pra sala e sentei no chão de novo. Entrei no fb e criei o evento: HPP - House Pool Party, convidei geral do meu facebook, do face do Justin e do Pedro. Logo tinha umas 200 pessoas confirmadas e acreditem: cabia até mais que isso na casa do Justin.
Justin: Valeu Lícia. Ô Pedro, bora no mercado comprar bebida?
Pedro: Vamo, mano. Cê quer ir Alícia?
Alícia: Não, valeu. 
Justin: Então tá... Tchau gata. - Me deu um beijo na bochecha e saiu junto com o Pedro. Fechei o note e coloquei em cima da mesa de centro, peguei meu celular e me joguei no sofá. Fiquei fuçando e encontrei uma foto da noite passada então resolvi postar no instagram e logo tinha uma par de likes:


"Por que tantas curtidas?" Cara, se tu fuma maconha, tem tatuagem e é bonita, as chances de ficar famosa nas redes sociais é grande. Parece que fumar te deixa atraente! Sim, sou famosa pra caralho em redes sociais por causa das minhas fotos. Tem mil e um fakes meu; todo mundo conhece Alícia Mills.

Apaguei o beck no cinzeiro e voltei a dormir. Eu fumo e durmo pra não fazer bosta. 
Sabe, no começo é difícil tu se controlar sob o efeito da maconha mas com o tempo tu se acostuma: você controla a maconha e não ela que te controla, tlg? Enfim.

+ 10 comentários.

ILWMB: Capítulo 18 - One time

23 comentários: | |
"If I was your boyfriend, never let you go, keep you on my arm girl, you'd never be alone"

Atlanta - Geórgia, quinta-feira, 3:35PM
Tracy: Christian, você trouxe os filmes? – Perguntou chegando na sala junto com a Caitlin e segurando sacos de pipoca.
Christian: Sim. – Falou pegando sua mochila e tirando de lá vários filmes piratas.
Chaz: É tudo pirata, Christian?
Christian: Sim, é mais barato comprar os filmes piratas do que alugar.
Caitlin: Meu irmão é um imbecil... – Falou se lamentando e nós rimos.
Charlotte: É tudo a mesma coisa, põe logo. – Falei puxando o cobertor de Chaz, obrigando ele a dividir comigo. Tracy colocou o filme e todos nós nos acomodamos. Quando ela deu play um filme pornô começou a passar na televisão.
Caitlin: Aaaaaaah, tira isso daí! – Gritou tampando os olhos com o cobertor.
Ryan: Não tira! Adorei o filme, Christian. – Disse sorrindo pervertido e nós rimos.
Justin: Tira isso daí logo. – Disse desesperado procurando o controle.
Chaz: Só porque você não transa a mais de 1 mês tá aí todo fresco.
Justin: Porra, eu estou em estado de abstinência, qualquer coisa me excita. – Segurei um sorriso. Então ele não transa a mais de 1 mês por minha causa? Estou começando a achar que finalmente eu posso pensar em perdoá-lo.
Christian: Tá vendo só, Char. O Justin te ama mesmo, ele nunca ficou na seca por mais de 1 semana. – Corei fortemente.
Justin: Para de contar minhas intimidades pras meninas, Christian.
Tracy: Tudo o que é falado entre nós, fica entre nós.
Caitlin: Charlotte, case-se logo com o Justin. – Corei mais. Qual o problema deles?
Ryan: Gente, o filme vai continuar passando? Depois que eu virar um maníaco sexual não me culpem. – Rimos. Tracy finalmente achou o controle jogado no meio das cobertas e desligou a televisão.
Chaz: Próximo filme, Christian.
Caitlin: Chega de filme, vamos conversar.
Justin: Sobre?
Tracy: Sobre a sua apresentação de amanhã. Que música você vai cantar?
Justin: É surpresa.
Christian: Não pode ter segredos com os amigos, Biebs. – Todos concordaram com Christian e Justin revirou os olhos. Eu estava quieta, pensando no que o Christian disse, em Justin, se deveria ir na apresentação amanhã e se eu deveria perdoá-lo. Minha cabeça estava a mil.
Justin: É uma música minha.
Charlotte: Você compõe? – Perguntei por impulso. Eu fiquei surpresa, não sabia que ele escrevia canções. Ele me olhou com um sorrisinho no rosto.
Justin: Passei a escrever depois que umas coisas aconteceram. – Nem preciso dizer que corei né?
Caitlin&Tracy: Awwwww, casem-se logo, por favor.
Christian: Awwww. – Todo mundo olhou para ele e ele sorriu tímido.
Ryan: Você é viado? – Todos nós rimos e ele mostrou o dedo do meio.
Chaz: Voltando ao assunto da apresentação, você não vai mais ensaiar?
Justin: Não, estou treinando essa música a umas 3 semanas já, impossível esquecer ela.
Caitlin: Vamos filmar e postar no YouTube.
Justin: Minha mãe já vai fazer isso, com certeza. - Levantei e saí de lá, indo até o banheiro. Estava tão chato e entediante... Além disso eu queria poder parar de pensar um pouco em Justin, mas parecia impossível, ele não parava de demonstrar que me amava de verdade. Já se passaram mais de um mês e ele ainda não desistiu de mim.
Joguei água no meu rosto e parei em frente ao espelho vendo meu reflexo nele. Lá estava refletida a imagem de uma garota apaixonada mas que é estúpida demais para perdoar o cara que ama, a garota que só toma as decisões erradas.
Charlotte: Porque você é tão burra, Charlotte? - Perguntei pra mim mesma e suspirei. Se o Justin entrasse agora mesmo por essa porta eu o perdoava...
Sequei meu rosto e saí do banheiro, levando um susto encontrando Justin parado ao lado da porta.
Justin: Não acho que você seja burra. - Falou ficando em pé à minha frente.
Charlotte: O que você está fazendo aqui?
Justin: Te esperando. - Revirei os olhos e caminhei em direção à escada, mas ele me interrompeu colando seus lábios no meu rapidamente. Sabe quando seu coração dispara tanto que você fica quase sem ar? Foi isso que aconteceu comigo, mas não me fez interromper o beijo. Era algo que eu precisava, necessitava, Bieber era o meu vício e eu querendo ou não, ele sempre vai ser.
Justin passou seus braços pela minha cintura e entrou comigo no banheiro, fechando a porta atrás de nós com os pés. O beijo era quente e cheio de desejo, mas não passou disso. Justin me respeitava e mesmo se ele quisesse muito isso, ele se controlaria, pois eu poderia me arrepender depois.
Quando paramos o beijo apenas ficamos nos olhando com um sorriso nos nossos rostos. Levei minhas mãos até a bochecha de Justin e acariciei aquela região, vendo ele fechar os olhos lentamente e aumentar o sorriso. O abracei e coloquei minha cabeça na curvatura de seu pescoço, aspirando máximo que pude do seu perfume e sentindo Justin acariciar minha cabeça.
Justin: Char, fica comigo, por favor? Seja a minha garota, eu prometo nunca te deixar. - Ele falou olhando em meus olhos enquanto tinha uma das suas mãos na minha bochecha. Suspirei, eu não sabia o que fazer.
Charlotte: Me dá um tempo pra pensar? - Perguntei e ele me olhou frustrado.
Justin: Char...
Charlotte: Por favor, Justin. Eu sei que você já esperou muito tempo, mas é no máximo dois dias. Eu não posso terminar um namoro de repente por causa de um amor proibido.
Justin: Ok, eu espero, mas pensa direito ok? - Ri fraco e ele me deu um leve selinho.
Charlotte: Vamos voltar pra lá, não quero que pensem merda. - Justin riu e caminhou ao meu lado até chegarmos na sala novamente, onde eles discutiam sobre alguma coisa, mas pararam assim que nos viram chegar e nos olharam maliciosos.
Chaz: O que vocês estavam fazendo? - Perguntou com o seu sorriso malicioso de sempre.
Justin: Conversando e vocês? - Falou se sentando no chão ao meu lado.
Caitlin: Estávamos decidindo o nome do canal que criaremos pra você no YouTube.
Charlotte: Vocês estão exagerando, pessoal. Deixem isso pra minha mãe. - Justin concordou comigo e eles foram se acalmando aos poucos. Estavam mais nervosos que o próprio Justin. Com certeza não estavam mais nervosos do que eu...


Geeeeeeeeeente, sorry pela demora, hoje fui fazer trabalho '-'
Enfim, gostaram desse capítulo? Espero que sim  ((:
Não se esqueçam de entrar no grupo do blog noFacebook e qualquer coisa falem comigo pelo ask ^^
Até o próximo capítulo divas, i love you <3

30/05/2013

11º Capítulo - Vegas Girl: I'm still a Vegas Girl.

7 comentários: | |
Large

Eu: Jason, me perdoa, Jasoooon!! Eu te amoo! - Gritava pra que ele me ouvisse de onde estivesse. Se é que vocês me entendem. 

Nunca senti tanta vontade de chorar como naquele momento. E eu desabafei, coloquei tudo pra fora, de verdade. Devo ter ficado umas 3 horas chorando sem parar. Minha vista estava embaçada e nem se eu quisesse, enxergaria. 


(...)

xxx: Lindsay! Acorda! A gente precisa sumir com esse corpo!
Eu: Ahn? Oi? - Perguntei confusa e provavelmente com voz de sono.
xxx: O corpo, Lindsay! - Apontou pro corpo da vadia no chão - Me fala qual o plano que tu tem pra sumir com ele. - Aquela voz soava como música pros meus ouvidos.
Eu: O que você ta fazendo aqui? - Acho que já estava sorrindo.
xxx: Se tu me perdoar, eu fico e prometo que jamais erro de novo.
Eu: Eu... hm.. é.. - Gaguejei - Te perdoo. Mas, como você ta vivo? Eu te matei, cara! - Levantei do sofá
Jason: Você errou a mira.
Eu: Aff! Vou treinar mais pra acertar na próxima. - Zombei
Jason: Mas, tu me surpreendeu com o que acertou a Cait.
Eu: Jason, na boa... Eu te amo mas acho que não vai dar pra continuar, sinceramente.
Jason: Mas você me perdoou e...
Eu: Perdoei, mas não vou esquecer o que você fez. - O interrompi.
Jason: E se a gente recomeçar?
Eu: Eu acho que não. - Abaixei a cabeça e chorei sem me importar. - Não esquece que eu te amei. - Sai daquela sala puxando o corpo da tal de Cait pra fora. Peguei o celular e disquei pro Ryan.

Ligação mode on:
Ryan: Eaí sumidaa!!
Eu: Ryan, é urgente. Vem na casa do Jason buscar um corpo.
Ryan: Como assim, Lindsay? - Perguntou assustado
Eu: Vem logo, depois eu te explico. 
Ryan: O que eu faço?
Eu: To indo pra minha casa. Passa aqui no Jason, pega o corpo e some com ele.
Ryan: O Jason vai estar em casa?
Eu: Vai.
Ryan: Tá, to indo. Tchau.
Eu: Tchau.
Ligação mode off.


Eu: Me dá um lençol, cobertor, sei lá. - Exigi entrando na sala novamente.
Jason: Pra que? - Secou as lágrimas tentando disfarçar o choro.
Eu: Pra cobrir a porra do corpo né Jason, para de ser trouxa.
Jason: Ok, já vai. - Subiu as escadas correndo, de 2 em 2 degraus

Sentei no sofá e fiquei olhando minhas unhas, vermelho descascado. A que ponto eu cheguei, hein? 
Fiquei pensando na vida enquanto o cara que eu julgava como o amor da minha vida pegava o lençol pra cobrir o corpo da vadia com quem ele me traiu e eu matei. Isso parece normal?
Nunca fui de matar, de verdade. Mas traição é foda, a pior coisa que existe.
Eu devia estar no pior dos meus estados, sei lá. Não queria olhar no espelho com medo de ver tudo o que eu deixei pra trás.
Acho que no fim, a unica pessoa que eu vou levar comigo, é o meu pai.
Pai... meu amor por esse cara é imenso!, eu não demonstro, mas é.

Jason: Toma! - Me entregou o lençol, levantei e o joguei em cima do corpo da vadia. Acho que eu nunca vou me arrepender por isso! - O que vai ser de nós agora?
Eu: Não existe mas "nós", Jason. - Tornei a chorar.
Jason: Mas você me ama! Aquilo foi só um momento de fraqueza, sei lá. Ela me dopou. É uma vadia, Lindsay! Você vai me deixar por causa de uma vadia?
Eu: VOCÊ me deixou por causa de uma vadia. - Apontei o dedo no peitoral dele mas logo abaixei. Ficamos cada um sentado em um canto da sala, sem olhar pra cara um do outro, até o Ryan chegar. Abri o portão da garagem e ele parou o carro lá dentro.
Ryan: O que tu aprontou maninha? - Sussurrou enquanto eu o ajudava a colocar o corpo no porta-malas.
Eu: O Jason me traiu com ela.
Ryan: Que coisa, hein?! Você é mais gostosa. - Zombou.
Eu: Para, Ryan.
Ryan: Cadê o moleque? - Fechou o porta-malas e ficou encostado no carro, eu fiquei parada na frente dele.
Eu: Ta lá dentro. - Voltei a chorar.
Ryan: Vocês terminaram?
Eu: Obviamente.
Ryan: Não vai voltar?
Eu: Cara, ele me traiu!
Ryan: É... Mas você ama ele. Dá outra chance, Lilo. Todos merecem uma segunda chance.
Eu: Quem trai uma vez, trai duas, três...
Ryan: Não é assim. - Olhou pela janela que mostrava a sala - O moleque ta chorando, Lilo. Tu sabe o que é um garoto chorando por uma mina? Ele tá arrependido.
Eu: Duvido muito.
Ryan: Dá mais uma chance, Lindsay. Você vai deixar de ser feliz com quem você ama porque a pessoa cometeu um erro e tu é orgulhosa pra não perdoar? - Aumentou o tom da voz. Parecia estar me dando uma bronca.
Eu: Nem parece o Ryan que eu conheço. 
Ryan: Vem aqui! - Me envolveu num abraço confortante. O Ryan jamais tinha feito aquilo. - Eu não quero minha maninha mal! - Eu sorri e ele me largou. Segurou meu queixo me fazendo prestar atenção no que iria falar. - Eu vou embora agora, e você vai fazer a coisa certa. O que teu coração tá mandando você fazer. - Assenti - Você promete?
Eu: Eu prometo. - Prometi sem saber se iria cumprir. Ryan me deu um beijo na testa e se mandou. Fiquei uns 5 minutos parada pensando no que ia fazer e cheguei a uma conclusão: Ryan estava certo.

Corri pra sala novamente onde Jason estava deitado no sofá com o rosto coberto por uma almofada, provavelmente chorando. Tirei a almofada do rosto dele com cuidado e joguei no chão, selei nossos lábios e ele rapidamente abriu os olhos.

Eu: Eu te amo! - Limpei as lágrimas que escorriam no seu rosto e sorri, ele parecia não estar entendendo nada. - Não conseguiria viver sem você. 
Jason: Isso é sério? Você me perdoa? Você volta comigo? - Falava rapidamente sem pausas e nem nada, empolgado e sorrindo. Sorriso deslumbrante.
Eu: Eu volto, Jason. - Ele sentou no sofa e eu sentei no seu colo. O abracei forte.
Jason: Amor, me desculpa. Eu prometo que aquilo nunca mais vai acontecer! Vem morar comigo, vem... A gente pode ficar o dia todo juntos, roubando, usando droga, matando e fazendo essas loucuras que você gosta.. A gente pode ser aquele casal perfeito cheio de erros, pode se amar daquela forma que ninguém jamais entenderia.. A gente pode sair as 18 horas de terça pra dançar e voltar só às 18 horas de quarta, bêbados, rindo à toa, felizes. A gente pode casar e ter 3 filhos, uma casa grande e carros fodas, sabe?! Inventar canções um pro outro e cantar naquela noite fria de sexta quando não tem nada pra fazer, dividindo o beck, bebendo vinho e falando merda. O que você acha? Nós podemos fazer o que você quiser, se tu disser que aceita ser feliz comigo! - O respondi com o beijo mais intenso, longo e apaixonado que nós já poderíamos ter dado. 

Acho que dali pra frente tudo seria diferente, eu acho.

(....) anos depois.

Bom, vocês devem estar se perguntando se eu continuo com o Jason, não é?
Sim, continuamos juntos. Ele tá lindo, um Deus grego, mais lindo que nunca. E eu não to dizendo isso porque sou esposa dele, sério! Formado em engenharia civil, rico, e conhecido em todo o mundo. Cantor nas horas vagas, sim, cantor!
Eu? Arquiteta, dona de uma clinica de reabilitação pra usuários de droga, faço muitos projetos de caridade e ex-criminosa. O mundo dá voltas, não é? 
Não temos filhos e por enquanto não é o que pretendemos. 
Meu pai se casou de novo com uma mulher deslumbrante, fina e muito caridosa! Até que enfim uma pessoa que eu goste, não?!

Jason: Amor, tu lembra quando tentou me matar?
Eu: Lembro mor.
Jason: Nós éramos loucos. Nunca imaginei que a gente ia conseguir tudo o que temos hoje.
Eu: Somos foda! - Rimos.
Jason: Amor, acho que teu celular ta tocando!
Eu: Ok, espera. - Peguei o celular.

Ligação mode on:
Eu: Alô?
Lucy: Liloooooo!!! - Gritou
Eu: Maninha! Que saudades. Por onde andas?
Lucy: Calma, te liguei pra contar as novidades.
Eu: Conte-me! - Coloquei no viva-voz pro Jason ouvir também.
Lucy: Eu e o Ryan vamos nos casar, e agora somos donos da Calvin Klein! A Jane continua naquela vida bandida, - Rimos da forma que ela falou - namorando com um marginalzinho e perdida nas drogas, lógico.
Eu: Que horror, amiga! Manda um beijo pro Ryan.
Lucy: Pode deixar! Ah, então, liguei pra convidar você e o Jason pra passar as férias com a gente no Hawaii.
Eu: Claro. A Jane vai?
Lucy: Eu não sei... Mas eu convidei ela.
Eu: Hm, entendi. Me manda sms com tudo certinho!
Lucy: Ok bitch. Já tá tarde, vou dormir.
Eu: Eu também. Beijinhos, love ya.
Lucy: Te amo escrota! tchau.
Ligação mode off.

Jason: Amor, como é ser uma ex Vegas Girl?
Eu: Só porque a gente não mora mais em Las Vegas?
Jason: Não, mor. Eu te chamava de Vegas Girl porque tu era perigosa, sabe..
Eu: Ainda sou uma Vegas Girl, meu amor. - Sorri maliciosa e ele me envolveu num beijo quente. 

O resto? Bom, o horário não me permite dizer o que aconteceu! Hahahha!


Pronto divass!!
O Jason nãaaao morreu! Hahahaha, o que acharam?
Foi uma IB curtinha mas eu até que gostei de escrever!
Obrigada por estarem comigo nessa<3 e espero que leiam minha nova IB aqui no blog: Young, Wild and FreeAlguém gosta do T. Mills? Ele vai estar nessa nova ib heinn!
Enfim.
Não vou responder os comentários mas do fundo do meu coração, agradeço a quem leu, comentou e tudo mais. Vocês são toppppp!!!

Indicando:
http://imaginejusteen.blogspot.com.br/


Amo vocês!





Nova IB: Young, Wild and Free.

13 comentários: | |
Large
WeHeartIt


  • Ninguém é famoso nessa IB, como sempre.
  • Não, não vai ter sinopse nem apresentação porque logo no início vocês vão entender.
  • Quem escreve sou eu, Giovanna.
  • Pedro: T. Mills.
  • Não vou postar todos os dias e só posto depois de ter a quantidade de comentários que eu pedir.
  • Recomendo a ler sempre todos os capítulos até o fim por causa das notas finais.
  • Todos são brasileiros na história.
  • Qualquer coisa, estou aqui: Twitter - Facebook - Ask me - Twitter Fc
  • Não recomendo para menores de 16 anos por conter cenas de sexo, droga e bebida alcoólica, mas cada um sabe o que lê.

Famous On YouTube: Tanner Patrick

Um comentário: | |
Geeente, quanto tempo que eu não faço o Famous On YouTube, a última vez foi em 31 de janeiro '-'
Enfim, hoje irei fazer de novo e é sobre o Tanner Patrick, o "Blake" de ILWMB :)



Tanner Patrick Howe tem 21 anos (nasceu em: 24 de maio de 1991) e é natural de Dallas, cidade do Texas, Estados Unidos. Começou a tocar piano com 5 anos e violão aos 10. Tanner já teve uma banda, chamada Disco Curtis que acabou se desintegrando. Começou a postar seus próprios videos de covers no YouTube em agosto de 2011 e nesse tempo o cantor escreveu suas próprias musicas. Seu primeiro single “Merry Go Round” foi lançado no dia 3 de Abril de 2012 e hoje ele já possui mais 2 singles: "Sideways Figure Eights" e "Progress". Você pode conferi-los no canal do cantor.
Ao todo seu canal no YouTube tem mais de 332 mil inscritos e 39 milhões de visualizações. No Twitter ele possui mais de 98 mil seguidores.

Fotos:




Vídeos:

Videoclipe da música "Merry Go Round"

Lyric Video da música "Sideways Figure Eights"

Videoclipe da música "Progress"

Cover da música "Mistletoe" do Justin Bieber

Sites oficiais:


Comentem e digam o que acharam sobre ele. Também podem deixar ideias para o próximo Famous On YouTube :)

28/05/2013

ILWMB: Capítulo 17 - That should be me

27 comentários: | |
"This is so wrong, I can't go on, till you believe, that should be me"

Atlanta, sexta-feira, 3:15PM

 - narrado por Justin B. -
Fechei a porta com o pé e nos virei, deixando ela presa entre mim e a porta. Seu rosto estava a centímetros do meu e uma vontade enorme de beijá-la dominou meu corpo, mas eu não iria fazer isso, não agora.
Charlotte: O que você quer, Justin? – Falou ofegante. Comemorei internamente ao ver o efeito que eu tinha sobre ela.

Everybody is laughing in my mind
Rumors spreading
About this other guy
Do you do what you did
When you did with me?
Does he love you the way I can?
Did you forget all the plans
That you made with me?
Cause baby, I didn't

Justin: Você. – Disse em um sussurro me controlando para não beijá-la antes de dizer tudo o que eu queria. – Eu não aguento mais ver você com aquele canalha, ele não te ama, ele não pode te fazer feliz como eu posso. Não aguento ver ele fazendo tudo que eu deveria estar fazendo com você. Deveria ser eu segurando sua mão, deveria ser eu sentindo o seu beijo, deveria ser eu fazendo você sorrir. – Falei e uma ideia para uma música surgiu em minha mente. Charlotte é a minha maior inspiração. – Será que você não vê o quando eu estou sofrendo, o quanto eu me arrependo por causa daquele dia? Eu preciso de você, Charlotte. – Senti uma lágrima escorrer. Esse sou eu gay novamente. – Só você... – Sussurrei essa última parte e sequei as lágrimas que escorriam pelo seu rosto. Ela não disse nada, nem tentou se afastar, continuou imóvel com seus olhos fixos no meu. 

That should be me, holding your hand
That should be me, making you laugh
That should be me, this is so sad
That should be me, that should be me
That should be me, feeling your kiss
That should be me, buying you gifts
This is so wrong, I can't go on
Till you believe, that should be me
That should be me

Aproximei meu rosto lentamente do seu e selei nossos lábios, sentindo o doce sabor da sua boca misturado com o salgado das lágrimas que escorriam pelos nossos rostos e paravam nos nossos lábios. Senti meu corpo se arrepiar quando ela passou seus braços pelo meu pescoço, juntando ainda mais nossos corpos e um pequeno sorriso se formou em meus lábios. Será que isso era um sinal de que ela tinha me perdoado?

You said you needed
A little time for my mistakes
It's funny how you used that time
To have me replaced
Did you think that
I wouldn't see you out at the movies?
What you doing to me
You taking him where we use to go
Now if you're trying to break my heart
It's working, cause you know

A peguei no colo e ela colocou suas pernas em volta da minha cintura, me deixando excitado. Rapidamente caminhei com ela até a cama e deitei por cima dela, tocando cada parte do seu corpo perfeito. Retirei minha camiseta e quando ia tirar a dela, ela travou, me olhando assustada. Ela me empurrou - me fazendo cair da cama - e levantou me entregando minha camiseta.

That should be me, holding your hand
That should be me, making you laugh
That should be me, this is so sad
That should be me, that should be me
That should be me, feeling your kiss
That should be me, buying you gifts
This is so wrong, I can't go on
Till you believe, that should be me
I need to know should
I fight for love or disarm
It's getting harder to shield
This pain in my heart, oh

Charlotte: Sai daqui, Justin. – Falou arrumando seu cabelo.
Justin: Por que? Você quer isso tanto quanto eu. – Disse a abraçando e depositando um beijo em seu pescoço, deixando-a arrepiada.
Charlotte: Não, eu não quero, vai embora! – Gritou e eu a olhei entristecido, indo para fora do quarto.

That should be me, holding your hand
That should be me, making you laugh
That should be me, this is so sad
That should be me, that should be me
That should be me, feeling your kiss
That should be me, buying you gifts
This is so wrong, I can't go on
Till you believe, that should be me
Holding your hand, that should be me
Oh, I making you laugh, oh baby
Oh, that should be me, oh yeah

Eu estava arrasado, mais uma vez ela me rejeitou, mais uma vez eu estava chorando por ela. Mas eu não desistiria dela, não mesmo. Eu ainda irei conseguir fazer ela me perdoar. Assim que entrei no meu quarto fui pegar meu caderno que eu usava para compor. Aquela frase que eu disse para Charlotte me deu uma ótima ideia para uma música e eu precisava compô-la.

That should be me giving you flowers
That should be me, talking by hours
That should be me, that should be me
That should be me
Never should've let you go
I never should've let you go
That should be me
Never should've let you go
That should be me
Never should've let you go?

- fim da narração de Justin B. –

3 semanas depois...

Amanhã seria o dia que Justin se apresentaria no show de talentos do bairro e eu só descobri isso hoje, porque minha mãe me falou. Depois de eu subornar Christian com um jogo para Xbox que ele tanto queria, ele acabou me dizendo que eles pretendiam me enganar para me levar até lá sem eu saber. Christian quase foi morto quando descobriram que ele tinha me contado, se não fosse por eu abrigando ele aqui em casa por algumas horas, com certeza agora eu estaria no velório dele.
Terminei de me arrumar,  iria para a casa de Tracy junto com meus amigos – sim, Justin também iria – e nós iríamos fazer uma maratona de filmes. Pensei em chamar Robert, mas ninguém gosta dele, então deixei pra lá. Com certeza ele ficaria bravo comigo, mas foda-se, eu não me importo com a opinião dele.


Heey, olha eu aqui de novo \o/
Espero que gostem desse novo capítulo :)
Fiquei chateada que o capítulo anterior não teve comentários, vocês me abandonaram :'((
Enfim, participem do grupo que eu criei no Facebook, é só clicar >aqui<
Por lá nós vamos poder conversar e dar avisos quando for preciso.
Falem comigo pelo ask também, estou sempre respondendo vocês por lá ;)
Em alguns dias irei contar uma novidade pra vocês, que com certeza vocês irão adorar. Eu só estou planejando melhor e logo conto pra vocês.
É isso por enquanto. Até o próximo capítulo e please, comentem... :D

Divulgando:
http://iimaginebbelieber.blogspot.com.br/

10º Capítulo - Vegas Girl: I shot.

20 comentários: | |
Large

Jason: Lilo, abre o vidro! - Insistiu batendo no vidro
Eu: Que droga! - Dei um soco no meio do volante, buzinando sem querer. Sequei meu rosto com as mãos e abri o vidro.
Jason: Não é o que você tá pensando!
Eu: Não? - Fechei o vidro e peguei a pistola que ficava no porta-luvas, coloquei na cintura por dentro da calça e por baixo da blusa, abri a porta e sai do carro. - E o que foi aquilo?
Jason: A Cait é só... só.. - Gaguejou
Eu: Só o que, Jason? - Fui andando em direção a ele, que foi recuando "de ré". Meus olhos provavelmente estavam cheios de ódio.
Jason: Vamos conversar lá dentro, os vizinhos tão olhando pra nós. - Olhei em volta e era verdade. Abri os braços e gritei
Eu: Vocês tão assustados né? Mas sabe o que ta acontecendo? Jason, esse cara bonitinho, que era um puta nerd que ninguém curtia, sabe? Eu mudei ele. Ele agora é descolado, que todo mundo quer, não é isso? Pois é, ontem, esse garoto me pediu em namoro e sabe o que ele fez hoje? Dormiu com uma garota. - Todos me olhavam com atenção e o Jason com cara de "cala boca, vagabunda"
Jason: Vem comigo. - Me puxou pelo braço e me arrastou até a sala da sua casa. Eu nem sei se a vadia ainda tava lá. Me soltou e eu cai no sofá.
Eu: Filho da puta! - Gritei me levantando. - O que tu quer comigo?
Jason: Presta atenção, eu te trai sim, mas você não tinha o direito de falar tudo aquilo na frente de todo mundo. Tá me entendendo?
Eu: Fala direito comigo, tá pensando que é quem? - Ele me olhou como quem fosse me matar e me deu um tapa na cara. Um tapa na cara. - Jason, Jason. Você é muito engraçado mesmo né? - Passei a mão onde ele bateu, tirei a arma da cintura e fui andando com ela apontada na direção dele.
Jason: O que é isso???? - Olhou assustado
Eu: O que parece ser? - Olhava fixamente em seus olhos. - Mas, e aí, o que você tem pra me dizer?
Jason: Eu te amo, abaixa essa arma, por favor.
Eu: Que isso, gatinho? Tá com medo? - Ironizei. Jason sentou num dos sofás e ficou olhando fixamente pra escada, olhei também e a vadia estava descendo. Vestida. Eu sorri e coloquei meus braços atrás das costas e esperei ela descer.
Vadia: Jason, eu já estou indo. Obrigada! Depois eu te ligo! - Sorriu e eu num movimento involuntário, atirei na nuca dela.
Jason: SUA LOUCA! - Gritou desesperado e correu pra socorrer a vadia. - Eu vou levar ela no hospital!
Eu: Não, não, amor. Você vai ficar bem aí! - Sorri - Você não dormiu com ela? Agora você vai com ela pra um lugar melhor, bem melhor.
Jason: Não faz isso mor, a gente pode se acertar meu. Abaixa essa arma e vamos conversar, vai. - Implorava, desesperado. - Por favor! Eu te amo muito!
Eu: Que foi amor? Não confia em mim? - Olhei sínica. Eu estava sínica.

Eu estava com dó, óbvio. Porque afinal, tenho coração. Mas ele não teve ao me trair. Não foi? Pois então.
Tal como dizem: "Toda ação tem uma reação." 
Talvez eu estivesse exagerando, mas traição é uma coisa que eu não aceito.

(...) Eu sentia meu sangue fervendo e minha cabeça pulsando, doendo. Já não enxergava mais nada, tava tudo embaçado. Não sei, mas acho que eu estava tremendo. E por experiência própria, eu digo: Quando alguém treme segurando uma arma, nunca dá certo.

Jason: Amor fica de boa, você não é assim.
Eu: Ficar de boa? Jason, você me traiu. - Fechei os olhos e apontei a arma
Jason: Para com isso, vai. - O ignorei e ainda de olhos fechados puxei o gatilho. Ouvi o barulho do tiro e me arrependi imediatamente. Joguei o corpo pra trás e cai no sofá, chorando desesperadamente.
Eu: Jasonnn!! - Era tudo o que saia da minha boca. 

Eu não ouvia e nem via nada.
Parece que uma neblina imensa tinha tomado conta daquele lugar.
Estava me sentindo "mal", e também aliviada. 
E novamente voltamos a estaca 0: eu não estava entendendo nada. Não estava me entendendo.
Eu atirei.
E não tirei só a vida dele.
A minha foi também.



Oi divas!!
Hoje o Scooter tweetou que as datas da BT saem daqui 2 semanas! To morrendo de ansiedadeeee!! Quem não? Ahahah, e eu queria conhecer vocês! Quem for no show em SP, me dá um salve dps!!

Divulgando:

Comentários:

Bianca Silva: Pronto linda!
duds: Obrigada<3
Anônimo: Hahaha. É uma qualquer.
miley is our queen, bitches: s2
Evellyn: Ahahah
Ana Carolina: Pois é kra, muito fdp ele.
Pequena do Justin: É isso aí! Hahaha #JasonCachorrão
Glória Maria Sandi: Preciso ver com a dona do blog, se tiver twitter ou fb me lembra lá.
nathalaia: s2
Alice~: Pronto gatinha s2
Ana Clara M.: Ahahahahah, tipo isso!
Anônimo: caaalma! haha
Midi dos Santos: Pronto meu amorrr<3 obrigada!
Belieber &#39;: Continueeeeei tá?<3
jessie moraes: Hehe, obrigada linda.
Anônimo: Ahahhahah
Mellany Pinheiro: Pronto lindaa!!
thais ( @h3ll0drew ): Virada no samu? Oi??? Ahahah
Diana Barbi: Aeaeae, bem vinda linda!


+ 19 comentários.